30 de set de 2004

Historinhas que Ela Conta

Como aparentemente quase ninguém lê o blog Mais-ena, vou começar a colar aqui as poucas historinhas e falas da minha filhota que lá reproduzo. Vai uma que adorei e espantou...

Fazendo uma tarefa de casa sobre o tempo e relógios, a pequena viaja:

-Mãe, sabia que se não existisse o tempo, não existia ninguém? Porque se o tempo fosse parado , não tinha começado a andar nunca e aí ninguém tinha nascido nem nada tinha começado!


Estou com vontade de mudar a carinha do Maio. Não se espantem se qualquer dia desses entrarem aqui e verem tudo cor-de-rosa, roxo, amarelo, sei lá. Isso de tons eternamente pastéis cansa... Tá, tá bom, mesmo que não mude radicalmente, mudar, em breve, eu vou, seja lá como for...

O micro He-man (ele tem a força)

A cena que eu imaginei depois de ler essa notícia, que recebi antecedida por um compreensível comentário do remetente ("Será que o Windows não poderia estar no controle dos aviões que bateram nos Word Trade Center ?") foi a de um computadorzinho humanizado com cara de escroto, com uma mãozinha e tudo, e o dedo apontando para o mouse, enquanto dizia : "Vocês estão aqui, na palma da mouse..." Pena que não sei desenhar, que chato...

27 de set de 2004

Plac Plac Plac

Palmas para os colegas trabalhadores de bancos, que estão em greve desde o dia 15. Só quem já fez uma greve é que sabe como é difícil segurar 13 dias de greve, mais ainda se a briga é contra tubarões como as instituições financeiras, que sugam de todos os lados, do usuário e do empregado, e permanecem em cima da carne seca. Não me incomodarei se a moça do banco não resolver o que lhe solicitei via fax. Tenha paciência, greve é greve. Está chegando o final do mês, período de corrida aos bancos para recebimento de aposentadorias, salários, pagamento de contas. O Banco do Brasil e CEF já sinalizam para pedido de abusividade no TST. Não sou contra o uso das armas que se possuem, em uma guerra (se não estão envolvidas mortes, claro!). Nesta semana as coisas ou se complicam ou se resolvem. Mais uma vez torcerei para que a justiça prevaleça, para que as coisas mudem, para que ao menos uma vez o lado mais forte sucumba...

26 de set de 2004

Insônia

Cheguei tarde.
Vi um filme.
Comi.
Estudei.
Ia dormir.
Vi a luz vermelha do telefone (calma, não, eu não sou uma Power-Puff Girl - não é o delas que pisca? ) piscar e vi que ligara alguém da Bahia.
Apreensiva, resolvi olhar emails. Ainda bem, nada de novo.
E cá estou. São 03h18, como me ensinaram, na redação oficial...
'Bas' noite...
Ai como é boa a calmaria de se fazer o que se quer sem interrupções...

24 de set de 2004

Todo mundo tem um blog



Até o Ministro das Finanças da Holanda, né legal?
Vejam aqui. Aí, se souberem holandês, me contem o que tem lá, que fiquei mooooooorrrrta de curiosidade...
Mas é bom saber da vida alheia, hein? Mais ainda de um ministro, ê, vidão... Bom, é certo que muitos blogs não são diários, como o Maio não é, mas esse do ministro, pelo que informou a notícia que a Lu enviou, é sim senhor... Blog é um vício, entendo o que se passa com o colega Zalm...

20 de set de 2004

Falar em esquecimento, como anda esquecido o pobre blog...
Não o deixem, amigos, eu voltarei...

15 de set de 2004

Ainda sobre esquecimento

E aquilo que nunca foi lembrado, que dirá esquecido?
E o que nunca emergiu da fundura d´água escura do lago d´alma?

Os poemas abaixo são assim. Não são meus. Eles deverão aparecer aqui de vez em quando. Se alguém gostar ou achar que é boa poesia, ou ainda se alguém que entenda tecnicamente de poesia achá-los bons, por favor, levante a mão. Gostaria de fazer algo por quem os escreveu.


"Lá onde mora o véu das rosas descarnadas,
sem sonhos e de amor esmaecidas,
vangloriam-se as eternas aldeãs de pensamento impuro.
E, quando alvorece o universo, ancoradas em seus recíprocos e ambiciosos lumes,
Perguntam à noite, fleumática e sem vaidade: onde termina a solidão?"


"Nem um átimo de brisa.
Ao lume angélico de teus olhos escuros
sopra o desejo enfadonho.
Ante o sereno rubor da aurora,
sopra uma réstia de sonho.
Pois possuir-te é embuste
desvirtua o simples amar.
Mas não querer-te é degredo,
limite entre o som e o gesto,
segredo entre o canto e o mar."



"Tua fronte envelhecida e lógica,
tua fronte pálida, perdida na moldura caótica de teus cabelos e barba grisalhos.
Escondes nela teu rosto como que para esquecer-se
nos labirintos ermos da minha memória
que assim, repleta dessa imagem esmaecida de homem
regurgita na alma a dor febril, sistemática e pungente."


Bom dia III

A sensação de perda e esquecimento só aumenta o buraco do vazio. Não lembro quando escrevi o poema abaixo, só sei que não faz tanto tempo, lembrança que piora o sentimento. E onde estão minhas varetas de jogar I Ching que não encontro? "O tempo passa e atravessa avenidas..."



Bom dia III

Cinzotunarmente,
desperta o dia.
Os insones adormecem.
Primeiras bicicletas
comandam a neblina.
Ladrares, cantares, motores.
Veículo que utiliza
- útil dia –
corta a brisa.
Solidão de caminhante.
Profusão de passarinhos.
Difusão de luz na nuvem,
bandeirolas iluminadas,
bandeirolas dançarinas.
Passa o cantor da matina,
passa o cãozinho e seu dono.
Vingou a manhã:
bom dia.

13 de set de 2004

Eles continuam lá



Ficou tão comum, que nem vemos mais nenhuma semelhança com os ataques terroristas, né? Só pensamos nos russos, nos mortos das torres gêmeas ainda lamentados...

10 de set de 2004

Rir é o melhor remédio

Dois tubarões recifenses conversavam, no intervalo do almoço de rotina na praia de Boa Viagem:
- Ei, você viu aquela galega bunduda que passou?
- Vi.
- Tô comendo

Lá do Paulo Rebêlo na parte disponível do DP. No link tem toda a crônica, muito boa.

Jornais

Sinto-me ilhada, isolada das notícias locais, pouco expectadora que me tornei do telejornalismo com isso de ser interneteira. Primeiro foi o Jornal do Commercio, que a poucos meses tornou-se restrito a assinantes. Agora foi a vez do Diário de Pernambuco. Este ao menos enviou-me consoladora promoção para ser assinante virtual, com descontos até 30 de setembro, sobre a qual cogito, revoltada entretanto de ter que pagar por informação nesta enxurrada que me oferece a rede. Bem vai se dar o Folha de Pernambuco, vamos ver se ele começa a melhorar e se equipara aos outros em qualidade de informação. Quem não tem cão, caça com gatinho mesmo.

Por tudo isso, estou aqui me coçando com essa manchete que li no caderno de política do DP, sem poder acessar o conteúdo: "Bornhausen lança Maciel para presidente". Será o que estou pensando?

9 de set de 2004

Pai do Senhor dos Anéis vai filmar o Macacão



Sempre adorei rever King Kong quando reprisava na Tv, sim, aquela versão (a de 1933 eu nunca vi) com uma estonteante e salvo engano então estreante Jessica Lange, e horríveis efeitos especiais (eu sei que ganhou Oscar de Efeitos Especiais, mas não deixam de ser horríveis aos olhos de hoje, a comparação é inevitável). Daí que a notícia de sua refilmagem pelo diretor Peter Jackson (Senhor dos Anéis) me chamou a atenção e aguçou a curiosidade, em especial quando li a informação "o King Kong de Peter Jackson também será um estudo psicológico de um monstro". Que legal! Sempre fui fissurada pela relação King-Jessica e o filme de 76 em minha opinião não explorou suficientemente esta questão.

Só não entendi muito bem no texto indicado o que quis dizer o Peter Jackson com a frase : "É sobre gorilas, sobre dinossauros...". Hein? Tinha algum dinossauro no filme e eu não lembro?

King Kong tem lançamento pela Universal Studios previsto para 14 de dezembro de 2005. É esperar, portanto.

Para findar, esse título do post é inspirado naquele filme com o Kevin Spacey, Chegadas e Partidas (The Shipping News-2001), alguém viu? Qualquer hora comento.

Fonte: Eu Quero Mais

Ai, meus miolos

"Eu e você
Não é assim tão complicado
Não é difícil perceber
Quem de nós dois
Vai dizer que é impossível
O amor acontecer"


Não me pergunte porque, mas estou a dias com essa música na cabeça, sem estar apaixonada por ninguém, afe... Sem falar que nunca gostei tanto assim dela. Daí que a única idéia que me ocorre é que devo estar associando frases da canção a "meu problema emocional" com dívidas... Vejamos:

"Se eu disser (...)
Que a estrada sem você é mais segura
Eu sei você vai rir da minha cara"


ou

"E quando finjo que esqueço
Eu não esqueci nada
E cada vez que eu fujo, eu me aproximo mais"


"E é por isso que atravesso o teu futuro
E faço das lembranças um lugar seguro"


E finalmente a deixa que me é definitiva:

"Mas toda vez que eu procuro uma saída
Acabo entrando sem querer na tua vida"


Pois é, gente, sempre há uma explicação subliminar para fatos como este, além do alcance do controle do ser. Acho que a única solução para mim seria passar algumas horas ouvindo alguma Rádio AM que toque coisas como O Tchan, pagode, brega, forró estilo Calcinha Preta, o Bonde do Tigrão, enfim, algo bem básico que grude no meu ouvido, descolando esse poeminha "revirado", porque ando cansada da Ana Carolina...

5 de set de 2004

Nóis também lê Harry Potter!

Não já era hora do site da J.K. Rowling ter uma versão em português? Tem surgido regularmente novas línguas lá, a última que notei foi japonês. Potterianos de Brasil, Portugal e demais países de língua portuguesa, uni-vos! Para que Dona Rowling olhe um pouquinho prá gente!

Coisas que sempre emocionam (porque eles sabem fazer, isso sabem):




a Elis e o Tom cantando Águas de Março, mesmo que seja no Fantástico, mesmo que seja domingão a noite (mas amanhã é feriado para mim, HAHAHAHAHAHA...). Devidamente reeditados. Ok, ok, rendo-me aos encantos globais...

Aliás, dei uma folheada na Veja esta semana (sim, sim, chamou-me a atenção a capa da Fátima e o William) e vi um quadro comparativo em grandes redes de TV no mundo, apontando como campeã de audiência a Globo, que é vista por 68% da população. Depois vinham canais da França, Inglaterra, com níveis inferiores a 50%...

3 de set de 2004

Ai, ando de juízo oco... cabeça vazia, oficina do diabo... É nada... Tchau, bom feriadão procês... Mas nóis se vê nele, a grana tá curta e o tempo será longo... Vou pescare domingo, eis a solução para meus problemas.

1 de set de 2004

Filosofia de botequim

Tensão.
Distensão.
Nisto se resume nossa existência.
São de felicidade os momentos em que descansa a carne (ou a alma, como queiram).
Com os dias, desgasta-se a mola.
Ou parte. Ou contrai e não volta. Ou volta e não mais vai.
Difícil fortalecer-se nas idas e vindas a peça que segue
Tensa,
Depois, solta.