29 de mar de 2007

Momento Terapêutico ou TPMêutico

Peças, peças, peças. Processuais. São deliciosas, mas cansam, ai, ai, ai.

-----------------

Um basicozinho para relaxar.

Sou ácida.
Sou afável.
Me perco
entre estes dois espaços.


-----------------

O Bial declamou no paredãozão (q horror gramatical) dessa semana (não, não o vejo, mas o ouço de lá de dentro, o que me fez lembrar) aquele poema da Cecília que de tão triste não postarei aqui completo, para não atrair coisa ruim, com aquele final lindíssimo (porque eu sempre acho coisas tristes bonitas, que péssimo), que de tão lindo impossível não postar: "Eu não dei por essa mudança/tão simples, tão certa, tão fácil/Em que espelho ficou perdida a minha face?". Com isto, o Pedro-Miau-Bicho-Ruim, sabidíssimo, conseguiu amolecer milhões de corações femininos Brasil afora, só prá variar.

Prova de resistência na última prova de líder da temporada com duas mulé e um "macho dominante" (alguém leu esta teoria numa revista dessas aí? Época, eu acho.), estão querendo testar o que? Experimentos científicos ao vivo?

27 de mar de 2007

"Quem ama o feio bonito lhe parece" ou "Minha flor, meu bebê" (escolham o título - este é um blog às vezes democrático)



Creio que o amor nos torna competentes em novos talentos, quando o objeto destas expressões é o ser amado, concordam?





Onde foi mesmo que ouvi a expressão "zoiudinho da mamãe"?




Gostaram? O modelo também ajuda, vamos e venhamos...

Não foi amor a primeira vista, mas agora, mal podemos viver um sem o outro. Ando rezando bastante para que São Francisco me dê juízo de maneira a não aprontar nenhuma asneira como aquela do passado.






Quem foi mesmo que falou que "meu" (a cria que não nos leia, pois anda ela deveras enciumada de nossa intimidade) bichinho não é bonito? Quanto preconceito, gente, com répteis. Meu bebê não só é bonito, como fotogênico, vêem? Sou uma mãe coruja. Digo, sou uma mãe calango. Iguana, vá lá.

Ok, ok, é ridículo chamar um calango de bebê. Mas o amor é assim, gente, que se faz disto?

Bela, a vida pode até não ser sempre, mas a natureza o é, todo dia, toda hora!

22 de mar de 2007

Seu Dia



A água arrepiada pelo vento
A água e seu cochicho
A água e seu rugido
A água e seu silêncio

A água me contou muitos segredos
Guardou os meus segredos
Refez os meus desenhos
Trouxe e levou meus medos

A grande mãe me viu num quarto cheio d'água
Num enorme quarto lindo e cheio d'água
E eu nunca me afogava

O mar total e eu dentro do eterno ventre
E a voz do meu pai, voz de muita águas
Depois o rio passa
Eu e água, eu e água
Eu

Cachoeira, lago, onda, gota
Chuva miúda, fonte, neve, mar
A vida que me é dada
Eu e água

Água
Lava as mazelas do mundo
E lava a minha alma

(Eu e Água - Caetano Veloso)

Porque é hoje é Dia Internacional da Água.

Momento reflexão, claro: porque coisas que realmente importam necessitam de uma data no calendário para serem lembradas? Hein, hein?

21 de mar de 2007

Frases do dia

Ouvida hoje: "Democracia é quando eu mando em você, ditadura é quando você manda em mim". Henfil.

Confirmada no www.frasesfamosas.com.br. Ótimo site.

De lá outra ótima do mesmo Henfil (impagável): "O último refúgio do oprimido é a ironia, e nenhum tirano, por mais violento que seja, escapa a ela. O tirano pode evitar uma fotografia, não pode impedir uma caricatura. A mordaça aumenta a mordacidade."

Lida hoje, de novo: "Entrego, confio, aceito e e agradeço.". Hermógenes. Uma bela biografia.

20 de mar de 2007

Rapidíssimas

Analy está no paredão. Coitadinha... Até que durou, a bichinha... Ela e o Alan Pierre eram meu preferidos. Esse povo sem graça eu adoro, porque será (KKKKKKK)? Fora a Rita Lee, claro. E o Ney Matogrosso, claro.

Hoje, um professor que dispensa comentários (mentira) perguntou: "afinal, o que vocês aprendem com o BBB?" Fiquei matutando cá comigo e conclui, cheia de maturidade: porra nenhuma. A pura verdade, no fundo no fundo. Pobrezinha dessa geração. Olha o sujo falando do mal-lavado aí, gente...

------------------

E como não poderia deixar de ser, o Maio também é Utilidade Pública: Lívia, amiga, como você não deixou email, respondo via post mesmo. A foto da flor amarela veio dessa fonte. Se você entrar na Home Page verá que trata-se de um site de design, quem sabe não consegue algo melhor por lá? Peguei no Google a tempo e não sei nada sobre ela. Sim, sou uma péssima blogueira, não ponho fontes das fotos, só das pinturas/gravuras, tentarei corrigir-me a partir de agora. No próximo post, essa foto da Rita vai sem crédito mesmo, sô...

"Quanto mais o tempo passa mais eu quero me divertir"

"Guerrilheiro, forasteiro, ôrra meu!"

Vixe, com eu adoro esse refrão...

Porque adoro Rita Lee. Deu prá perceber? Cadê ela, hein? Derna o tempo que eu assistia Saia Justa que não a vejo. Faz uma data, cidadão...

Este amor é antigo, eu tinha 12 anos. "Vamos, vamos ao show!". Foi vê-la "brotando" (literalmente) do piso do palco, vestida de cor-de-rosa e esvoaçante, cantando... o que mesmo? "Lança-perfume"? Acho q sim... Pronto. Aí eu me apaixonei. Foi mais ou menos assim que estava ela:



A Rita vai fazer 40 anos de carreira, que máximo (será por isso que comecei a pensar tanto nela?). Uma grife chamada Rosa Chá está lançando uma coleção em sua homenagem, que máximo. "As estampas, assinadas pela grafiteira paulista Nina, trazem desenhos de Rita e ícones de seu universo. " Ulalá!

Ulalá nada! Esta é bem melhor: "A roqueira Rita Lee será homenageada ainda este ano pela galerista paulistana Regina Boni- ex-mulher do diretor da TV Globo José Bonifácio de Oliveira, o Boni. Regina prepara uma exposição com todos os figurinos de Rita Lee durante seus quarenta anos de carreira. Regina está recuperando o acervo de roupas da cantora desde a época de 'Os Mutantes', banda que impulsionou sua carreira musical entre 1966 e 1972, passando pelo grupo que fundou, 'Tutti Frutti', até os dias de hoje." Tirem fotos para mim, ok? Taí, não é o que a Rita tá fazendo, mas pelo menos o que tão fazendo prá Rita.

Será que as ombreiras da foto acima estarão lá? Ulalá!

Acabo de usar pela primeira vez o Google Notícias. Que mocinha estou ficando.



Olha a Rita aí de novo. Rita, eu te amo! Pronto surtei. Me deu até vontade de cantar: "A Rita levou meu sorriso/no sorriso dela meu assunto"... Não, essa não é a cara da Rita. Melhor essa: "Rita abre a janela/pensa na vida dela/abre a boca de sono/não sabe o que vai dar".


p.s.: Esse seria apenas um pequeno tópico do post das terças-feira. Mas, enfim, isto é impossível em se tratando de Dona Rita Lee Jones. Demorou um pouco mas percebi.

12 de mar de 2007

Há um novo hóspede na casa...



Estamos em fase de adaptação...

É realmente algo que jamais pensei possuir em casa. Mas enfim, crianças são seres que vieram ao mundo para nos surpreender e alegrar, de fato. A idéia não me desagradou por completo, apenas me trouxe uma preocupaçãozinha a mais para rotina. Uma a mais, uma a menos, é o de menos...

10 de mar de 2007

O Sol em Si


Diana Pequeno canta Caymmi.
Canta Catulo.
Canta Villa-Lobos.
E canta, finalmente, O Sol em Si, que brotou dos recônditos mais fundos desta minha mente velha. Meu deus, devo ter escutado essa a uns vinte anos atrás...
Que viagem... Essa música é inédita, humpf. Eu devo ter sonhado com ela, ou me lembrou alguma outra, muito antiga. Na verdade a canção tem sabor de música antiga.

Diana Pequeno gravou Cantigas em 2001, após tantos anos sem gravar, doze exatamente (o último é de 1989). O ano atual é 2007. Por onde anda essa moça, gente? Ô realidade pavorosa essa da cultura em nosso pobre país...

O disco baixei no tétrico mas por vezes útil Orkut, nos tempos em que eu o suportava. Não sei como passei tantos meses com esta pérola guardada sem admirá-la...

A quem queira mais Diana, tem mais Diana aqui, o quase sempre completo CliqueMusic (quase porque lá não consta o Cantigas dentre os discos que podem ter pequenos trechos das faixas ouvidos... ).

8 de mar de 2007

Mulheres

Apesar de minha firme decisão acerca de que o certo seria gastarmos toda nossa energia feminina no sentido de transformar este Dia Internacional da Mulher que inventaram (já que o inventaram) num feriado maravilhoso onde nada fizéssemos, (vamos, esforcemo-nos por aprender um pouco da objetividade masculina, senhoras e senhoritas!), e apenas os homens trabalhassem, vamos lá a mais uma viagem das letras. Porque vício é vício, fazer o quê.

Mulheres são seres de uma docilidade complexa à compreensão da mente do sexo oposto. No olhar que se leva até elas, confundir este dado com ausência de potencialidade, força, ou sabedoria, é um erro difícil de ser transposto. Como se já não bastasse ser tarefa quase sobre-humana entender a mente do outro em geral, já está mais ou menos estabelecido pela ciência: temos cérebros diferentes em demasia. Não porque o nosso tenha o tamanho de uma azeitona, animais (eu sei que alguns lembraram a piada, porque é difícil mesmo para vocês não ser imbecil quase sempre). Custa tentar nos entender uns aos outros. E cansa.

Sendo assim, vamos vivendo como é possível. As mulheres com seus artifícios, mazelas e sapiências, além desse olhar tão infinito sobre quase tudo, e os homens crendo ter o poder absoluto sobre o mundo, o universo, o céu e as estrelas, mas sendo como nós apenas meros mortais que se esforçaram bastante por todas estas gerações para dominar, o que é louvável (não nos esqueçamos contudo da ajudinha extra que lhes concedeu a natureza, claro). Minto. Os homens entendem sim, eles entendem. Apenas a imensa maioria não consegue expressar este entendimento e está presa demais aos ranços banhados na testosterona que os habitam permanentemente (o que deve ser uma verdadeira escravidão, estou certa, e tenho até pena. Claro que a maioria não entenderá mais este sentimento feminino, o de pena, e jurará que sou uma mulher mal-amada, kkkkkk).

Mulheres, todas elas, merecem esta canção. Cantem para elas. Escutem a ela.


Por Brilho (Oswaldo Montenegro)

Onde vá
Onde quer que vá
Leva o coração feliz
Toca a flauta da alegria
Como doce menestrel

Onda vá,
Onde quer que eu vá
Vou estar de olho atento
A tua menor tristeza
Por no teu sorriso o mel
Onde vá
Vá para ser estrela
As coisas se transformam
E isso não é bom nem mal
e onde quer que eu esteja
O nosso amor tem brilho
vou ver o teu sinal



E rosas. Porque como já disse alguém que entende de mulher: "toda mulher gosta de rosas e rosas e rosas". Quase todas. Cada uma colha esta para si.



Captada aqui. Josepha Gonsalez.

7 de mar de 2007

Ave

A minha alma não se retrai.
Sou o que sou
e sou o que posso -
profundamente
nada além desejo.
Ser fera, ser bicho...
isto não me cabe.
Não figuro – protagonizo meus dias.
Espero, sim,
mas também passo -
aprendi com os dias e as esquinas.
São doces as asas que se abrem em mim na despedida,
do alto tudo reconheço.
É serena e seca a brisa em meus pêlos,
suave e leve o calor que me atinge -
esplendidamente alcanço a manhã em livre vôo.
Jamais me perco.
É o sentido das aves que habita-me
e dia a dia
acrescenta em mim as cores
que aos olhos inflamam.



6 de mar de 2007

Curtas às Terças

Toda terça é dia de post nesta casa, assim espero.
Terça é O dia livre, bem. Ao menos por enquanto (durará pouco, eu sei,a julgar pelo tanto que ando programando para ela, humpf).

----------------

Da série Frases da Semana:

"Os velhos ensinam os jovens a envelhecer. E a morrer".

Ouvido em um documentário sobre, lógico, a Terceira Idade. Chamo "a Melhor Idade"? Como eles preferem ser chamados? Minha mãe não prefere nada, que bobagem é essa de nomear diferente gente só em função da idade? Já começa aí a diferenciação?

Lindo documentário. No canal do Sesc. Pena que vi pela metade e não sei o nome. Também desconheço o nome do autor da frase, só guardei a própria, infelizmente.

Vendo este filme, fiquei aqui sonhando com um longo artigo sobre velhice e beleza. Não vai dar, mas creio que vale a pena cantar a pedra: não é chocante que seja principalmente contra isso que necessitam lutar os velhos, a ditadura da beleza imposta pela atual sociedade?

----------------

Prosseguindo nas frases. Para desafiar nos parcos leitores questionamentos:

Um post é uma fotografia de um momento da alma. É quase como um poema.

Blogar é uma forma pública de terapia.

O que dissem?

----------------

Apenas assisti cinco minutos da nova das oito e saí com uma sensação ruim na boca do estômago: será possível que estão tentando mais uma vez vender o Rio de Janeiro e o mercado da prostituição desta nossa "idolatrada, salve, salve" Nação? Mas será o Benedito? Com este título ("Paraíso Tropical"!), conseguem enganar?" Ou será o contrário, talvez? Veremos. Se tivermos saco.

----------------

Biscoito Chinês
"Uma bela flor é incompleta sem suas folhas".

Mas claro.

Não posso entrar na Querida que demoro muito na net. O link do biscoito veio de lá, mas acho que já o postei por aqui. Estou quase certa, para ser exata.

----------------

Falar na Querida, mais um tópico.

Todo blogueiro é um jornalista frustrado? Quando vou na Querida, sempre penso nisso (não que seja este o caso dela, obviamente; sem intrigas, por favor). Eu sou, eu sei, fazer o quê? "Sorrir e aceitar", simplesmente. Gostaram da expressão tanto quanto eu? Tirei-a daqui. Trouxe da Naomi, de onde mais poderia ter saído tal pérola?

----------------

A percepção que cada um forma sobre a realidade é muito diversa. Diversa demais. Eu devia ter percebido isto a mais tempo, acho. Teria ajudado muito, ora bolas.

----------------

E finalmente, o link pro blog da Leandra Leal, esta moça com quem me preocupei, após saber que andou nas páginas de fofocas por conta de sua excessiva exposição na internet. Relato brevemente o causo aos mais desavisados: a moça, atriz global da recentemente conclusa novela das 8, possui um blog, Alice me Persegue, no qual, parece, andou falando mal de alguns coleguinhas do folhetim (a megera-sexy Sandra-Danielle-Winnits, mais especificamente). Resultado, caiu na boca do povo. Uma moça tão boa. Namorada do Lirinha do Cordel do Fogo Encantado... será que ainda é?

1 de mar de 2007

Priscila

Esta moça a mim ensina: o nome Priscila significa:


PRIMITIVA.



O dicionário ensina:


PRI.MI.TI.VO

adj. 1 Relativo ao princípio. 2 De primeira origem; que apareceu em primeiro lugar; dos primeiros tempos; inicial. 3 Original; inaugural; primordial; rudimentar; rude. 4 Diz-se dos povos em estado natural (por oposição a civilizado). 5 Diz-se da Igreja dos primeiros tempos do Cristianismo. 6 Gram. Diz-se da palavra que serve de radical, e da qual muitas são derivadas. 7 Diz-se dos tempos do verbo que servem para formar outros. 8 Geol. Designativo dos terrenos correspondentes aos tempos mais antigos da Terra, resultantes da primeira solidificação da crosta terrestre. 9 Fig. Diz-se das cores (em número de sete) do espectro solar.



Priscila porém não é a primeira. Nem será a última.






Quem será a próxima?


"Olho na pressão, tá fervendo
Olho na panela
Dinamite é o feijão cozinhando
Dentro do molho dela

A bruxa acendeu o fogo
Se cuida, rapaziada
Tem mandinga de cabôco
Mandando nessa parada
Garrafada de serpente
Despacho de cachoeira
Quanto mais o fogo sobe
Mais a panela cheira

Olho na pressão, tá fervendo
Olho na panela
Dinamite é o feijão cozinhando
Dentro do molho dela

A bruxa mexeu o caldo
Se liga aí, ô galera
Tá pingando na mistura
Saliva da besta-fera
Chacina no Centro-Oeste
E guerrilha na fronteira
Emboscada na avenida
Tiro e queda na ladeira
Mas feitiço é bumerangue
Perseguindo a feiticeira
"
(Lenine, Bráulio Tavares e Sérgio Natureza)