30 de dez de 2005

Feliz ano novo, sim senhor

O que há de bom nas crises é que, com elas, se aprende. Um dia, se aprende, estou certa disso. Pode custar, eis a parte ruim. A parte boa é que o aprendizado dura para todo sempre.

Não sou emissora de tv para fazer retrospectiva, mas .. eita ano difícil esse de 2005, hein? "Algo me diz" (o que será, meu Deus?) que foi assim para a grande maioria das pessoas. Crise na economia, na política, essas "pequenas coisas" (riam, leitores) que se refletem em nossas vidas, esmagando a realidade bruta do day by day dos não-poderosos. Sim, eu sei, que você está - e eu também estou - emputecido com os doze mil e não sei quanto que está nos bolsos dos congressistas, para engordar o reveillon deles. Também não esqueci que 2006 será mais um ano de puxa-saquismo daqueles, até, quiça, quinze de novembro. Mas, isso não é tudo na vida, né? Ah, vocês sabem disso, eu sei que sabem...

Lá vem a boba alegre, dirão vocês... Ela já já chega, não se decepcionem...

Sabem o que é bom se pensar quando a cabeça quer estourar com tudo isso “e um pouco mais” (bote “um pouco mais” nisso!)? Quando você caminha, quem é que sente as pedrinhas na sola do pé? Na hora de olhar o mundo, são os outros que olham por você? E se admiram com, sei lá, o azul do céu, uma pessoa bonita que passa, a chuva caindo nas árvores?

Quando não se tem mais para onde ir, é bom pensar: quem vive a sua vida é você. É, quem paga suas contas (ou não) é você, e é você também que lava suas calcinhas e cuecas (ou a sua mulher ou empregada ou a sua máquina de lavar, vai, dá no mesmo, foi você que arranjou o acerto). Quando chega a hora de votar, o dedão que se enfia no teclado é o seu. É isto mesmo, eu acredito na máxima “cada povo tem o governo que merece”. Seu filho é malcriado? Quem o criou mal foi você. E seu casamento está uma boa merda? A culpa é de vocês. É isso aí. Vamos parar com essa onda de colocar a culpa no próximo. Eis minha dica de final de ano.

Antes que fale mais alguma merda, um parênteses (mais um). Falo tudo isso com a ciência de saber, *mais ou menos*, quem está a ler esse blog. Não somos os desprovidos de tudo. Ainda não aconteceu a tal inclusão digital no nosso país, e sei que não há como os verdadeiramente excluídos estarem por aqui - o que me deixa triste. Se estiverem, espero que perdoem as palavras. De fato, me parece um contrasenso que isto ocorra, mas enfim... Resumindo: eu não estou falando com quem não pode mesmo mover as linhas da própria vida. Sim, você que imagina serem elas uma invenção talvez da Globo ou da Heloísa Helena, elas existem. Se você puder andar de ônibus numa linha suburbana de alguma grande cidade, de preferência no centro antigo, talvez entenda do que falo. Uma outra boa dica talvez seja pegar alguma estrada que corte a região canavieira no Nordeste (tá, eu sei que essa é mais difícil...). Entrar num favela pode ser um risco, mas vai com certeza te ensinar algumas coisas.

Por outro lado, tenham cuidado para não se incluirem na categoria a que me referi. É um perigo, corram se virem essa idéia no seu caminho. Avaliem bem o significado da expressão “excluído”. Não é porque você não tem computador ou internet em casa que você é o excluído de que falo. Ou porque você ande de ônibus: eu ando de vez em quando de ônibus, e nem em sonho sou uma excluída.

Fim do parênteses. Ponto.

Minha mensagem de final de ano não está nada bonita, né? Não, não, não, eu não estou chateada, está tudo bem legal. Eu continuo querendo muito muito mesmo que vocês todos tenham um reveillon maravilhoso, sim, senhor, e que todos os desejos de seus corações se realizem no novo ano que está chegando. Mas dêem um forcinha para a pobre da vida, né? Papai-do-céu é pai, não é padrasto, mas nem pai aguenta tudo sempre, não é mesmo? Por mim, vou fazer tudo para ajudar ele (o pai) e ela (a mãe-vida).

27 de dez de 2005

Pense numa homenagem...

Terra - Ronaldinho vira personagem de Mauricio de Sousa

O melhor jogador do mundo na atualidade vai ganhar o universo dos quadrinhos no traço de Maurício de Sousa. O desenhista vai a Porto Alegre nesta quarta junto do jogador Ronaldinho Gaúcho para o lançamento do personagem "Ronaldinho", o novo integrante da Turma da Mônica.

Se bem que eu ainda preferiria o Robinho... Obviamente, o gaúcho dá muito mais traço (visualmente falando...).

25 de dez de 2005

Do meu amor e eu

Porque recordar é viver, sempre.

"E se hoje não fosse essa estrada
Se a noite não tivesse tanto atalho
O amanhã não fosse tão distante
Solidão seria nada pra você

Se ao menos o meu amor estivesse aqui
E eu pudesse ouvir o seu coração
Se ao menos mentisse ao meu lado
Estaria em minha cama... outra vez

Meu reflexo não consigo ver na água
Nem fazer canções sem nenhuma dor
Nem ouvir o eco dos meus passos
Nem lembrar meu nome quando alguém chamou

Se ao menos o meu amor estivesse aqui
E eu pudesse ouvir o seu coração
Se ao menos mentisse ao meu lado
Estaria em minha cama... outra vez

Há beleza no rio do meu canto
Há beleza em tudo o que há no céu
Porém nada com certeza é mais bonito
Quando lembro dos olhos do meu bem

Se ao menos o meu amor estivesse aqui
E eu pudesse ouvir o seu coração
Se ao menos mentisse ao meu lado
Estaria em minha cama... outra vez
"
(O Amanhã é Distante - Bob Dylan - versão: Geraldo Azevedo/Babau)

Cuma, Babau?

Aos Filhos de Capricórnio



"Madrepérola de cor
a teimosia tá no ar
signo da terra, da percussão
a dúvida não tem lugar
signo de capricórnio, ser
como se fosse escalar
a montanha negra do dia a dia
não saberia sonhar
signo da segurança total
signo da persistência, e afinal
na versão mais infinita do ser
capricórnio inda precisa aprender
que da estranha forma do caracol
foi que se inventou a clave de sol
simbolismo do prazer
tudo mágica ser"
(Oswaldo Montenegro - do musical A Dança dos Signos)

Eis o signo do homem da montanha d'água, alguém conhece o homem da montanha d'água?

Rapidinhas da noite alta

O Repórter Vesgo tem um blog. Isso, isso, isso. Mas tá sem atualização desde setembro. O Rodrigo Scarpa também. Mas tá fora do ar. Oxe. Então porque tô postando isso aqui?

Consta no blog citado que a comunidade orkutiana do Vesgo já tem mais de 190 mil associados. Não fui lá checar, óbvio. Mas pensei numa comparação interessante. São João do Tigre das brenhas paraibanas tem pouco mais de 4.500. Hein?

Não dá para acreditar que tem São João do Tigre na Wikipédia. Tô pasma.

-----------

"Não diga nada sobre meus defeitos, eu não me lembro mais quem me deixou assim". Eita, nó... Não estranhem, tô blogando alto.

----------

Não, não fui assistir ao Baile do Menino Deus no centro da cidade, de novo, mais uma vez. Sim, foi por uma boa causa.

-----------

Cheiro de bacon fritando. Quem é o miserento que tá me fazendo esse favor? Comeu pouca porcaria no natal, foi?

------------

Sim, eu sei, estou devendo o post aos filhos de capricórnio. Deus querendo e a carroça ajudando ele sai ainda hoje (gostaram da nova versão política-religiosamente correta do velho ditado?). Quiça antes que os pobre interneteiros-sem-banda-larga fiquem sem o são-domingos-e-feriados-do-pulso-único.

Eu quero a tradução (decente, por favor)

"Todas las mañanas que viví
todas las calles donde me escondí
el encantamiento de un amor
el sacrificio de mis padres
los zapatos de charol.

Los domingos en el club
sólo que Cristo sigue allí en la cruz
las columnas en la catedral
y la tribuna grita gol el lunes por La Capital.
Todos yiran y yiran
todos bajo el sol
se proyecta la vida
mariposa technicolor.

Cada vez que me miras
cada sensación
se proyecta la vida
mariposa technicolor.

Y sus caras de resignación
los ví felices llenos de dolor
ellas cocinaban arroz
se levantaba sus principios de
sutil emperador.

Todo al fin sucedió
sólo que el tiempo no los esperó
la melancolía de morir en este mundo
y de vivir sin una estúpida razón
todos yiran y yiran
todos bajo el sol
se proyecta la vida
mariposa technicolor.

Cada vez que me miras
cada sensación
se proyecta la vida
mariposa technicolor.

Yo te conozco de antes
desde antes del ayer
yo te conozco de antes
cuando me fui no me alejé
llevo la voz cantante
llevo la luz del tren
llevo un destino errante
llevo tus marcas en mi piel
y hoy sólo te vuelo a ver
y hoy sólo te vuelo a ver.
"

(Sempre, sempre, Fito Paez - Mariposa Technicolor)

23 de dez de 2005

Plantão extra. De natal.

Meus queridos.
Não dava para deixar passar o natal sem uma palavrinha, por rápida que fosse, para os amigos virtuais amados que me acompanham no dia-a-dia dos dias do ano que não é feito apenas por dias de natal, ano-novo, festa, aniversário e afins, certo?
Isso aqui deve ser quase como um casamento (vixe, que meda, hehehehe...) na saúde e na doença, creio eu.
Então, desejo a todos um natal com todas as coisas boas que possam alegrar o coração de cada coração que vem aqui me ler durante o ano todo.
Que o menino Deus não saia nunca de junto de todos vocês, com direito a anjinhos, sinos, renas e papais-noéis. E para quem não "apreceia" a tudo isso, que venha com aquilo que faça os olhinhos de todos vocês brilharem...



"José carpinteiro
procura agasalho
Maria descansa
Tão linda nas palhas
Belém abre as portas
Banhada de luz
A estrela já trouxe o menino Jesus"
(Baile do Menino Deus - Uma brincadeira de natal)

21 de dez de 2005

Hollydays

Estamos de férias. Primeiro, eu, depois, ele, o Maio. Talvez, quem sabe, tenhamos um Plantão extra, ou outro. Ou não.

18 de dez de 2005

A realidade incontestável...

... é que tô sentindo uma saudade fudida dos meus amigos queridos.

Não vou postar aqui mais música deles, só o que posso é contar a que tá tocando na cachola : Blue Riviera. Sá, Rodrix & Guarabira de novo mais uma vez.

Vou ali correndo escrever para uma pessoa que está além-mar...

17 de dez de 2005

Tocando na cachola



"Dentro da baleia mora mestre Jonas
Desde que completou a maioridade
a baleia é sua casa, sua cidade
dentro dela guarda suas gravatas, seus ternos de linho

e ele diz que se chama Jonas
e ele diz que é um santo homem
e ele diz que mora dentro da baleia por vontade própria
e ele diz que está comprometido
e ele diz que assinou papel
que vai mante-lo preso na baleia até o fim da vida
até o fim da vida

dentro da baleia a vida é tão mais fácil
nada incomoda o silêncio e a paz de jonas
quando o tempo é mal, a tempestade fica de fora
a baleia é mais segura que um grande navio

e ele diz que se chama Jonas
e ele diz que é um santo homem
e ele diz que mora dentro da baleia por vontade própria
e ele diz que está comprometido
e ele diz que assinou papel
que vai mante-lo preso na baleia até o fim da vida
até o fim da vida
até subir pro céu
"
(Mestre Jonas, Sá Rodrix & Guarabira)

'Por coincidência', assisti hoje na Cultura (CineClub Brasil) Durval Discos (filme brasileiro 'bastantemente' recomendável - se você não se importa muito com uma boa dose de doideira), em cuja trilha sonora consta essa preciosidade musical. Site oficial : este.

Ah, teve também Dois Filhos de Francisco esta semana, e eu chorei sim na cena das crianças em cas... ops, não conto. Vão ver e chorem também. Destaque especial para a Dira Paes, como sempre (para mim, é das melhores da atualidade). Gostei do filme, e até da trilha sonora (música caipira mais tradicional), mesmo de É o amor. Não que eu vá comprar um disco do Zezé de Camargo e Luciano por conta disso, certo, mas a trilha talvez até eu comprasse, num sabe, se o dinheiro sobrasse...

E o mulungu rendeu posts...

... ainda que não dê frutos, Cássia.

Muito bem, bem, bem.

"MULUNGU - Erythrina Mulungu
Planta originária do Nordeste brasileiro, com propriedades calmantes. "
(Da página da UFMS, . Bem boa a relação, vale uma olhada.)

Sobre as propriedades calmantes: de fato. Já foi experimentada nesta casa a colocação de folhas dentro da fronha, para debelar a insônia (não, fui eu a cobaia, :-P). Funciona verdadeiramente.

Parênteses.

Antes de qualquer coisa: há duas espécies de "Mulungus". Uma com flores grandes, vermelho-coral. Essa aqui. Não confundir com o meu mulungu, que tem "as flores menores, normalmente mais claras e possui sementes de cor parda.

Nativa desde São Paulo e Mato Grosso do Sul até Tocantis e Bahia.Esta espécie é usada popularmente como medicinal, inseticida e veneno para peixe.Desta espécie usa-se a casca (a semente é mais tóxica) como sedativo para ansiedade, tosse nervosa, agitação psicomotora e insônia; asma, bronquite, hepatite, gengivite, inflamações hepáticas e esplênicas, febres intermitentes.

Secar bem a casca (à sombra ou dentro de saco de papel) e transforme-a em pó. Coloque uma colher das de sobremesa do pó e coloque em uma xícara média. Adicione água fervente. Espere esfriar e beba antes de deitar, para insônia. Para os demais fins pode-se usar de 12 em 12 hs.
(fonte)"

Vou ver se experimento fazer o chá. Se descobrir como tirar as sementes, aceito encomendas. Hummm, acho que já sei a quem perguntar...

13 de dez de 2005

O véio Lua



"Bem que essa noite eu vi gente chegando
Eu vi sapo saltitando e ao longe
Ouvi o ronco alegre do trovão
Alguma coisa forte pra valer
Estava pra acontecer na região

Quando o galo cantou
Que o dia raiou
Eu imaginei
É que hoje é treze de dezembro
E a treze de dezembro nasceu nosso rei

O nosso rei do baião
A maior voz do sertão
Filho do sonho de Dom Sebastião
Como fruto do matrimônio do cometa Januário
Com a estrela Sant'Ana
Ao romper da era do Aquário
No cenário rico das terras de Exu
O mensageiro nu dos orixás

É desse treze de dezembro que eu me lembrarei
E sei que não esquecerei jamais
"
(Letra de Gilberto Gil / Canção do Mestre Luiz Gonzaga)

Mulungu para Vera

Cada vez mais sinto esta falta impressionante de uma câmera digital. Aiaiai, deixemos de choradeiras...

Achei duas fotos que podem retratar o mulungu, Vera.


a folha


a arvoré

Esta segunda foto foi o mais perto que consegui da árvore que tenho aqui na varanda. A folha é exatamente esta aí acima, mas a minha árvore cresceu de maneira bem diversa desta, não me pergunte porque. Sua copa é de galhos curvos, o que dá um sombreiro maravilhoso. Assim que der tiro uma foto decente e posto aqui.

11 de dez de 2005

De São Tomé a Noruega

"— Mangas compradas nos quintais ricos
do Espinheiro e dos Aflitos.
— Goiamuns dados pela gente pobre
da Avenida Sul e da Avenida Norte.
"
(Morte e Vida Severina - João Cabral de Melo Neto)

Uma Recife Desigual. Hoje, no Diário de Pernambuco. Uma pena que só para assinantes.

"O Recife é a segunda cidade brasileira a ter um levantamento completo das condições de vida de sua população, seguindo o exemplo do Rio de Janeiro. Neste aspecto, as duas pioneiras apresentam semelhanças nas suas mazelas. Possuem áreas onde a população de alto poder aquisitivo convive de perto com bolsões de pobreza. O medo faz com que o recifense rico passe a encarar o seu "primo pobre" não como um cidadão desfavorecido, mas como um usurpador de suas liberdades individuais. Ao invés de cobrar ações que diminuíssem a distância entre as classes sociais, o interesse imediato das elites é sempre de exigir o reforço do poder de polícia."


Mais cacetada:

Bairros e equivalência de IDH com países estrangeiros

BOA VIAGEM / PINA - 0,964 - Noruega
GRAÇAS / AFLITOS / DERBY / ESPINHEIRO - 0,953 - Noruega
CASA FORTE / PARNAMIRIM / JAQUEIRA / MONTEIRO - 0,933 - Japão
MADALENA / ILHA DO RETIRO / PRADO - 0,930 - Finlândia
CASA AMARELA / TAMARINEIRA - 0,918 - Nova Zelândia
BOA VISTA / ILHA DO LEITE / PAISSANDU - 0,917 - Nova Zelândia
ENCRUZILHADA / HIPÓDROMO / ROSARINHO / TORREÃO
0,917 - Nova Zelândia
TORRE / ZUMBI - 0,904 - Israel
IPSEP - 0,874 - Malta
IMBIRIBEIRA - 0,865 - Barbados
CORDEIRO - 0,864 - Barbados
VÁRZEA / CIDADE UNIVERSITÁRIA - 0,858 - Brunei
ENGº DO MEIO / CORDEIRO / IPUTINGA - 0,850 - República Checa
AFOGADOS / MUSTARDINHA / SAN MARTIN
0,817 - São Cristovão e Nevis
CAMPO GRANDE - 0,796 - Cuba
CASA AMARELA - 0,789 - Belarus
IPUTINGA/MADALENA / TORRE - 0,765 - Tailândia
IBURA - 0,750 - Cazaquistão
ALTO JOSÉ DO PINHO / MANGABEIRA - 0,742 - Jamaica
IBURA / JORDÃO - 0,737 - Paraguai
AFOGADOS - 0,736 - São Vicente e Granadinas
BRASÍLIA TEIMOSA / PINA - 0,735 - São Vicente e Granadinas
COHAB - 0,725 - China
IMBIRIBEIRA - 0,721 - Irã
BEBERIBE / LINHA DO TIRO - 0,719 - Irã
TORRÕES - 0,701- Moldova
ALTO J. BONIFÁCIO / MORRO CONCEIÇÃO - 0,700 - Moldova
RECIFE CENTRO - Zeis Coelhos / AP Comunidade Pilar
0,700 - Moldova
DOIS UNIDOS - Zeis: Dois Unidos e Linha do Tiro - 0,699 - Argélia
IPUTINGA - Zeis Vila União / AP Detran - 0,698 - Argélia
IBURA / JORDÃO - Zeis Ibura / Jordão - 0,695 - África do Sul
APIPUCOS / DOIS IRMÃOS / S. DOS PINTOS / GUABIRABA
0,691 - Síria
AREIAS - Zeis: Caçote, Beirinha, J.Uchôa e Rio/Iraque
0,686 - Indonésia
BARRO - Zeis Tejipió / Pacheco e Vila dos Milagres
0,668 - Tajiquistão
BREJOS: DA GUABIRABA e DE BEBERIBE - Zeis Casa Amarela
0,663 - Tajiquistão
SANTO AMARO - Zeis: Santo Amaro e João de Barros
0,658 - Mongólia
ILHA JOANA BEZERRA / SÃO JOSÉ - Zeis Coque
0,632 - São Tomé e Príncipe

Na madruga

Dona Adélia Prado, minha super poetisa, completará 70 anos no dia 13 de dezembro. Seu Lua, completaria 93, se vivo fosse. Grande data, tão grande que tenho medo de não conseguir postar aqui no dia!

-----------

Uma cacetada boa no Ministério Público. Leiam no site no minimo.

Apaixonei

Terra Brazilis de Sandra Chinelate. Tá nos links. Para quem não percebeu, é dela o tucano aí embaixo. Mais uma canja procês.


(Francesca e o Tédio)

As asas na poesia



"Quando ele aparece
bonito e mudo se posta
entre moitas de murici.
Faz alto-verão no corpo,
no tempo dilatado das resinas.
Como quem treina para ver a Deus,
olho a curva do lábio, a testa,
o nariz afrontoso.
Não se despede nunca.
Quando sai não vejo,
extenuada por tamanha abundância:
seus dedos com unhas: inacreditáveis !"
(Memória Amorosa - Adélia Prado)


(A idéia na imagem - Sandra Chinelate - é pura licença poética desta que vos fala!)

9 de dez de 2005

HP e o Cálice de Fogo



Não aborrecerei os leitores deste blog não-adeptos da pottermania com longos textos sobre o novo filme, como ano passado, até porque o post que escrevi para o Cozinha ficou imenso. Mas vão lá ler, né? Se já viram o filme, pois contêm spoilers!

Para chorar de rir

Um testezinho básico, aqui.

Não digo meu resultado, não digo, não digo, não digo.

Até o fim

JC - José Dirceu autoriza advogado a entrar com recurso contra cassação - Publicado em 08.12.2005, às 10h55

O deputado cassado José Dirceu (PT-SP) autorizou seu advogado a formular um novo recurso ao STF, para tentar reaver o mandato. Na entrevista que dera na semana passada, após a cassação, o ex-chefe da Casa Civil dissera que não recorreria mais ao Judiciário. Pois está a um passo de mudar de idéia.

Com o consentimento de Dirceu, o advogado José Luiz Oliveira Lima já contatou três juristas de renome. Os nomes são mantidos em sigilo. Redigirão pareceres sustentando a tese de que a sessão da Câmara que cassou Dirceu violou direitos constitucionais do ex-ministro.



Também no Blog do Josias, para não assinantes do JC (sem permalink, tsc tsc, vá até a data de 07/12).

8 de dez de 2005

Minha mãe, Minha rainha



8 de dezembro. Dia de Nossa Senhora da Conceição - Padroeira Madrinha do Recife


(Imagem do site Morro da Conceição - João Carlos Lacerda

6 de dez de 2005

Assim como os homens, estes pequenos seres...



Gosto de acordar e descobrir: é cedo. Ainda que nublado o dia, como hoje. Repete-se a meses; não me acostumei ainda, porém, ao ponto de não achar bonito, felizmente.

Só me aborrece, nas observações matinais, que os passarinhos me percebam e, por isto, não venham até o bebedouro de plástico que adorna meu terraço. Se deixo a varanda e me refugiu na sala, pronto, eles voltam (seria mais confortável não fossem tão ariscos os bichos, é certo). Aprecio a observação de suas estratégias de proteção e alcance d'água.

A "vigilância constante" do beija-flor me lembra, claro, certo personagem de tema fantástico, guardadas as devidas dessemelhanças físicas, decerto (quem sabe quem é, sabe... quem não sabe, paciência...). Ele - o bichinho, não o dito personagem - posta-se num galho a média distância, em guarda, a cabecinha miúda a girar em noventa graus de um lado a outro, asas a postos. Só muito raramente relaxa, limpando o peito claro com o bico.

Aproxima-se o pequeno sibito com que disputa território o majestoso pequeno, e se faz anunciar precocemente. Pia muito, o bobinho. Pulando entre os galhos do pé de mulungu, ele chega perigosamente a seu destino – no que é atacado com vigor pelo beija-flor. A esta altura, para mim, porém, o mais bonito já é o marginal. Quem chegou primeiro? Não sei. Ante a ferocidade que move o beija-flor, de fato, resta-me somente a torcida silenciosa pelo pássaro mais indefeso.

Apenas aparentemente mais indefeso, descubro no entanto, em pouco tempo, é o sibito. E sua arma, percebo, é a persistência: trata-se de um ser incansável. Vai chegando muito devagar, experimentando todos os caminhos. Pia muito, repito, e também traz seus colegas, às vezes, a depender da necessidade. Sai, mas volta. Não é apenas uma, ou duas, ou dez vezes. Resiste à fina e rápida garfada do beija-flor, e quando não dá mais, ele sai. Mas volta. Ah, disto estejam certos. Ele volta. Quer a água.

De repente, o sibito resolve peitar o beija-flor. "Vamos ver se cola", raciocina seu cerebrozinho de ave. Pousa em um galho entre a flor artificial e o adversário, plagiando a canção: "se você quer brigar, pode vir quente que estou fervendo!". Desta vez, o embate se completa, e os dois saem se embolando entre as folhas de verde maduro e galhos curvos. Un segundos e retorna a meu campo de visão, vitorioso, o pequeno sibito. À segura distância espiam seus comparsas, que nada custarão a aproximar-se, na mesma técnica do campeão, que também os repelirá a princípio, mas a pendenga decerto trará menor exaustão. Logo logo eles se confraternizam em torno do copo encarnado, sorvendo a conta-gotas o prêmio merecido...

O que é bom para o dono é bom para a voz...

Está tocando na cachola a dias...

"Até quem sabe a voz do dono
Gostava do dono da voz
Casal igual a nós, de entrega e de abandono
De guerra e paz, contras e prós

Fizeram bodas de acetato - de fato
Assim como os nossos avós
O dono prensa a voz, a voz resulta um prato
Que gira para todos nós

O dono andava com outras doses
A voz era de um dono só
Deus deu ao dono os dentes, Deus deu ao dono as nozes
Às vozes só deu seu dó
"
(Chico Buarque - "A voz do dono e o dono da voz")


Tudo aqui.

Com ela cantando aqui.

5 de dez de 2005

Dezembro corre como rio que nem quer saber da margem…
...quer é saber de desaguar no marzão do novo ano.

3 de dez de 2005

Link, só um

Paulo Mendes Campos foi quem traduziu as Crônicas de Nárnia - Vol. I, que estou lendo. De responsa... Ah, não deve dar tempo de ler tudo até o lançamento do filme . Será?
-----------------
Tem uma família de traças da qual toda noite um membro sai para fazer a ronda no meu banheiro. Toda noite mato uma. Ê, familiazona...
-----------------
Muito engraçada essa mania das pessoas em blogs fazerem festas para seus leitores. Cola-se fotos de comidas de festas, decorações de festas, dancings, e afins - resumindo, o diabo a quatro. Engraçada e doida esquisitice. Psicólogos e psiquiatras devem fazer a festa com os blogueios, hein? Eu, como boa doida que sou, qualquer dia de paciência faço uma (festa) aqui.
-----------------
Um leilão em antigo casarão paulista rolou no dia 16. Eu iria, se lá estivesse, só para ver tudo e comprar nada, hahahahah...
-----------------
"As minhas, são todas inventadas"
(Chico Buarque, sobre os nomes das mulheres em suas canções e a possibilidade de serem biográficas)

Eu acredito.

Para ver as meninas II

Queridinhas da mamãe em votação no prêmio (gente, até 10 minutos atrás eu nem sabia que isso existia na blogosfera...) lá no Spoiler:

Lu.
Rosana.
Vera.

Ê mulherio virado!!!!!!!!!
Votemos, povo, aqui não tem mensalão!!!!!!
A partir do dia 4!

30 de nov de 2005

MM

Escutando Marisa Monte. A pedidos.

"Silêncio por favor
Enquanto esqueço um pouco
a dor no peito
Não diga nada
sobre meus defeitos
E não me lembro mais
quem me deixou assim

Hoje eu quero apenas
Uma pausa de mil compassos
Para ver as meninas
E nada mais nos braços
Só este amor
assim descontraído

Quem sabe de tudo não fale
Quem não sabe nada se cale
Se for preciso eu repito
Porque hoje eu vou fazer
Ao meu jeito eu vou fazer
Um samba sobre o infinito
"
(Para ver as meninas - Paulinho da Viola)

Ela e eles


ELA: Aninha, Bate-bate, Birinaite, Branquinha, Cana, Cachaça, Cem Virtudes, Crua, Cura-tudo, Danada, Dindinha, Dormideira, Elixir, Friinha, Lamparina, Mangaba, Negrita, Otin(em nagô), Patrícia, Purinha, Rija (Portugal!), Tódi-de-garrafa, Traço (a que se toma de uma vez), Tubo (garrafa de bebida alcoólica)

Eles : Cachaceiro, Caneiro, Cu-de-cana, Pé-de-cana, Timbu

Eles com Ela: Alumiar as idéias, beber o mijo (oferta de trago aos amigos por ocasião do nascimento do filho ainda pagão), engolir água, puxar fogo, tomar uma, verniz (estado de embriaguez).

Direto do Dicionário Folclórico da Cachaça (Mário Souto Maior – 1920 – Ed. 1980) – Sem link: uma relíquia que não se acha no Submarino.


“Se o velho bebe cachaça
o filho bebe é branquinha
para não ficar ardosa
bota mel, faz meladinha
sai com as pernas traçando
como quem traça bainha.”
(Aderaldo Ferreira de Araújo – Cego Aderaldo)

29 de nov de 2005

A família aumenta

De cor e salteado




"...Tua graça caminha pela casa.
Moves-te blindada em abstrações. Como um T. Trazes
A cabeça enterrada nos ombros qual escura
Rosa sem haste. És tão profundamente
Que irrelevas as coisas mesmo de pensamento.
A cadeira é cadeira e o quadro é quadro
Porque te participam. Fora, o jardim
Modesto como tu, murcha em antúrios
A tua ausência. As folhas te outonam, a grama te
Quer. És vegetal, amiga...
Amiga! Direi baixo teu nome
Não ao rádio ou ao espelho, mas à porta
Que te emoldura fatigada, e ao
Corredor que pára
Para te andar adunca, inutilmente
Rápida. Vazia a casa
Raios, no entanto, desse olhar sobejo
Oblíquos cristalizam tua ausência.
Vejo-te em cada prisma, refletindo
Diagonalmente a múltipla esperança
E te amo, e te venero, e te idolatro
Numa perplexidade de criança.
"
(Conjugação do Ausente - Vinícius de Moraes)


Acordar pensando num poeta é sempre bom demais da conta. Viram já o documentário sobre ele? Está na lista.



Vai aí uma pessoa abusada?

Bosta. Eu digo "BOSTA". O papel com o post que ia estar aqui agora não chegou a seu destino. BOSTA!!!!!!!

27 de nov de 2005

Pânico na TV, e no gramado também

Não sou e nunca fui uma sedenta por sangue; fiquei, porém, deveras decepcionada por não haver sido mostrada a cena de pugilato do Netinho no Vesgo, no Pânico, esta noite. Foi pesado assim? Ah, tá, paz é ótimo. Mas justiça e verdade também. Aguardo os acontecimentos. Espero que não seja parte de alguma espécie de acordo... Acordos são ótimos, mas sabe? Não se dá asa a cobra.

Colo aqui o post que a Rosana fez sobre o assunto em seu blog, sobre a PAZ. Tá colado. Mas continuo dissendo, PAZ é ótimo, Justiça e Verdade também.

-------------

E já que o assunto é violência, paz e afins: não sabem como fiquei triste com a derrota sofrida pelo meu time ontem. Não fui ao campo, mas estava bem perto, assistindo toda a movimentação do alto de um prédio próximo ao estádio. E claro, acompanhando tudo na telinha. Não acreditei no que vi: não só nas melecas que o meu time fez (ou melhor, nos acertos que não cometeu, perdendo dois pênaltis e deixando o Grêmio fazer o gol da vitória com três jogadores a menos em campo), ou nas que o juiz fez, mas principalmente na atitude dos jogadores do Grêmio ameaçando e atacando o juiz, impedindo por longos minutos a continuidade do jogo, cavando o chão no local em que seria colocada a bola para que fosse batido o pênalti. E esse povo ainda é vangloriado pela raça e garra com que concluiram a partida. Desculpem, sou suspeita para falar, mas o fato é que aquilo que assisti foram cenas vergonhosas.

Terrinha sem lei essa dos campos de futebol. Dá um grande desgosto ver como se transforma algo forte e poderoso que possuímos em pura titica de galinha...

E tem mais: a torcida não se alterou. Saiu em silêncio quando o segundo pênalti foi perdido. Cheguei a ver o ônibus do Grêmio ser aplaudido por alguns alvi-rubros, obviamente uma consequência à frustração pela derrota, mas ainda uma atitude louvável. Por outro lado, o time vencedor teve um de seus torcedores envolvido em uma tentativa de invasão ao campo. Depois disso, ainda preciso ouvir um comentarista esportivo imbecil, mal informado, provavelmente tendencioso, na televisão, metendo o cacete no homem que estava próximo à cena, supostamente um jornalista, que impediu o avanço do invasor. Ninguém merece...

26 de nov de 2005

Duas músicas .. e mais música

Era para ser dois posts. Mas a carroça tá com tudo. Ou melhor, não tá com nada.

.
.
.


A primeira sempre considerei bem imbecil. Música de novela, daquelas que te enfiam goela abaixo, ouve ou morre (se bem que a trilha da novela nova das oito já me rendeu boas surpresas). Insuportável. Até aqui. Pois vendo a moça ao violão, tão bela e desprendida, voz tão "encantante", "enxerguei" a canção. Conclusões :
-acústico é tudo de bom;
-como a mídia consegue estragar tanto a imagem de alguém a ponto de nunca se querer conhecer seu trabalho.

A parte engraçada: eu a vi zapeando na TV e curiosamente ela cantava no encerramento de um programa da Igreja Universal, acreditem se quiser. Ela é crente, é? Se é, sabia não...

A moça. Shania Twain (nome feio, moça bonita).



A canção

----------

A segunda, uma velha conhecida. Sempre boa e mágica. Salve, Eric Clapton (você ainda lembra?).

"I must be invisible;
No one knows me.
I have crawled down dead-end streets
On my hands and knees.

I was born with a ragin' thirst,
A hunger to be free,
But I've learned through the years.
Don't encourage me.

'Cause I'm a lonely stranger here,
Well beyond my day.
And I don't know what's goin' on,
So I'll be on my way.

When I walk, stay behind;
Don't get close to me,
'Cause it's sure to end in tears,
So just let me be.

Some will say that I'm no good;
Maybe I agree.
Take a look then walk away.
That's all right with me.
"
(Lonely Stranger - Eric Clapton)

----------

Descobri no Orkut: site da Lucina, Música sob Encomenda. Você pede, ela faz a música. Tá lá:

"Acostumada e escolada na prática da música por encomenda para publicidade, a cantora e compositora Lucina se lança no desafio de fazer a trilha sonora de sua vida.

Nascimento de um filho, aniversário de uma pessoa querida, comemorações, datas especiais ou qualquer momento desses únicos que merecem ficar guardados para sempre. Basta dar o tema e as informações que, em um passe de mágica, Lucina transforma em uma música exclusiva para você e quem você ama.

Você também pode mandar os poemas que escreve há tanto tempo e deixa na gaveta. Lucina faz a música transforma na mais pedida na sua roda de amigos.

Encomende a sua música e dê um presente original e inesquecível. Com certeza você vai fazer sucesso.

A música pode ser entregue por e-mail nos formatos mp3 ou pps (com direito a fotos ilustrativas), ou ainda por correio em um CD gravado exclusivamente para você. "


Não é legal? Na página, tem mp3´s de alguns trabalhos da Lucina desse tipo...

25 de nov de 2005

Hpzices

Estava até tudo calmo, até ver a foto aí abaixo



Súbito, deu-se o princípio daquela coceira insuportável no recanto potteriano do meu cérebro.

Não sei como aguentarei até o início da semana, quando planejo ir a um dos quinze cinemas que estão exibindo o filme - um recorde na minha cidade, estou certa). Pior que será uma semana daquelas, não faço a menor idéia se vai dar (vai ter que dar).

Aqui, Lord Voldemort em alta resolução. Fantástico.

Primeiras do dia

JC - Juiz manda reduzir passagens no Grande Recife

O juiz da 7ª Vara da Fazenda Pública, José Viana Ulisses Filho, concedeu liminar, no fim da tarde desta quinta-feira, suspendendo o aumento de 9,55% das passagens de ônibus do Grande Recife, em vigor há 12 dias. Se não cumprir a determinação, a Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos (EMTU) pagará multa diária de R$ 100 mil.

A medida só será aplicada quando a empresa for notificada, o que deverá ocorrer nesta sexta. A determinação, no entanto, não deve animar os 1,8 milhão de passageiros do Grande Recife porque, em 2003 e no ano passado, a Justiça também concedeu liminares cancelando a majoração das tarifas, que depois foram derrubadas.



Como diz a reportagem, toda ano está sendo a mesma novela, essa questão do aumento das passagens. Dessa vez, porém, o bicho pegou nas ruas. Os estudantes fizeram protestos desde sexta passada. Eficientes os movimentos, conseguiram literalmente paralisar a cidade com a estratégia de fechar vias importantes do trânsito, às vezes centrais, noutras em bairros descentralizados mas importantes. Eu os vi de perto na quarta-feira. Fico um pouco pasma quando vejo-os sendo ditos baderneiros, porque no fundo os acho corajosos. A OAB se juntou a eles, eis aí um pequeno, ainda que frágil, resultado. Vamos ver como fica...

--------

Essa não é de hoje, mas vá lá. O repórter Vesgo (de quem sou fã, confesso, e que se chama Rodrigo Scarpa, acabo de descobrir) levou umas chapuletadas do Netinho, deu na Rosana (voltou!). Foi registrado B.O. na 36ª DP. Gente, onde isso vai parar? Sei não... Esse menino, aiaiai...

Ah, vai estar no Pânico, domingo...

--------

Não vou ver Harry Potter, amanhã. Jogão final da Série B...

Um post não mais perdido

"Quando chego ao último nível, procuro um bem-estar que não vem".

Madalena repetiu a frase mentalmente, debruçada sobre sua solidão. Restava-lhe pouco a realizar agora, dentro de seu ritual contínuo de dor. Desejar ser outra pessoa. Aguardar. Ouvir os sons que a cercavam, distantes. Carros, alguns. Vozes dos passantes. Crianças no quarto. Passos que correm. Televisão. Alguma música inteligível.

O desejo de ser completa por si mesma persistindo em estar. A necessidade alheia pairando sua atmosfera. Mesmo do desejo de nada ser não dispor. Necessitar estar viva, necessitar estar bem. Necessitar aguardar. Necessitar estar a postos.

Ainda ontem foi lhe dito: precisa achar como soltar os podres. Os males. Os bichos, as mágoas. Mas renega a capacidade masculina de recompor-se. Junto à mesa, às garrafas, às conversas, sempres as mesmas. Breve irá erguer-se, sonambulamente caminhar a casa, como se se tivessem apagado as luzes. Mecânica e monotóna cumprir seus ritos, dos quais se exaure.

Há dores profundíssimas porém, extensíssimas.

"Sou um barco sem rumo que navega um mar de sofrimento. Nestes longos meses, fui descascando como uma cebola, camada após camada, mudando, deixei de ser a mulher que era, minha filha me deu a oportunidade de olhar para dentro e descobrir os espaços interiores, grandes vazios escuros e estranhamente aprazíveis, que eu nunca havia explorado. São lugares sagrados e, para atingi-los, preciso percorrer um caminho estreito e cheio de obstáculos, vencer as feras da imaginação que saltam diante de mim. Quando o terror me paralisa, fecho os olhos e abandono, com a sensação de submergir em águas agitadas, por entre os golpes furiosos das ondas. Acho que estou morrendo entre instantes que, na verdade, são eternos, mas pouco a pouco percebo que continou viva apesar de tudo, porque, no torvelinho feroz, há um resquício de misericórdia que me permite respirar. Deixo-me arrastar sem opor resistência e, aos poucos, o medo retrocede. Flutuando, penetro uma gruta submarina e lá descanso por algum tempo, a salvo dos dragões das desgraças. Choro em soluçar, perdida por dentro, como talvez chorem os bichos, mas nessa altura o sol acaba de surgir e a gata se aproxima, pedindo comida." (In Paula”, Isabel Allende)


-------------

Isto está desde abril no computador, acreditam? Ê, lêlê...

23 de nov de 2005

Cuidado...

... todos os blogs do Blogger.com(extensão "blogspot.com") que frequento estão direcionando para páginas altamente suspeitas quando se erra a digitação eliminando o "g" ("blospot.com"). Só descobri porque foi exatamente o que aconteceu comigo... Portanto fiquem de olho...

Aos Filhos de Sagitário



Era claro e sábio
Era manso, metade animal
E livre como ancião
Que já não teme o final
E eu amava, amava
Adormecia com gosto de sal na boca
E amava assim
Com a devoção natural
Dos deuses, dos animais
Ah! quanto tempo atrás
Ah! quantas noites passei
A galopar em você
Doce centauro, amo você
Doce centauro ...

(Oswaldo Montenegro - do musical A Dança dos Signos)


Esse (post) é para todos os sagitarianos (22/11 a 21/12), mais especialmente porém para meu queridíssimo amigo que está além-mar e é quase um capricorniano! Lula!
Sabe aquela frase em que os pacientes pensam quando estão em fila? "Se demorar eu espero". Eu diante desta carroça, aguardando a conclusão do último post e pensando em uma versão dela: "Se demorar eu me cago". (desculpem tanta escatalogia e mau-gosto, não pude resistir).

---------

Update - Me recuso a acreditar que postei isso, aijisus...

"Hoje eu sonhei contigo e caí da cama"

Sonhei com um comercial da Credicard.

No dia de seu aniversário, o pai está no metrô com o menino. A frase: "Passagem do metrô: um real e pouco".O garoto ia ganhar um presente de aniversário, tá feliz, correndo, com um cartão de crédito na mão. "Limite para o presente: tantos reais". Súbito, o menino faz algo que não devia, o pai fica sério, carrancudo, pede o cartão de volta. O menino entrega, com ar triste. Mas é só uma brincadeira. O pai faz de conta que vai guardar o cartão na carteira e de repente abre um sorriso, coloca o cartão no bolso do menino. Que sai correndo.

Numa outra cena, a câmera tem o ponto de vista do pai, do lado de fora do metrô, caminhando, acompanhando o menino, que está dentro do veículo. O metrô começa a andar e de repente o pai vê espantado dentro do metrô homens do tempo das cavernas. "Entrar dentro do sonho do seu filho: não tem preço".

------------

Achei o mote bom, mas ... o fato é que não deixava nunca minha filha seguir sozinha no metrô, nem que fosse em sonho, e não sou a única. Vão ter que mudar essa parte, penso, ;-)... E o "pequeno" detalhe de que não se compra passagem de metrô com Credicard, quáquáráquáquá...

------------

Frase do título: daqui.

------------

Porreta essa campanha da Credicard, antes que eu esqueça...

20 de nov de 2005

Voltem!!!!!!

A Rosana deu um tempo.
O Marcelo também.
E a blogosfera está em polvorosa...

Vovó

"Pr'algumas pessoas
o tempo tá no seu lugar
Pr'algumas pessoas é cedo
"
(O Vento Frio da Infância – Oswaldo Montenegro)



Foi a primeira coisa em que pensei hoje ao acordar.

Ela gostava de cinema.
Levava mamãe para ver bang-bangs nas matinês. Faz cinquenta anos.
Sabia costurar. Muito bem. (O que me lembra o lindo vestido que mamãe me fez um dia e que jamais esquecerei.)
Era bela, é com ela que Gabi parece.
Chamava meu pai de branco (sempre ríamos muito disso ao contarmo-nos). Faz quarenta anos.

Tinha Susana, pendurada na parede.
Era Susana que batia nas crianças, não ela, provavelmente.
Gostava de frevo, de carnaval. Isto, sei de onde veio. Gostava de dançar.
Uma vez, enlouqueceu. Foi só uma, que a gente saiba.
Um dia, ele foi embora. Ela também foi, depois. Daí, não voltou mais.
Aqui não era seu lugar - boas razões, decerto.
As dele também, talvez - não se pode saber. Nem ela pôde.

Não era para que eu soubesse muito bem o significado da palavra avó, mas sei.
Não foi ela ou outra que ensinou, mas eu sei. Estranhamente.
(Quanta besteira, sei quem ensinou.)
E sei também quem ela foi. Mal a conheci, mas é assim.

Eu a vi apenas uma vez, de plena e sã consciência.
Em criança, não conta, nada vem.
Ela me pareceu trêmula, frágil, esperançosa.
Cabelo, pele, muito brancas.
Eu me senti estranha. Não nos conectamos, nem havia como.
A sensação de perda é real, porém. Está aqui.

Que a viagem seja boa, sem trepidações. "Termina na hora de recomeçar, dobra na esquina no mesmo lugar."





"Dança na sombra da lua
por trás pula atrás do luar
como pula o peixe quando entra numa
pula pula pula no mar
Dança na sombra da lua
tua lua pula e atua
como a tua lua muda de rua
quando tua rua vai despertar
Dança na sombra da lua
que a lua assim vai dançar
na tua sombra, na sombra da lua
que a rua tirou pra dançar"
(Sombra da Lua - José Alexandre/Oswaldo Montenegro)

18 de nov de 2005

I can't stand the rain

"Destination anywhere
East or West, I don’t care
"

(Alguém aí já sentiu que não consegue se livrar de algo que vai, vem; vem e volta?)

(Trilha sonora : The Commitments - prá se lascar de boa). Algumas letras aqui. Ou essa aqui...



"- Ô mãe, então me ilumina, me diz como é que termina?
- Termina na hora de recomeçar, dobra uma esquina no mesmolugar.
Prepara e bota na mesa com todo o paladar
Depois, acende outro fogo, deixa tudo queimar
"
(Feminina - também da Joyce)

17 de nov de 2005

Aos Filhos de Escorpião

É o reino da força
Vermelho é a cor do teu coração
Ferro em brasa na casa da morte
É o escorpião
A força criadora que habita o mundo
O animal da auto-regeneração
O homem que renova, signo fecundo
O fim planta o início
É a transmutação
Cabala do grande sinal
Cabala da força do ....

(Oswaldo Montenegro - do musical A Dança dos Signos)



Os amiguinhos blogueiros se habilitem e confessem sua astrologia!

Lindinho da mamãe

Eu tenho medo desses bichinhos de computador, mas foi a minha mana, que não é mais blogueira (parece) que mandou, e ele é tão bonitinho, e me lembrou tanto o Dumbledore que vou arriscar a mandar para vocês. Cliquem no link abaixo, por própria conta e risco, que nem que eu!

Aqui.

Tvzices

Dona Xuxa, manhã dessa, num momento inédito de bobeira meu diante da tv dia de semana: "GE-O-GRA-FiA (e aponta para o nome embaixo dela). Quando a gente fala em geografia, a gente lembra de mapas, de divisão de territórios. Mas o que a gente não deve esquecer é que quando a gente ama, não existe divisão de territórios. Haviam duas gêmeas que foram separadas...”. E tasca a contar uma historinha.

Quase esgano a televisão, fiquei besta. Isso é o que se chama deseducação, né? Ou, na melhor das hipóteses: ô textinho mal escrito, sô! Se tivesse como, eu bania Dona Xuxa da programação matinal da filhota... Aguardo dicas...

--------------

Eu soube só agora na Vera que a RedeTV tinha saído do ar. E foi por isto. Ô praga, esse João Kléber...

-------------

Folha Online - Tom e Chico Anysio fazem show juntos

"Os humoristas cearenses Chico Anysio, 74, e Tom Cavalcante, 43, estréiam o primeiro show juntos no palco do Olympia, em São Paulo.

Nos dias 26 e 27 deste mês, eles apresentam o espetáculo batizado de "Chico.Tom". Depois, vão percorrer outras grandes cidades.
"

Amiguinhos de novo, hein?

O dia

Copiazinha fuleira: foi o que achei da "versão do trio norte-americano Flaming Lips para a música 'Bohemian Rhapsody', clássico do grupo inglês Queen." Na tela inicial da Rádio UOL (ao lado) tem link para ouvir. Prefiro, porém, ouvir o original.

-----------

Jornal do Commercio - Cozinheiros tinham doença na pele

"Exames detectaram fungo na unha, verruga ou lesão de catapora em cicatrização em 5 funcionários da cozinha do Hotel Blue Tree Park

Exames médicos feitos pela Secretaria de Saúde do Cabo de Santo Agostinho detectaram problemas na pele de cinco cozinheiros e auxiliares do Hotel Blue Tree Park, alvo de investigação sobre um surto de infecção intestinal que pode ter atingido mais de cem pessoas e provocado a morte de uma menina de nove anos. Segundo o secretário de Saúde do Cabo, Antônio Carlos Cabral, dois trabalhadores tinham fungo nas unhas e um apresentava lesões de catapora em cicatrização. Verruga e ferida foram encontradas na mão de outros dois.
“Não podemos dizer que há associação entre esses problemas e o surto”, enfatizou o secretário. Mas, segundo ele, os funcionários portadores dos problemas detectados não podiam trabalhar na cozinha, mesmo se estivessem usando luvas. O exame clínico foi realizado em 59 pessoas, por um médico da Prefeitura do Cabo. A Secretaria Municipal de Saúde aguarda, ainda, resultado de exames laboratoriais que estão sendo realizados em secreções do nariz e garganta dos trabalhadores que atuavam na manipulação de alimentos do Blue Tree
".

Do JC. Que nojo! Granfininho mas ordinário!

-----------

O assassino de Lennon fala. Aqui.

-----------

"E aí dá para sentir como um bom ator faz mesmo diferença no elenco. Ralph Fiennes como Lorde Voldemort é assustador. Preste atenção aos olhos, que hipnotizam a gente e nos levam para a mente de uma criatura do mal. Lembra de Hannibal Lecter? Quase... mesmo quando ele sai de cena e você sente um certo alívio, fica a impressão de que você gostaria de sentir aquele frisson de novo, só para saber se o sujeito é mesmo tudo aquilo... - Soraia Yoshida escreve sobre HP e o Cálice de Fogo lá no Omelete. Fiquei me coçando, juro...

16 de nov de 2005

Tocando na cachola...

"Ai, ai o mato, o cheiro,o céu
O rouxinol no meio do Brasil
O Uirapuru canta prá mim
E eu sou feliz
Só por poder ser
Só por ser de manhã, manhã, manhã
Manhã, manhã
Nessa clareira o Sol
Se despe feito brincadeira
Envolve quente a todo ser vivente



Taperebá
Canela, tapinhoã, nã nã nã nã
Não faço nada
Que perturbe a doida a louca passarada
Ou iniba qualquer planta dormideira
Ou assuste as guaribas na aroeira
Em contra-ponto com pardais urbanos
Tão felizes soltos dentro dos meus planos
Mais boquiabertos que os meus vinte anos
Indóceis e livres como eu"

(Cheiro de Mato - Fátima Guedes)

13 de nov de 2005

Já?

Já viram o post-presente meu lá na Lu? Não? Vão ver!!!!

10 de nov de 2005

Sempre o primeiro

MSN - Obra solo de Lennon será oferecida para download

LOS ANGELES (Reuters) - Todo a obra individual de John Lennon poderá ser baixada na Internet a partir de dezembro, o que o torna o primeiro ex-Beatle a ter na rede todas as suas músicas compostas fora do grupo, disse sua gravadora na quarta-feira.

O material vai do primeiro disco solo, com a banda Plastic Ono, até canções como "Imagine" e "Double Fantasy". Elas serão vendidas por serviços como Napster, Rhapsody, MSN Music e Yahoo Music Unlimited, segundo a EMI Music.



Eu fico mesmo emocionada com essas notícias, e vocês?

De encantar

O livro me chegou às mãos assim: a menina ganhou como prêmio, num concurso de redação de uma pequena e boa livraria da cidade, quase uma versão tupiniquim, (piorada, obviamente) daquela de que Meg Ryan é dona em Mensagem para Você. Especializada em literatura infantil. Só mesmo lá uma leiga como eu poderia descobrir Regina Machado. A escritora, não a cantora - sim, há uma Regina Machado cantora, com página no Uol e tudo mais. Não é dela que estou falando. É da escritora e contadora de histórias Regina Machado, não esquece.

Difícil encontrar um bom link que conte quem é Regina Machado. O mais próximo a que cheguei foi este aqui. Regina é pesquisadora da USP, e desenvolve um trabalho sobre narração literária e a oralidade como instrumentos pedagógicos. Do Estadão:

"No Brasil, essa retomada (da prática da contação de histórias) começou há cerca de 15 anos. Uma mescla entre teatro e literatura, o hábito de contar histórias ia perdendo força, a não ser por iniciativas individuais e excepcionais de pais e educadores.

A contadora pesquisadora, escritora e professora Regina Machado é talvez a maior responsável pela volta dessas tradições no Brasil. No começo da década de 80, ela decidiu pesquisar a narração literária e a oralidade como instrumentos pedagógicos. "Havia informações de que assim a aprendizagem da criança funcionava melhor, e quis saber o porquê", confessa.

Sem fazer propaganda alguma - só no boca-a-boca -, acabou sendo requisitada por diversas escolas, livrarias e empresas. Continuou suas pesquisas, e passou a fazer oficinas na capital e interior. Acumulou nesses 15 anos um repertório com mais de 200 histórias e ajudou a formar dezenas de grupos de contadores pelo estado.
"

E afinal, o livro. A Formiga Aurélia e Outro Jeitos de Ver o Mundo, da Companhia das Letrinhas. São lindos contos que nos lembram as histórias orientais das Mil e uma Noites, possivelmente. Temas universais vêm a baila numa linguagem simples, que encanta gente nova e gente velha, uma delícia. "Zabeidas, trolas, pimoras, gripas" nos fala das diferenças e do respeito à cultura alheia. "O Alfaiate Desatento" também, e de forma mais tocante. Deixa o pessoal da FNAC falar que é melhor:

"Nada é fácil nas histórias recontadas por Regina Machado. Elas têm sempre um enredo intrigante e um desfecho surpreendente (em vários sentidos), além daquilo que costumamos chamar de “moral da história”. Mas, graças ao vínculo estreito que mantêm com a sabedoria do mundo tradicional, parece de certo modo que elas nunca são contadas até o fim. Como matéria de reflexão sobre a condição humana — mesmo para crianças —, elas não se esgotam. Podem sempre ser ouvidas mais uma vez."

9 de nov de 2005

Pernambucanidades

Prá conhecer Recife: seus bairros.

--------

Folha de Pernambuco - João Grilo, Chicó, o gato que defeca dinheiro, o enterro do cachorro em Latim, o julgamento no céu e Jesus Cristo negro. Quem não se lembra desses personagens apresentados tanto em teatro, quanto na televisão? Foram versões desta importante peça pernambucana, que completa, em 2005, meio século de existência.

Há 50 anos, Ariano Suassuna terminava de escrever sua aclamada peça “O Auto da Compadecida” e, para celebrar este aniversário, chega às livrarias uma edição comemorativa, revisada pelo autor, com ilustrações de Manuel Dantas Suassuna e textos de Bráulio Tavares, Carlos Newton Júnior e Raimundo Carrero.



Mais de Ariano aqui: uma entrevista.

--------

Filmes: A Máquina e Cidade Baixa premiados. Ainda não vi nenhum. Entretanto assisti Garrincha, a Estrela Solitária (o que não tem nada a ver com coisas de Pernambuco, mas tudo bem), e gostei. Falaram bem mal dele quando do lançamento, salvo engano, achei porém um bom filme.

--------

Update - Para explorar : Memorial Pernambuco. "O nosso portal Memorial Pernambuco será lançado oficialmente para a imprensa e autoridades culturais, no dia 18 de novembro, sexta feira, 19 horas, na Livraria Cultural no Paço Alfândega, Bairro de Santo Antonio (Recife Antigo), Recife, Pernambuco. Desde já estamos convidando os internautas a prestigiarem o Memorial, com as suas presenças."

8 de nov de 2005

Hpzices

A filha de Madonna é fã.

Tinha um dragão de fogo na festa de lançamento do filme, ontem.

Tem vídeo da festa aqui, a Lu disse.

O mundo não é nosso, é deles, dos bichinhos

Uia a gripe aviária aí, gente:

Diário de Pernambuco - Aves podem traz gripe aviária para Noronha - Cerca de 300 mil aves devem migrar para o arquipélago de Fernando de Noronha até o final de fevereiro e podem trazer para a ilha a gripe aviária que este ano se propagou por grande parte da Ásia.

A única preocupação dos biólogos é apenas com uma única espécie de garça que pode transmitir a doença. Os outros pássaros não são temidos porque estão no local há mais de 50 anos.

O Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) aconselha manter distância das aves.

Segundo especialistas, a gripe aviária poderá ser a próxima pandemia de gripe nos humanos, que poderia afetar até 30% da população mundial.



Quem não vai gostar nem um pouco dessa são os ilhéus e a indústria do turismo do paraíso...


-----------


Não contei aqui a minha epopéia outro dia para obter uma vacina para a Meningite C para a filhota, na mesma semana em que aconteceu uma morte de uma criança desta doença aqui em Recife. O menino estudava numa escola bem próxima daquela onde a filhota estuda. Deu um aperreio-de-mãe em mim no dia que descobri que ela não tomara essa vacina e corri para fazê-lo, para isso passei uma manhã numa confusão de filas e senhas. A Meningite C não está no calendário oficial de vacinação do Ministério da Saúde; o mesmo diz que não há situação de alarme e por tal razão não promove vacinação em massa aqui na região; e por ser uma vacina cara (na faixa de R$ 140,00 a R$ 170,00), muitos médicos não orientam os pais a vacinar os filhos. A pediatra me disse que só tinha surto dessa doença no Sudeste, mas juro que meu coração materno essa parte não conseguiu entender.

Tudo isso para contar que ontem de tarde vieram me dizer que tinha havido outra morte de Meningite C, de uma menina, filha de um juiz, que estava num hotel chiquerrérrimo do nosso litoral Sul, o Blue Tree Park. Ora, o caso do garoto que morreu se deu justo após o passeio que o mesmo fizera num grupo da escola a uma praia da mesma região, a badaladíssima Porto de Galinhas. Link aqui, pena que só para assinantes.

À noite abro a pasta escolar da filhota e leio um bilhete: a menina que morreu é de lá de sua escola, está na 3ª série da tarde (a filhota da 1ª, da tarde também). Desespero total momentâneo. Só depois me lembrei que ela já tomara a vacina, ê bicho sem tino é a tal da mãe, sô... E li o bilhete, falando que a causa da morte foi infecção alimentar.

E agora, leio no Diário de Pernambuco. Colo tudo para os não-assinantes também lerem:

Vigilância investiga morte de menina - Mistério// Vítima estava hospedada no Blue Tree Park, onde 15 participantes de um encontro de magistrados também passaram mal.


Uma menina de nove anos, filha de dois juízes estaduais, morreu ontem no Recife depois de apresentar sintomas de gastroenterite. Há suspeitas de que a garota, que acompanhou os pais em um congresso realizado da quinta-feira até o domingo passados no Hotel Blue Tree Park, no Cabo de Santo Agostinho, tenha contraído uma infecção por meio do consumo de alimentos contaminados servidos durante o evento.

Além dela, pelo menos outros 15 participantes do encontro, promovido pela Associação dos Magistrados de Pernambuco (Amepe), também foram atendidos pela equipe médica do evento com os mesmos sintomas da menina, levada ao Hospital Memorial São José, no Recife, com queixas de febre, vômitos e diarréia. Cerca de 600 pessoas, entre juízes e acompanhantes, ficaram hospedadas no hotel.

O número de congressistas que passaram mal, no entanto, pode ser maior, já que muitos deles, como o próprio presidente da Amepe, Mozart Valadares, sentiram os sintomas mas não chegaram a procurar ajuda médica.

De acordo com a plantonista da UTI pediátrica do Memorial, Sandra Gouveia, a menina deu entrada com um quadro de desidratação, mas sem gravidade aparente. "Ela chegou falando e andando, apresentando um estado geral geral bom, e ficou internada tomando soro. Mas poucas horas depois a situação da paciente se agravou e, mesmo com todas as manobras, ela foi a óbito". Todo o atendimento foi acompanhado pelo tio da garota, que é médico. Pelo relato da família à equipe do hospital, a criança apresentava febre havia 24 horas e, na manhã do domingo, começou a se queixar de vômitos e diarréia.

Rotavírus - Segundo Sandra, os sintomas eram sugestivos de gastroenterite, mas é impossível afirmar somente com os critérios clínicos se a doença foi originada em alimentos contaminados. "Alguns vírus, como o rotavírus, podem causar um quadro clínico semelhante". De acordo com a certidão emitida pelo hospital, a causa da morte foi um choque séptico provocado por uma infecção generalizada. A hipótese de meningite meningocócica foi descartada.

Diante da morte da menina e dos sintomas referidos pelos participantes do congresso que também passaram mal, as vigilâncias sanitárias do Recife e do Cabo foram acionadas e estiveram ontem no hotel. Durante a inspeção, de acordo com o secretário de Saúde do Cabo, Antônio Carlos Cabral, foram recolhidas para análises amostras de todos os alimentos e da água servida aos congressistas.

Para a diretora da Vigilância Sanitária do Recife, Adeílza Ferraz, a principal hipótese é de intoxicação alimentar. "Provavelmente trata-se de um surto provocado pela bactéria shiguella, mas também existe a possibilidade de contaminação pelo rotavírus. A gerência do Blue Tree Park disse que só vai se pronunciar depois da conclusão do relatório da Vigilância Sanitária.

6 de nov de 2005

Cousas de doudo

Sentir cheiros estranhos e sem sentido sempre que me assento no micro: de doce cozinhando, agora, fim de tarde de domingo. De abacaxi, de madrugada. Outro dia foi de melancia (tem tubarão na praia? Não moro na beira-mar!!!!), não lembro a hora. Well, o facto é que aqui em cima e embaixo não tem cozinha, e fim de papo. Já inventaram blog aromatizado e num tô sabendo, por acaso?

Não, hoje, definitivamente tem alguém cozinhando doce no fim da tarde de domingo. Definitivamente não sou a única douda da vizinhança. Menos mal.

----------

Ficar ouvindo de longe Pânico na TV e sair correndo prumode ver o Vesgo.

----------

Não saber responder prá filha se a "Casas Bahia" fica na Bahia.

----------

Imprimir o Drops da Fal prumode ler seu resumo dum capítulo da novela. A propósito, antes que a carroça emperre (nada a ver com "cousa de doudo", pelamordeus):



Precisa falar mais alguma coisa?

Update - Se num quer se mijar de rir, num vai lá na Fal, quem avisa amigo é, tô avisando... Tá dando de cacete no Pânico. Agora 'xo correr pro banheiro, ê micrinho lerdo, sô...

5 de nov de 2005

Rapidinhas da madruga

Deu nervoso: Lula-lá vai falar no Roda-Viva, segunda-feira. Definitivamente imperdível. Lida no Emerson. O circo está armado, se brincar, pega fogo.

----------

Lord Voldemort, enfim! Olha o homem(?) aí, gente!



---------

Vão filmar a história do assassinato de Lennon. É isso mesmo. Tá no Omelete, foi a Lu que espalhou. Tô, como diria a própria Lu, boquiabrida com o fato de Dona Yoko ter deixado. É como tem falado tantos bons blogueiros, coisas do eterno Deus Mu Dança...

Tocando na cachola


(Ângela Romero - Imagem captada aqui.)


"Clavo mi remo en el agua
Llevo tu remo en el mío
Creo que he visto una luz al otro lado del río

El día le irá pudiendo poco a poco al frío
Creo que he visto una luz al otro lado del río

Sobre todo creo que no todo está perdido
Tanta lágrima, tanta lágrima y yo, soy un vaso vacío

Oigo una voz que me llama casi un suspiro
Rema, rema, rema-a Rema, rema, rema-a

En esta orilla del mundo lo que no es presa es baldío
Creo que he visto una luz al otro lado del río

Yo muy serio voy remando muy adentro sonrío
Creo que he visto una luz al otro lado del río

Sobre todo creo que no todo está perdido
Tanta lágrima, tanta lágrima y yo, soy un vaso vacío

Oigo una voz que me llama casi un suspiro
Rema, rema, rema-a
Rema, rema, rema-a

Clavo mi remo en el agua
Llevo tu remo en el mío
Creo que he visto una luz al otro lado del río
"
(Al Otro Lado del Río - Jorge Drexler)


--------


Update - a pedidos:


"Cravo meu remo na água
Levo seu remo comigo
Creio que vejo uma luz do outro lado do rio

O dia vai vencer pouco a pouco o frio
Creio que vejo uma luz do outro lado do rio

Sobretudo creio que nem tudo está perdido
Tanta lágrima, tanta lágrima, e eu, sou um copo vazio

Ouço uma voz que me chama ... quase um suspiro
Rema, rema, rema-a
Rema, rema, rema-a

Nesta margem do mundo quem não é presa é vadio
Creio que vejo uma luz do outro lado do rio

Eu muito sério vou remando
E bem lá dentro, sorrio
Creio que vejo uma luz do outro lado do rio

Sobretudo creio que nem tudo está perdido
Tanta lágrima, tanta lágrima, e eu, sou um copo vazio

Ouço uma voz que me chama ... quase um suspiro
Rema, rema, rema-a
Rema, rema, rema-a

Cravo meu remo na água
Levo seu remo comigo
Creio que vejo uma luz do outro lado do rio"


(Versão a la Sweet, obviamente cabe recurso...)

4 de nov de 2005

31 de out de 2005

Tipos I - Taxista

Passo curto, armado. Lustrosa careca. Branco, olho claro. Xadrez na camisa, quase sempre. Na de hoje, dois tons de azul se cruzam.

Mesmo carro, a muitos anos. Gol prata, modelo antigo. Acabado. Mas anda, anda bem, é um Gol, afinal. "Não vendo, não troco, não dou", parodiaria, fosse um homem afável. Os fregueses antigos não reclamam do desconforto. Muitos na caderneta. Espiam a janela, logo vem um porteiro chamá-lo. Outros, telefonam; a depender das letras que piscam, ele atende a contragosto o aparelho gasto. Clientes novos, em geral, estão só de passagem. Se não há outro carro por perto, questionam apressados: "está livre?" Aprecia quando passam direto, ainda que pague "em cash" a imensa maioria. Como os velhinhos e velhinhas da clínica, seus prediletos. Não pedem para ir mais rápido, não suspiram em engarrafamentos.

As sete está no ponto. O mesmo, a longos anos, entre a clínica e a padaria. Todo dia, o dia todo. Faça chuva, faça sol. Aos sábados também. Alguns domingos, depende do freguês. Aproveita, vai até meio-dia. Nunca se sabe quem pode aparecer. Feriados, é igual. Dia santo, não.

Ao meio-dia, a patroa espera na cozinha, é perto a casa. A mulher prepara o prato imenso ao pé do fogão, ele senta a mesa e come, sem pressa. Deita meia hora, as duas está no ponto. Tarde ao meio, sol a pino, deixa o carro, atravessa a rua. À sombra mínima da calçada repleta de luz aperta os olhos e observa, aguardando. Logo logo sai alguém da clínica, ele balança a cabeça e se aproxima.

Tardezinha, é grande o movimento. As oito, recolhe o carro. Dorme horas completas, não há boletos do carro ao fim de cada mês. "Melhor assim", lacônicamente acena aos colegas de ofício.

Quando some, é que foi para a terra. Sua terra. Volta contente, quase sempre. Conta com gosto ao conterrâneo as novidades, é quando mais fala. Choveu. Não choveu. "O açude pegou água" - ele quase sorri. "Seu Manoel morreu", responde indiferente. "Vou novamente no natal", e ele se desarma, mostrando, afinal, os dentes.

Poeta, meu poeta camarada

Uma pessoa me lembrou que hoje o meu poeta faria 103 anos, se ainda estivesse entre nós, em sua labuta da palavra, que era única.

Derepentemente a carroça aqui resolveu andar e estou conseguindo postar. Devem os deuses da poesia estar dando uma forcinha.



Peguei meus três livros dele e abri ao acaso. Caiu neste.



"Presença de Mira

A Stefan Baciu

O errante colar de lembranças e metáforas,
apaga-se no colo de Mira.
Maintenant je ne serais nulle part.
Quem sabe?
Mira, hei de encontrá-la sempre em alguns versos
que falam da criança construindo na areia
palácios e jardins de pátria proibida;
que contam do domingo, costa de solidão,
e da mulher agitando um xale imaginário,
e do esquecimento, que é um papagaio de papel.

Não preciso escutar
o tambor do corcunda anunciando as notícias,
para saber de Mira.
Neste grão de café encontro Mira pensando no Brasil."



Não aguento, vai mais uma. Só um pedacinho.


"Larga, poeta, a mesa de escritório,
esquece a poesia burocrática
e vai cedinho à fila do feijão.

Cedinho, eu disse? Vai, mas é de véspera,
seja noite de estrela ou chuva grossa,
e sem certeza de trazer dois quilos.

Certeza não terás, mas esperança
(que substitui, em qualquer caso, tudo),
uma espera-esperança de dez horas.

Dez, doze ou mais: o tempo não importa
quando aperta o desejo brasileiro
de ter no prato a preta, amiga vagem.
"

30 de out de 2005

Ficha médica

Pernas: varizes. Sou a agraciada da família, posto que nunca operei. A mãe, o pai e a irmã, já, nesta ordem. A genética é implacável. São doze aplicações (sabe aquelas agulhinhas finamente enfiadas nas veias?) anuais, o limite-dos-deuses-do-meu-plano-de-saúde.

Coluna: um cóccix deslocado. Provável fruto de uma queda de rede a anos atrás, pelos meus cálculos. No mais, estou ficando corcunda, é público, notório e herdado. A vovó e a mamãe também são. Dores matinais. A alguns anos, uma professora de hidroginástica me encostou na parede (literalmente) e disse o nome do desvio (de coluna, fique peixe*!) que tenho, mas esqueci o dito cujo. Ensinou exercícios na cama ao acordar, alongamentos. Nunca fiz, confesso. Cansei de ir a ortopedista que só me diz que preciso perder peso e nunca pronunciou a letras R-P-G. Deve ser por pena de mim, já que (acho) meu plano não cobre. Ou não cobria... Lembrei agora: outro dia me disseram que os planos agora cobrem. Sei lá se o meu!

Sobre perder peso, sei que pode ajudar, mas resolver, que é bom, acho que não resolve mais... De todo jeito, estou de rocha** pensando em fazer Vigilantes do Peso de novo (a seis anos perdi 10 quilos na única e última vez que fiz, o problema é que pulei a parte da manutenção, tsctsc...). Adianto : quem nunca me viu não pense que preciso perder mais de 7 quilos, pode parar de imaginar uma baleia ... Um filhote, digamos, pode ser... Também juro que vou trabalhar menos para poder voltar a caminhar, depois de três semanas sem, bah...

Braços: o óbvio ululante. Dores nos punhos e mãos. Muitas tendinites prá contar.

Audição: sem comentários. Péssima. Só as duas fonoaudiólogas que fizeram minhas audiometrias é que não enxergam, sem hipocondria. Isto porque eu só as vi até hoje dois dias da minha vida. Vão morar lá em casa ou trabalhar comigo! Quem falar a palavra "distração" apanha!

Garganta: ficando rouca, diiiiiiirrrrrrreeeeeeeeetttttttttooooooooo! A médica anteontem me lembrou que fiz uma videolaringoscopia a três anos, tinha um princípio-de-nadica-de-sei-lá-o-quê (fenda? calo?). "Deve ter virado 'sei-lá-o-quê' mesmo", ela disse. Vamos a vídeo terça-feira. Se for, vai ter sessões de fono? O plano não cobre. Sei lá então!

Vou pular a parte das minhas alergias, porque aí dá mesmo um livro. Ademais, aprendi a conviver com elas, e elas comigo. Penso às vezes até que venci pelo cansaço, ando bem melhor nos últimos anos. No fundo sei, porém, que é só ilusão. Inda vai ter muita guerra.

Cabeça: minha memória só faz piorar dia a dia. Sério. Ontem ia deixar o carro em uma vaga no piso-térreo do estacionamento do supermercado, mas ela, a vaga, era muito ruim. Desisti e fui para o subsolo. Três horas depois, lá fui eu arrastando filha e carrinho para o térreo...

Nunca tive nenhuma "ausência". Sacumé "ausência"? O tal "branco" na mente. Mas nesta mesma semana ainda tive um susto. Precisava ir a um lugar, mas não consegui chegar lá. Não consegui, simplesmente. "Não vi a entrada, não vi a entrada, não vi a entrada", fiquei repetindo, para mim, para os outros, ao celular. Fiz o retorno três vezes na estrada, uma hora quase rodando e não consegui chegar lá. Fiquei assustada, irritada, magoada, chorei. Mandei pegarem um táxi.

E então doutores, qual o diagnóstico? Stress? Sou uma vítima da modernidade? Procuro um homepata? Definitivamente hipocondríaca? Largo o blog que eu melhoro? Anybody home?



*fique calmo!
**quero e vou
Uia! Aprovei! Assinei! Valeu, Conde!





"Por que "raloins", duendes e gnomos? Nós, brasileiros, temos nossos próprios mitos, que não ficam nada a dever a esses importados, comerciais, que são usados para anestesiar a auto-estima do nosso povo. Respeitamos os mitos dos outros, mas não queremos que eles sejam usados pela indústria cultural como predadores dos nossos. Cada vez mais, muitos brasileiros começam a compreender isso. Uma prova foi o evento 'O Grito do Saci', realizado nos dias 5, 6 e 7 de setembro, em São Luiz do Paraitinga, Estado de São Paulo, que atraiu muita gente e foi uma catarse geral, uma lavação de alma. Outra prova é a onda de adesões que a Sosaci (Sociedade dos Observadores de Saci) vem recebendo de vários pontos do país. O Saci, a Iara, o Boitatá, o Curupira, o Mapinguari e muitos outros brasileiros legítimos estão aí para serem festejados, sem espírito comercial, como nossos legítimos representantes no mundo do imaginário popular e infantil.
Viva essa turma boa!

Por isso, nós, abaixo-assinados, solicitamos ao ministro da Cultura, Gilberto Gil, que abrace esta causa de valorização da cultura popular brasileira, instituindo o 31 de outubro como 'Dia do Saci e seus amigos'.
"

Entra aqui e assina!




*Não sei porque gostei tanto desse sacizinho do Ziraldo... Porque será, hein?

Televisivas

Não nego: eu gosto daquela moça tatuada (muito tatuada, leia-se) que "aconselha" sobre sexo no programa da MTV, Ponto Pê. Sexo sempre dá um caldo, né? No bom sentido, significando : é um bom assunto!

----------------

Huhu, tá chegando a temporada BBB! Essa coisa vicia, que tristeza...

----------------

Reality Show: já assistiram um tal Troca de Esposas, salvo engano da A&E? O mote: você, esposa, que está de saco cheio de seu cônjuge, escreve para eles, e eles te mandam no susto para passar alguns dias com uma família sempre muito diferente da sua. Na primeira semana você faz tudo que a outra família quer. Na outra semana, a família tem que te obedecer. Só assisti duas vezes, mas fiquei realmente abismada como eles conseguem sempre famílias tão extremas em seus comportamentos. Numa, pais e filhos (incluindo os pequenos) meditam pelo menos algumas horas por dia. E a mãe não limpa a casa, além de 15 minutos diários. Ela ajusta o cronômetro e faz o que der em 15 minutos, o que não der ela não faz. O pai pensa que é uma reencarnação de Buda(!). Não me pareceu uma família que se dispusesse a participar deste tipo de programa, até porque eles não vêem TV! Enfim...

A família que teve a mãe "trocada" com esta, tinha também suas regras peculiares. A mãe levava todo dia a mesma hora o café da manhã da filha na cama. O filho só comia nuggets. A mãe trabalhava horas e horas por dia na casa, mas estava sempre limpa (a casa também), com cabelo escovado e maquiada (a mãe, hehehehe). Impressionante a cara de pau desse povo...

Americanos são mesmo assim? Difícil crer...

Ah, e nem sinal de poder haver troca de maridos. Afinal, vejam o título do maledeto do programa.

----------------

Falar em marido, tô pensando seriamente em trocar a tv a cabo que tenho aqui instalada prumode a promoção de outubro da concorrente, que está ofertando gratuitamente a transmissão da segundona (Campeonato Brasileiro Série B). A propósito, saudações alvirubras. Não entenderam a parte do marido? Foi o marido, avesso a futebol, embora alvirubro, sem saber o que fazer com sua nova-esposa-torcedora, que sugeriu. Problema vai ser tirar as transmissões das CPI's dele (leia-se, TV Câmara e TV Senado). Tô com peninha...

29 de out de 2005

O rio

Um rio corre. A força de mistério desta verdade não se traduz. Um rio corre. Assim também as palavras. Palavras são seres de água e seres de sombra. Corredeiras, porém. À noite se evadem e vão semear poemas.



Clique na imagem e leia um desassombro.
Clique
aqui e ouça.
Quer mais?
Aqui.
É pouco? Eis o
cardápio. Enjoy yourself...


Depois de tudo isso, impossível não citar este rapaz... Ciao (porque assisti este)... Fiquem com meu bom dia.



Bom dia IV

É fria a madrugada insone.
Gesta mornamente, em paisagem alheia,
o calor do dia.
Bicicletas tremulam aos portões.
São lassos os diálogos cantantes da matina:
arrastam corpos
e tecem esta frágil, translúcida, vigilante redoma.
Não é gélida a brisa que tomba flores claras.
Um sino seco, avarandado, desperta,
à luz crescente.
Distante ladra o cão em contraponto.
Os homens dormem;
não falam os que se atrevem.
Estendem, porém, aos poucos, braços dormentes contra a teia iluminada.
Raios sem culpa alardeiam: é tempo. Chegada a hora.
Bom dia.

28 de out de 2005

Let's call the whole thing off

Do you like tomatos?


Take the What Fruit Are You? test by Ellen!


Eu sou tomate! Teste que o Marcelo mandou. Me lembrou essa...

"You like potatos, I like potatos
You like tomatos, I like tomatos
Potatos, potatos
tomatos, tomatos
Let's call the whole thing off
"




Tenham um lindo fim-de-semana, se a gente não se encontrar. Tá solzão aí? Aqui tá. De lascar. Apesar disso, e de um imbecil num carro vermelho ter quase batido no meu na hora do almoço, a cidade tá bem brejeira. Seize the day!

Lacônica



Precisa falar alguma coisa? Veio daqui.

------------------

Uma pirueta, duas piruetas, bravo, bravo!

------------------

FESTIVAL
A MÁQUINA FAZ SUCESSO EM SP
Publicado em 28.10.2005


O Cine Bombril recebeu, na última quarta (26), a primeira exibição do filme A máquina, de João Falcão, dentro da Mostra Internacional de São Paulo. Além do diretor, estavam presentes parte do elenco (Mariana Ximenes, Gustavo Falcão, Paulo Autran e Fabiana Karla). Para apresentar o filme, João convidou o ator Paulo Autran para subir ao palco que, emocionado, parabenizou “os meninos que fizeram o filme”. Na platéia, estavam Juca de Oliveira e Hector Babenco. A Máquina é baseado na peça teatral de Adriana Falcão, que assina o roteiro com o marido. O filme recebeu o prêmio de Melhor Filme do Júri Popular no Festival do Rio 2005.


Daqui, para assinantes.

------------------

26 de out de 2005

"O melhor mistério é ver mistérios
Ai de mim, senhora natureza humana
Olhar as coisas como são, quem dera
E apreciar o simples que de tudo emana
No entanto, pelo encanto
Da palavra
Mais pela beleza que se vê na fala
"

Acho que essa música é do Renato Teixeira. E acho que a letra é mais ou menos essa. Tô com ela na cabeça derna ontem. Alguém?

23 de out de 2005

Mudança de planos

Primeira Parte


Começo. A filha primeiro.


De cima. Cadê o povo no Marco?


Esse aí é o Marco (Zero). Digo, o Marco (mesmo) está no centro do círculo, mas chamamos tudo isso de Marco (Zero).


Esse aí é o falo. A sério, lê no link. O povo vê do Marco.


Segunda Parte


A mãe. Um lado.


O outro.


O meio.


O mapa da mina.

A la Dom Jôka.

Gostou do passeio?

Um post que vale por cem

Seguinte:
Eu sou do SIM.
Mas votei NÃO.
Eu NÃO trabalhei.
Eu VOU passear.
Aqui, aqui ou aqui.
Ou aqui?
Desse eu gostei. Mesmo com ela (ô atriz fraquinha, mas bem que melhora do meio para o fim).
A agulha frita da Lu'qui. A foto tá uma cáca, mas foi a única que encontrei. Dá prá ver? Mei' sem graça, né? Imagine um pratão cheio delas... É uma delícia!
E meu computador tá uma merda, é a realidade incontestável.

20 de out de 2005

O samba do crioulo doido

Ai, gente, ando mesmo envergonhada de não estar por aqui...
Só Deus sabe quando volto a blogar decentemente. Isso se chama quebra de terapia, é pecado! Se continuar desse jeito, eu termino com uma dessas, né ?



E cantando essa...



Aiaiai, cadê meus sais...

17 de out de 2005

Chove e o chão reclama seu quinhão de aroma.
Não sou Cecília alguma: o peito é que é corredeira.
Agora eu já não canto amor perdido
E já não é desejo urgente.
Sonho mansa fronte na paisagem d’água.
Margem verde, ausente luz.
Um beijo, um lábio,
relva, úmida, pé descalço.
Sou essa imagem que acende a mente.




Update - (Obra de
Moacyr Lisboa Calheiros - captada aqui)

"Quando se aprende amar
O mundo passa a ser seu
"
(Se fiquei esperando meu amor passar - Renato Russo)

15 de out de 2005

Presente!



É tão bom quando a gente se entrega a beleza,
Se sente em total realeza com a natureza e o amor
É tão bom quando cicatriza uma ferida,
abrindo as portas da vida
Prum beija-flor te beijar
É tão bom quando a gente tem fé e acredita
que existe uma vida bonita como quem cultiva uma flor
É tão bom não se desesperar com besteiras,
nem levar a sério as asneiras
Que algum ser humano tramou
É tão bom ir colando os pedaços da vida e sentir
toda ira incontida
que teima em queimar todo ser
E esquecer toda mágoa que molhou teus olhos
Saber que no fundo unicórnios, pavões e mistérios
No ser há
É tão bom


(É tão bom - Luis Caldas - A Apá canta lindamente...)

-----------

Oi gente! (Vixe, que odeio como escrevendo assim, saiu!)

É como disse a raposinha de Saint-Exupéry mesmo, hein? "A gente se torna responsável por quem cativa", é isso? Ê modéstia, heheheh... O causo é que, sim, ando sendo uma blogueirazinha/leitorazinhadeblogzinhos bem irresponsável nos últimos tempos, causo que:

-o lê-lê tá grande na minha roça, pessoas;
-essa carrocinha aqui na qual me comunico com vocês em casa anda praticamente atolada na lama, nos últimos tempos. Pedindo arrego. "Me aposente pelamordedeus", ela geme;
-ademais, essa música aí em cima de uns dias prá cá é a minha cara... Nem sei muito bem porque. Sabem quando acordamos plenamente cientes do fim de um longo e tenebroso inferno astral? É assim que é.

Bom final de sábado para todos. Bom domingo também. Num se isqueçam do reloginho, povo de debaixo do Equador!

12 de out de 2005

Mais Cinema

Primeiramente, minhas desculpas pelo abandono... Como reclama a carinha ao lado, é involuntário...

-------------

Descubro no site AdoroCinema que estreia em 06 de janeiro a versão para a telona do filme A Máquina, lançado no Festival do Rio, no qual recebeu a premiação do júri popular (melhor filme). A Máquina, originalmente, vocês devem saber, é uma peça do pernambucano João Falcão, por sua vez baseado em livro da Adriana Falcão (deliciosa escritora também pernambucana, esposa do João). Com Lázaro Ramos e Wagner Moura, além de Paulo Autran. Promete. Infelizmente, estou com o pé atrás com este, embora obviamente conferirei. É que vi a peça, e não consigo imaginar um filme ali. Vejamos.

------------

Finalmente: eu me rendo. E saúdo: Salve, Salve, Angelina Jolie. Bem que o Marcelo sempre fala. A mulher é mesmo um estouro em cena. Já assistira alguns filmes com ela (Alexandre , por exemplo) mas realmente nunca pensara nisso, mesmo quando todos comentavam. Hoje me dei conta: seu carisma, magnetismo e energia sensual tomam conta de tudo quando ela aparece, a gente nem se preocupa em avaliar se é boa ou não sua atuação (mas claro que é, a moça já ganhou até Oscar por Garota Interrompida), certo? Parodiando a Ana Carolina quando "desrockeriza" (HAHAHAHAHAHA) a canção do Ultraje a Rigor, "eu gosto é de homem", mas que a Angelina é mulher para se lascar, isso é. Não foi a toa que a coitada da Jeniffer Aniston dançou. Além do mais, Angelina nasceu para a tela, e para ser venerada. Alguns atores e atrizes são assim. James Dean. Marilyn Monroe. Angelina Jolie.



Foi dose dupla da moça nesses dias: primeiro Garota Interrompida, que revi (pobrezita da Winona, chega dá pena vê-la ao lado de La Jolie ali) e gostei mais que da primeira vez; e hoje peguei Sr. e Sra. Smith. Muito legal o filme. Brad Pitt se perde - e parece se divertir com isso - durante o filme inteiro, com sua cara de pomba-lesa (certo, ele dá o maior caldo, mas que junto de La Jolie o rapaz se perde, se perde).

Além do mais, o enredo reforça minha velha teoria de que as mulheres vão conquistar, sim, o mundo. Brincadeira (não, mas acredito mesmo nisso das mulheres, hehehe). Na verdade, o tom é politicamente corretíssimo, a meu ver, trazendo uma mensagem de igualdade real entre homens e mulheres, e não esta "aspeada" que vivemos. E para melhorar, no filme, no final o amor vence. Como eu gosto.

Olha aí minha cena preferida. Perfeita.



Ah, também gostei da trilha sonora. Supimpa!