5 de dez de 2005

Dezembro corre como rio que nem quer saber da margem…
...quer é saber de desaguar no marzão do novo ano.

Nenhum comentário: