30 de dez de 2005

Feliz ano novo, sim senhor

O que há de bom nas crises é que, com elas, se aprende. Um dia, se aprende, estou certa disso. Pode custar, eis a parte ruim. A parte boa é que o aprendizado dura para todo sempre.

Não sou emissora de tv para fazer retrospectiva, mas .. eita ano difícil esse de 2005, hein? "Algo me diz" (o que será, meu Deus?) que foi assim para a grande maioria das pessoas. Crise na economia, na política, essas "pequenas coisas" (riam, leitores) que se refletem em nossas vidas, esmagando a realidade bruta do day by day dos não-poderosos. Sim, eu sei, que você está - e eu também estou - emputecido com os doze mil e não sei quanto que está nos bolsos dos congressistas, para engordar o reveillon deles. Também não esqueci que 2006 será mais um ano de puxa-saquismo daqueles, até, quiça, quinze de novembro. Mas, isso não é tudo na vida, né? Ah, vocês sabem disso, eu sei que sabem...

Lá vem a boba alegre, dirão vocês... Ela já já chega, não se decepcionem...

Sabem o que é bom se pensar quando a cabeça quer estourar com tudo isso “e um pouco mais” (bote “um pouco mais” nisso!)? Quando você caminha, quem é que sente as pedrinhas na sola do pé? Na hora de olhar o mundo, são os outros que olham por você? E se admiram com, sei lá, o azul do céu, uma pessoa bonita que passa, a chuva caindo nas árvores?

Quando não se tem mais para onde ir, é bom pensar: quem vive a sua vida é você. É, quem paga suas contas (ou não) é você, e é você também que lava suas calcinhas e cuecas (ou a sua mulher ou empregada ou a sua máquina de lavar, vai, dá no mesmo, foi você que arranjou o acerto). Quando chega a hora de votar, o dedão que se enfia no teclado é o seu. É isto mesmo, eu acredito na máxima “cada povo tem o governo que merece”. Seu filho é malcriado? Quem o criou mal foi você. E seu casamento está uma boa merda? A culpa é de vocês. É isso aí. Vamos parar com essa onda de colocar a culpa no próximo. Eis minha dica de final de ano.

Antes que fale mais alguma merda, um parênteses (mais um). Falo tudo isso com a ciência de saber, *mais ou menos*, quem está a ler esse blog. Não somos os desprovidos de tudo. Ainda não aconteceu a tal inclusão digital no nosso país, e sei que não há como os verdadeiramente excluídos estarem por aqui - o que me deixa triste. Se estiverem, espero que perdoem as palavras. De fato, me parece um contrasenso que isto ocorra, mas enfim... Resumindo: eu não estou falando com quem não pode mesmo mover as linhas da própria vida. Sim, você que imagina serem elas uma invenção talvez da Globo ou da Heloísa Helena, elas existem. Se você puder andar de ônibus numa linha suburbana de alguma grande cidade, de preferência no centro antigo, talvez entenda do que falo. Uma outra boa dica talvez seja pegar alguma estrada que corte a região canavieira no Nordeste (tá, eu sei que essa é mais difícil...). Entrar num favela pode ser um risco, mas vai com certeza te ensinar algumas coisas.

Por outro lado, tenham cuidado para não se incluirem na categoria a que me referi. É um perigo, corram se virem essa idéia no seu caminho. Avaliem bem o significado da expressão “excluído”. Não é porque você não tem computador ou internet em casa que você é o excluído de que falo. Ou porque você ande de ônibus: eu ando de vez em quando de ônibus, e nem em sonho sou uma excluída.

Fim do parênteses. Ponto.

Minha mensagem de final de ano não está nada bonita, né? Não, não, não, eu não estou chateada, está tudo bem legal. Eu continuo querendo muito muito mesmo que vocês todos tenham um reveillon maravilhoso, sim, senhor, e que todos os desejos de seus corações se realizem no novo ano que está chegando. Mas dêem um forcinha para a pobre da vida, né? Papai-do-céu é pai, não é padrasto, mas nem pai aguenta tudo sempre, não é mesmo? Por mim, vou fazer tudo para ajudar ele (o pai) e ela (a mãe-vida).

27 de dez de 2005

Pense numa homenagem...

Terra - Ronaldinho vira personagem de Mauricio de Sousa

O melhor jogador do mundo na atualidade vai ganhar o universo dos quadrinhos no traço de Maurício de Sousa. O desenhista vai a Porto Alegre nesta quarta junto do jogador Ronaldinho Gaúcho para o lançamento do personagem "Ronaldinho", o novo integrante da Turma da Mônica.

Se bem que eu ainda preferiria o Robinho... Obviamente, o gaúcho dá muito mais traço (visualmente falando...).

25 de dez de 2005

Do meu amor e eu

Porque recordar é viver, sempre.

"E se hoje não fosse essa estrada
Se a noite não tivesse tanto atalho
O amanhã não fosse tão distante
Solidão seria nada pra você

Se ao menos o meu amor estivesse aqui
E eu pudesse ouvir o seu coração
Se ao menos mentisse ao meu lado
Estaria em minha cama... outra vez

Meu reflexo não consigo ver na água
Nem fazer canções sem nenhuma dor
Nem ouvir o eco dos meus passos
Nem lembrar meu nome quando alguém chamou

Se ao menos o meu amor estivesse aqui
E eu pudesse ouvir o seu coração
Se ao menos mentisse ao meu lado
Estaria em minha cama... outra vez

Há beleza no rio do meu canto
Há beleza em tudo o que há no céu
Porém nada com certeza é mais bonito
Quando lembro dos olhos do meu bem

Se ao menos o meu amor estivesse aqui
E eu pudesse ouvir o seu coração
Se ao menos mentisse ao meu lado
Estaria em minha cama... outra vez
"
(O Amanhã é Distante - Bob Dylan - versão: Geraldo Azevedo/Babau)

Cuma, Babau?

Aos Filhos de Capricórnio



"Madrepérola de cor
a teimosia tá no ar
signo da terra, da percussão
a dúvida não tem lugar
signo de capricórnio, ser
como se fosse escalar
a montanha negra do dia a dia
não saberia sonhar
signo da segurança total
signo da persistência, e afinal
na versão mais infinita do ser
capricórnio inda precisa aprender
que da estranha forma do caracol
foi que se inventou a clave de sol
simbolismo do prazer
tudo mágica ser"
(Oswaldo Montenegro - do musical A Dança dos Signos)

Eis o signo do homem da montanha d'água, alguém conhece o homem da montanha d'água?

Rapidinhas da noite alta

O Repórter Vesgo tem um blog. Isso, isso, isso. Mas tá sem atualização desde setembro. O Rodrigo Scarpa também. Mas tá fora do ar. Oxe. Então porque tô postando isso aqui?

Consta no blog citado que a comunidade orkutiana do Vesgo já tem mais de 190 mil associados. Não fui lá checar, óbvio. Mas pensei numa comparação interessante. São João do Tigre das brenhas paraibanas tem pouco mais de 4.500. Hein?

Não dá para acreditar que tem São João do Tigre na Wikipédia. Tô pasma.

-----------

"Não diga nada sobre meus defeitos, eu não me lembro mais quem me deixou assim". Eita, nó... Não estranhem, tô blogando alto.

----------

Não, não fui assistir ao Baile do Menino Deus no centro da cidade, de novo, mais uma vez. Sim, foi por uma boa causa.

-----------

Cheiro de bacon fritando. Quem é o miserento que tá me fazendo esse favor? Comeu pouca porcaria no natal, foi?

------------

Sim, eu sei, estou devendo o post aos filhos de capricórnio. Deus querendo e a carroça ajudando ele sai ainda hoje (gostaram da nova versão política-religiosamente correta do velho ditado?). Quiça antes que os pobre interneteiros-sem-banda-larga fiquem sem o são-domingos-e-feriados-do-pulso-único.

Eu quero a tradução (decente, por favor)

"Todas las mañanas que viví
todas las calles donde me escondí
el encantamiento de un amor
el sacrificio de mis padres
los zapatos de charol.

Los domingos en el club
sólo que Cristo sigue allí en la cruz
las columnas en la catedral
y la tribuna grita gol el lunes por La Capital.
Todos yiran y yiran
todos bajo el sol
se proyecta la vida
mariposa technicolor.

Cada vez que me miras
cada sensación
se proyecta la vida
mariposa technicolor.

Y sus caras de resignación
los ví felices llenos de dolor
ellas cocinaban arroz
se levantaba sus principios de
sutil emperador.

Todo al fin sucedió
sólo que el tiempo no los esperó
la melancolía de morir en este mundo
y de vivir sin una estúpida razón
todos yiran y yiran
todos bajo el sol
se proyecta la vida
mariposa technicolor.

Cada vez que me miras
cada sensación
se proyecta la vida
mariposa technicolor.

Yo te conozco de antes
desde antes del ayer
yo te conozco de antes
cuando me fui no me alejé
llevo la voz cantante
llevo la luz del tren
llevo un destino errante
llevo tus marcas en mi piel
y hoy sólo te vuelo a ver
y hoy sólo te vuelo a ver.
"

(Sempre, sempre, Fito Paez - Mariposa Technicolor)

23 de dez de 2005

Plantão extra. De natal.

Meus queridos.
Não dava para deixar passar o natal sem uma palavrinha, por rápida que fosse, para os amigos virtuais amados que me acompanham no dia-a-dia dos dias do ano que não é feito apenas por dias de natal, ano-novo, festa, aniversário e afins, certo?
Isso aqui deve ser quase como um casamento (vixe, que meda, hehehehe...) na saúde e na doença, creio eu.
Então, desejo a todos um natal com todas as coisas boas que possam alegrar o coração de cada coração que vem aqui me ler durante o ano todo.
Que o menino Deus não saia nunca de junto de todos vocês, com direito a anjinhos, sinos, renas e papais-noéis. E para quem não "apreceia" a tudo isso, que venha com aquilo que faça os olhinhos de todos vocês brilharem...



"José carpinteiro
procura agasalho
Maria descansa
Tão linda nas palhas
Belém abre as portas
Banhada de luz
A estrela já trouxe o menino Jesus"
(Baile do Menino Deus - Uma brincadeira de natal)

21 de dez de 2005

Hollydays

Estamos de férias. Primeiro, eu, depois, ele, o Maio. Talvez, quem sabe, tenhamos um Plantão extra, ou outro. Ou não.

18 de dez de 2005

A realidade incontestável...

... é que tô sentindo uma saudade fudida dos meus amigos queridos.

Não vou postar aqui mais música deles, só o que posso é contar a que tá tocando na cachola : Blue Riviera. Sá, Rodrix & Guarabira de novo mais uma vez.

Vou ali correndo escrever para uma pessoa que está além-mar...

17 de dez de 2005

Tocando na cachola



"Dentro da baleia mora mestre Jonas
Desde que completou a maioridade
a baleia é sua casa, sua cidade
dentro dela guarda suas gravatas, seus ternos de linho

e ele diz que se chama Jonas
e ele diz que é um santo homem
e ele diz que mora dentro da baleia por vontade própria
e ele diz que está comprometido
e ele diz que assinou papel
que vai mante-lo preso na baleia até o fim da vida
até o fim da vida

dentro da baleia a vida é tão mais fácil
nada incomoda o silêncio e a paz de jonas
quando o tempo é mal, a tempestade fica de fora
a baleia é mais segura que um grande navio

e ele diz que se chama Jonas
e ele diz que é um santo homem
e ele diz que mora dentro da baleia por vontade própria
e ele diz que está comprometido
e ele diz que assinou papel
que vai mante-lo preso na baleia até o fim da vida
até o fim da vida
até subir pro céu
"
(Mestre Jonas, Sá Rodrix & Guarabira)

'Por coincidência', assisti hoje na Cultura (CineClub Brasil) Durval Discos (filme brasileiro 'bastantemente' recomendável - se você não se importa muito com uma boa dose de doideira), em cuja trilha sonora consta essa preciosidade musical. Site oficial : este.

Ah, teve também Dois Filhos de Francisco esta semana, e eu chorei sim na cena das crianças em cas... ops, não conto. Vão ver e chorem também. Destaque especial para a Dira Paes, como sempre (para mim, é das melhores da atualidade). Gostei do filme, e até da trilha sonora (música caipira mais tradicional), mesmo de É o amor. Não que eu vá comprar um disco do Zezé de Camargo e Luciano por conta disso, certo, mas a trilha talvez até eu comprasse, num sabe, se o dinheiro sobrasse...

E o mulungu rendeu posts...

... ainda que não dê frutos, Cássia.

Muito bem, bem, bem.

"MULUNGU - Erythrina Mulungu
Planta originária do Nordeste brasileiro, com propriedades calmantes. "
(Da página da UFMS, . Bem boa a relação, vale uma olhada.)

Sobre as propriedades calmantes: de fato. Já foi experimentada nesta casa a colocação de folhas dentro da fronha, para debelar a insônia (não, fui eu a cobaia, :-P). Funciona verdadeiramente.

Parênteses.

Antes de qualquer coisa: há duas espécies de "Mulungus". Uma com flores grandes, vermelho-coral. Essa aqui. Não confundir com o meu mulungu, que tem "as flores menores, normalmente mais claras e possui sementes de cor parda.

Nativa desde São Paulo e Mato Grosso do Sul até Tocantis e Bahia.Esta espécie é usada popularmente como medicinal, inseticida e veneno para peixe.Desta espécie usa-se a casca (a semente é mais tóxica) como sedativo para ansiedade, tosse nervosa, agitação psicomotora e insônia; asma, bronquite, hepatite, gengivite, inflamações hepáticas e esplênicas, febres intermitentes.

Secar bem a casca (à sombra ou dentro de saco de papel) e transforme-a em pó. Coloque uma colher das de sobremesa do pó e coloque em uma xícara média. Adicione água fervente. Espere esfriar e beba antes de deitar, para insônia. Para os demais fins pode-se usar de 12 em 12 hs.
(fonte)"

Vou ver se experimento fazer o chá. Se descobrir como tirar as sementes, aceito encomendas. Hummm, acho que já sei a quem perguntar...

13 de dez de 2005

O véio Lua



"Bem que essa noite eu vi gente chegando
Eu vi sapo saltitando e ao longe
Ouvi o ronco alegre do trovão
Alguma coisa forte pra valer
Estava pra acontecer na região

Quando o galo cantou
Que o dia raiou
Eu imaginei
É que hoje é treze de dezembro
E a treze de dezembro nasceu nosso rei

O nosso rei do baião
A maior voz do sertão
Filho do sonho de Dom Sebastião
Como fruto do matrimônio do cometa Januário
Com a estrela Sant'Ana
Ao romper da era do Aquário
No cenário rico das terras de Exu
O mensageiro nu dos orixás

É desse treze de dezembro que eu me lembrarei
E sei que não esquecerei jamais
"
(Letra de Gilberto Gil / Canção do Mestre Luiz Gonzaga)

Mulungu para Vera

Cada vez mais sinto esta falta impressionante de uma câmera digital. Aiaiai, deixemos de choradeiras...

Achei duas fotos que podem retratar o mulungu, Vera.


a folha


a arvoré

Esta segunda foto foi o mais perto que consegui da árvore que tenho aqui na varanda. A folha é exatamente esta aí acima, mas a minha árvore cresceu de maneira bem diversa desta, não me pergunte porque. Sua copa é de galhos curvos, o que dá um sombreiro maravilhoso. Assim que der tiro uma foto decente e posto aqui.

11 de dez de 2005

De São Tomé a Noruega

"— Mangas compradas nos quintais ricos
do Espinheiro e dos Aflitos.
— Goiamuns dados pela gente pobre
da Avenida Sul e da Avenida Norte.
"
(Morte e Vida Severina - João Cabral de Melo Neto)

Uma Recife Desigual. Hoje, no Diário de Pernambuco. Uma pena que só para assinantes.

"O Recife é a segunda cidade brasileira a ter um levantamento completo das condições de vida de sua população, seguindo o exemplo do Rio de Janeiro. Neste aspecto, as duas pioneiras apresentam semelhanças nas suas mazelas. Possuem áreas onde a população de alto poder aquisitivo convive de perto com bolsões de pobreza. O medo faz com que o recifense rico passe a encarar o seu "primo pobre" não como um cidadão desfavorecido, mas como um usurpador de suas liberdades individuais. Ao invés de cobrar ações que diminuíssem a distância entre as classes sociais, o interesse imediato das elites é sempre de exigir o reforço do poder de polícia."


Mais cacetada:

Bairros e equivalência de IDH com países estrangeiros

BOA VIAGEM / PINA - 0,964 - Noruega
GRAÇAS / AFLITOS / DERBY / ESPINHEIRO - 0,953 - Noruega
CASA FORTE / PARNAMIRIM / JAQUEIRA / MONTEIRO - 0,933 - Japão
MADALENA / ILHA DO RETIRO / PRADO - 0,930 - Finlândia
CASA AMARELA / TAMARINEIRA - 0,918 - Nova Zelândia
BOA VISTA / ILHA DO LEITE / PAISSANDU - 0,917 - Nova Zelândia
ENCRUZILHADA / HIPÓDROMO / ROSARINHO / TORREÃO
0,917 - Nova Zelândia
TORRE / ZUMBI - 0,904 - Israel
IPSEP - 0,874 - Malta
IMBIRIBEIRA - 0,865 - Barbados
CORDEIRO - 0,864 - Barbados
VÁRZEA / CIDADE UNIVERSITÁRIA - 0,858 - Brunei
ENGº DO MEIO / CORDEIRO / IPUTINGA - 0,850 - República Checa
AFOGADOS / MUSTARDINHA / SAN MARTIN
0,817 - São Cristovão e Nevis
CAMPO GRANDE - 0,796 - Cuba
CASA AMARELA - 0,789 - Belarus
IPUTINGA/MADALENA / TORRE - 0,765 - Tailândia
IBURA - 0,750 - Cazaquistão
ALTO JOSÉ DO PINHO / MANGABEIRA - 0,742 - Jamaica
IBURA / JORDÃO - 0,737 - Paraguai
AFOGADOS - 0,736 - São Vicente e Granadinas
BRASÍLIA TEIMOSA / PINA - 0,735 - São Vicente e Granadinas
COHAB - 0,725 - China
IMBIRIBEIRA - 0,721 - Irã
BEBERIBE / LINHA DO TIRO - 0,719 - Irã
TORRÕES - 0,701- Moldova
ALTO J. BONIFÁCIO / MORRO CONCEIÇÃO - 0,700 - Moldova
RECIFE CENTRO - Zeis Coelhos / AP Comunidade Pilar
0,700 - Moldova
DOIS UNIDOS - Zeis: Dois Unidos e Linha do Tiro - 0,699 - Argélia
IPUTINGA - Zeis Vila União / AP Detran - 0,698 - Argélia
IBURA / JORDÃO - Zeis Ibura / Jordão - 0,695 - África do Sul
APIPUCOS / DOIS IRMÃOS / S. DOS PINTOS / GUABIRABA
0,691 - Síria
AREIAS - Zeis: Caçote, Beirinha, J.Uchôa e Rio/Iraque
0,686 - Indonésia
BARRO - Zeis Tejipió / Pacheco e Vila dos Milagres
0,668 - Tajiquistão
BREJOS: DA GUABIRABA e DE BEBERIBE - Zeis Casa Amarela
0,663 - Tajiquistão
SANTO AMARO - Zeis: Santo Amaro e João de Barros
0,658 - Mongólia
ILHA JOANA BEZERRA / SÃO JOSÉ - Zeis Coque
0,632 - São Tomé e Príncipe

Na madruga

Dona Adélia Prado, minha super poetisa, completará 70 anos no dia 13 de dezembro. Seu Lua, completaria 93, se vivo fosse. Grande data, tão grande que tenho medo de não conseguir postar aqui no dia!

-----------

Uma cacetada boa no Ministério Público. Leiam no site no minimo.

Apaixonei

Terra Brazilis de Sandra Chinelate. Tá nos links. Para quem não percebeu, é dela o tucano aí embaixo. Mais uma canja procês.


(Francesca e o Tédio)

As asas na poesia



"Quando ele aparece
bonito e mudo se posta
entre moitas de murici.
Faz alto-verão no corpo,
no tempo dilatado das resinas.
Como quem treina para ver a Deus,
olho a curva do lábio, a testa,
o nariz afrontoso.
Não se despede nunca.
Quando sai não vejo,
extenuada por tamanha abundância:
seus dedos com unhas: inacreditáveis !"
(Memória Amorosa - Adélia Prado)


(A idéia na imagem - Sandra Chinelate - é pura licença poética desta que vos fala!)

9 de dez de 2005

HP e o Cálice de Fogo



Não aborrecerei os leitores deste blog não-adeptos da pottermania com longos textos sobre o novo filme, como ano passado, até porque o post que escrevi para o Cozinha ficou imenso. Mas vão lá ler, né? Se já viram o filme, pois contêm spoilers!

Para chorar de rir

Um testezinho básico, aqui.

Não digo meu resultado, não digo, não digo, não digo.

Até o fim

JC - José Dirceu autoriza advogado a entrar com recurso contra cassação - Publicado em 08.12.2005, às 10h55

O deputado cassado José Dirceu (PT-SP) autorizou seu advogado a formular um novo recurso ao STF, para tentar reaver o mandato. Na entrevista que dera na semana passada, após a cassação, o ex-chefe da Casa Civil dissera que não recorreria mais ao Judiciário. Pois está a um passo de mudar de idéia.

Com o consentimento de Dirceu, o advogado José Luiz Oliveira Lima já contatou três juristas de renome. Os nomes são mantidos em sigilo. Redigirão pareceres sustentando a tese de que a sessão da Câmara que cassou Dirceu violou direitos constitucionais do ex-ministro.



Também no Blog do Josias, para não assinantes do JC (sem permalink, tsc tsc, vá até a data de 07/12).

8 de dez de 2005

Minha mãe, Minha rainha



8 de dezembro. Dia de Nossa Senhora da Conceição - Padroeira Madrinha do Recife


(Imagem do site Morro da Conceição - João Carlos Lacerda

6 de dez de 2005

Assim como os homens, estes pequenos seres...



Gosto de acordar e descobrir: é cedo. Ainda que nublado o dia, como hoje. Repete-se a meses; não me acostumei ainda, porém, ao ponto de não achar bonito, felizmente.

Só me aborrece, nas observações matinais, que os passarinhos me percebam e, por isto, não venham até o bebedouro de plástico que adorna meu terraço. Se deixo a varanda e me refugiu na sala, pronto, eles voltam (seria mais confortável não fossem tão ariscos os bichos, é certo). Aprecio a observação de suas estratégias de proteção e alcance d'água.

A "vigilância constante" do beija-flor me lembra, claro, certo personagem de tema fantástico, guardadas as devidas dessemelhanças físicas, decerto (quem sabe quem é, sabe... quem não sabe, paciência...). Ele - o bichinho, não o dito personagem - posta-se num galho a média distância, em guarda, a cabecinha miúda a girar em noventa graus de um lado a outro, asas a postos. Só muito raramente relaxa, limpando o peito claro com o bico.

Aproxima-se o pequeno sibito com que disputa território o majestoso pequeno, e se faz anunciar precocemente. Pia muito, o bobinho. Pulando entre os galhos do pé de mulungu, ele chega perigosamente a seu destino – no que é atacado com vigor pelo beija-flor. A esta altura, para mim, porém, o mais bonito já é o marginal. Quem chegou primeiro? Não sei. Ante a ferocidade que move o beija-flor, de fato, resta-me somente a torcida silenciosa pelo pássaro mais indefeso.

Apenas aparentemente mais indefeso, descubro no entanto, em pouco tempo, é o sibito. E sua arma, percebo, é a persistência: trata-se de um ser incansável. Vai chegando muito devagar, experimentando todos os caminhos. Pia muito, repito, e também traz seus colegas, às vezes, a depender da necessidade. Sai, mas volta. Não é apenas uma, ou duas, ou dez vezes. Resiste à fina e rápida garfada do beija-flor, e quando não dá mais, ele sai. Mas volta. Ah, disto estejam certos. Ele volta. Quer a água.

De repente, o sibito resolve peitar o beija-flor. "Vamos ver se cola", raciocina seu cerebrozinho de ave. Pousa em um galho entre a flor artificial e o adversário, plagiando a canção: "se você quer brigar, pode vir quente que estou fervendo!". Desta vez, o embate se completa, e os dois saem se embolando entre as folhas de verde maduro e galhos curvos. Un segundos e retorna a meu campo de visão, vitorioso, o pequeno sibito. À segura distância espiam seus comparsas, que nada custarão a aproximar-se, na mesma técnica do campeão, que também os repelirá a princípio, mas a pendenga decerto trará menor exaustão. Logo logo eles se confraternizam em torno do copo encarnado, sorvendo a conta-gotas o prêmio merecido...

O que é bom para o dono é bom para a voz...

Está tocando na cachola a dias...

"Até quem sabe a voz do dono
Gostava do dono da voz
Casal igual a nós, de entrega e de abandono
De guerra e paz, contras e prós

Fizeram bodas de acetato - de fato
Assim como os nossos avós
O dono prensa a voz, a voz resulta um prato
Que gira para todos nós

O dono andava com outras doses
A voz era de um dono só
Deus deu ao dono os dentes, Deus deu ao dono as nozes
Às vozes só deu seu dó
"
(Chico Buarque - "A voz do dono e o dono da voz")


Tudo aqui.

Com ela cantando aqui.

5 de dez de 2005

Dezembro corre como rio que nem quer saber da margem…
...quer é saber de desaguar no marzão do novo ano.

3 de dez de 2005

Link, só um

Paulo Mendes Campos foi quem traduziu as Crônicas de Nárnia - Vol. I, que estou lendo. De responsa... Ah, não deve dar tempo de ler tudo até o lançamento do filme . Será?
-----------------
Tem uma família de traças da qual toda noite um membro sai para fazer a ronda no meu banheiro. Toda noite mato uma. Ê, familiazona...
-----------------
Muito engraçada essa mania das pessoas em blogs fazerem festas para seus leitores. Cola-se fotos de comidas de festas, decorações de festas, dancings, e afins - resumindo, o diabo a quatro. Engraçada e doida esquisitice. Psicólogos e psiquiatras devem fazer a festa com os blogueios, hein? Eu, como boa doida que sou, qualquer dia de paciência faço uma (festa) aqui.
-----------------
Um leilão em antigo casarão paulista rolou no dia 16. Eu iria, se lá estivesse, só para ver tudo e comprar nada, hahahahah...
-----------------
"As minhas, são todas inventadas"
(Chico Buarque, sobre os nomes das mulheres em suas canções e a possibilidade de serem biográficas)

Eu acredito.

Para ver as meninas II

Queridinhas da mamãe em votação no prêmio (gente, até 10 minutos atrás eu nem sabia que isso existia na blogosfera...) lá no Spoiler:

Lu.
Rosana.
Vera.

Ê mulherio virado!!!!!!!!!
Votemos, povo, aqui não tem mensalão!!!!!!
A partir do dia 4!