31 de ago de 2005

Vinis

Post novo no Vinis da Sweet. Vá lá aderir a minha campanha e ver se você por acaso não tem uma pequena fortuna abolachada em casa.

----

Update - Postezinho (que horror esta palavra ficou) novo também no abandonado MaisEna, o blog dos pequerruchos. Tô uma blogueira tão assídua, concordam?

Boys don't cry

"Vossa excelência recolha-se a insignificância de vossa excelência".

Isto lá é coisa que se ouça da boca do terceiro homem na linha presidencial de um país?

Os meninos de bucho amarelo lá da minha terra tem coisa melhor para dizer na ponta da língua. Pelo menos são xingamentos mais criativos...

Falando de política, não tem cara que menos me apeteça ver na televisão ultimamente que esta cobrinha criada. Tomei abuso (justo, é certo) do sujeito. Essa é do KibeLoco. Porque recordar é viver.



O comentário do Kibe: "Vida ingrata. Ninguém mais respeita avô hoje em dia". KKKKKKKKKKKKKKKK. Eles são ótimos.

30 de ago de 2005

O robôzinho

Para Cássia.



(Notícia clicando na imagem).

O que me fez lembrar a dívida que tenho com este blog (as dívidas que eu faço comigo mesma, de fato, como aquela receita do macarrão que nunca chegou aqui), desde o dia em que o li o post da Cláudia sobre seus problemas com empregadas domésticas. Vamos ao pagamento.

É que, gente, eu vivo dizendo que não sei o que fiz de tão bom para merecer a que tenho. Ela nem é mais empregada, ou secretária, mas acho que tenho que chamá-la mesmo é de sócia na maternidade e na vida doméstica, talvez. Sem ela não sou nada. Estamos juntas a onze anos. Por ela me irrito com quem conta sorrindo humilhações aos seus funcionários (uma dona que esteve aqui outro dia). Por ela odeio criancinhas que chutam suas babás.

Não que ignore criaturas como as que Cláudia descreve. As relapsas, né? Que nada compreendem. Sei que a minha é como poucas. Uma profissional. Ela separa as moedinhas que estão no bolso das roupas a lavar. Ela deixa sobre o balcão o saco vazio de arroz que abriu. Ela nunca joga nada fora sem avisar. Ela corta as unhas da minha filha sem que ninguém nunca tenha mandado ou pedido. É isto o que falta nas mulheres desse mercado de trabalho: profissionalismo. Também tive muita sorte, porque a minha é mesmo especial. Outro dia ela achou uma carteira no ônibus, e, pasmem, ela devolveu. Com dinheiro. Essa passagem para mim colocou-a no pedestal que tenho cá na cachola.

Mas sobre os defeitos das domésticas, fica sempre em mim a dúvida, ao escutar o que as pessoas dizem, se a culpa é apenas delas. É um trabalho super hiper desvalorizado (somado ao fato de serem, via de regra, as domésticas, pessoas sem instrução, o que dá outro parágrafo), vide a legislação que possuem enquanto trabalhadoras, com direitos inferiores aos dos demais. Enquanto empregadora, entendo que é assim também para nossa defesa, já que não somos empresas, somos pessoas físicas que não podem arcar com encargos semelhantes aos das pessoas jurídicas. Isto, entretanto, não exclui a necessidade que eu observo na grande maioria das patroas de evoluirem nos seus papéis. Sabe aquelas pessoas peiticas? Conheço algumas. Que exigem que empregados estejam disponíveis das 6 as 20 horas, a servir café, água, e limpar bunda de menino, e de bom humor. Ainda que passem longas horas de ócio no aguardo das ordens. Para ganhar um, talvez dois, nunca mais de três salários mínimos. Digo, quando ganham o salário mínimo...

Gente desocupada em casa nunca suportei. Findo o serviço, se vá - o que é possível em minha casa porque não há crianças pela tarde nela. Entretanto, minha filha estuda à tarde em grande parte para possibilitar esta manobra, devo dizer. E pode haver algo mais aterrador para uma criatura do que morar em um quartinho dos fundos de um apartamento? Ai, não. Abomino a idéia. Entendo que quando há crianças bem pequenas ou doentes e idosos pode ser necessário, mas, eu, particularmente, sempre detestei, não só ter gente estranha em casa 24 horas ao dia, como vê-las enfiadas em cômodos incômodos, uma televisãozinha ligada, um cheirinho de mofo, um beliche. Também porque sempre optei por ser eu a criar minha filha, e não uma babá, mas esta história já renderia outro post.

E as ordens escritas? Cardápios? Tabelas de horário? "Faz isso tal hora, lava banheiro as quatro". Tenha santa paciência. Eu odiaria se meu chefe agisse assim comigo. Estabelece-se prazos e metas, é assim que deve funcionar. Termine o serviço. Como? A solução é sua. Deve ficar bom. Claro, na hora do almoço deve haver comida na mesa. Tal comida, mais ou menos. Se houverem cardápios escritos (muitas não sabem ler muito bem, ainda, pelo menos aqui no Nordeste), no dia que você esquece e a pobre nada faz, você reclama de falta de iniciativa. Pera lá. Nesses moldes, não há quem possa criar um profissional, definitivamente. Dignidade é importante, gente. Se não for assim, melhor mesmo é arrumar uma dessas:




Por fim, apenas para ilustrar, indico um filminho: Domésticas. Muito legal. Para quem não quer perder muito tempo e dinheiro, também tá valendo assistir a Marinete na Globo às terças-feiras...

29 de ago de 2005

Violação de Privacidade

Assisti a uma ficção científica neste fimde que, creio, não passou no circuito de salas de cinema, Violação de Privacidade (The Final Cut - 2004). Com Robie Williams, um ator que aprecio em alguns trabalhos, mas que definitivamente não se sai bem em dramas em que interpreta personagens "contidos", eu diria. É o que acontece neste filme. Ele está muito ruim mesmo. Parece inclusive que ultimamente tem investido em personagens mais sérios e, em minha opinião, o resultado não tem sido dos melhores.

Até que a história se desenvolve bem, com boa ação, mas a premissa é meio fraca. Lá do site AdoroCinema: "Em um mundo onde as pessoas possuem um implante no cérebro, que registra todos os seus atos, um homem trabalha como montador de filmes sobre a vida das pessoas após sua morte. Após encontrar uma imagem que o surpreende, ele decide partir em uma busca pessoal." Fica aquela pergunta: prá que diabos alguém quereria ter todos os acontecimentos de seus filhos gravados de uma maneira apenas assistível após sua morte? Só para o velório? Sem falar que em geral pais morrem antes dos filhos, né? Parece que o criador desejou discutir os problemas advindos da invasão que a tecnologia vem cada vez mais exercendo em nossas vidas e, para tal, bolou um enredo sem pé nem cabeça, fantasioso em excesso. Resumindo: se você não parar para pensar muito, até que dá para se divertir. Gostei do lance das pessoas tatuadas, que fazem tatuagens "elétricas" (ou algo assim), para impedir as gravações pelo tal implante. E é um filme de ficção sem efeitos especiais, o que tb me agrada; a realidade se assemelha a que vivemos - isto, considero bem "real"...

27 de ago de 2005

Pecadinhos

Noite de sábado é ótima para se falar de pecados, certo? Pois é, foi um dia de trabalho, nem pareceu mesmo sábado... Vamos aos pecados:

Testezinho: Qual seu pecado favorito? Nem sei porque fiz esse teste, pois, é claro, deu gula...

26 de ago de 2005

Campos das Princesas

Lindo nome, não? Sempre fui doida para conhecer... Será que a visita inclui os jardins?



PE.GOV.BR - O Palácio do Campo das Princesas, sede do Governo de Pernambuco, será aberto à visitação a partir desta sexta-feira (26). O objetivo é proporcionar aos pernambucanos e turistas uma aula sobre a história do Palácio e de Pernambuco. Além das dependências do prédio, construído em 1841, os visitantes terão contato com obras de arte, móveis e pratarias de séculos passados.

Sexta Fútil

Cês lembram dela? Da "Segunda Fútil"? Então, mais um projeto irrelizado. Pena que aqui será apenas um breve revival... Até porque acabo de ler esta manchete junto a notícia a ser postada/comentada nas próximas linhas: "Mundo está mais desigual do que há 10 anos, diz ONU". Aí, não há quem possa ser fútil... Logo eu, que esta semana estive a dar uma aula sobre desigualdade social para minha pequena após ser arguida sobre "porque nós nunca fomos a Disneylândia e Lindinha vai?"



- Pombinhos - Esta notícia certamente deixou-me em frisson. Prumode? Adoro o filme! Adoro ele! Adoro ela! Diane Keaton e Keanu Reeves, juntos, lindo! Veja o que andam dizendo: "Ele está encantado com ela. Sua independência, seu sucesso em vários campos e o fato de que ele pode aprender com ela torna Diane sexy para ele, mesmo que ela já esteja com quase 60 anos". Que fofo, só pode ser uma história de amor. Se não for, fico triste. A vida imita a arte, por isso estou sempre a repetir. Titia sabe.
Três figurinhas marcantes: não dá para simplesmente linká-las, tem que apresentar. Virtuais (nem tanto) amigos das antigas, da primeira e tão frutífera lista nempb:

Conrado, com po(e)st(ma)s (gostei do jogo de palavras). Da música, da poesia, da lei, como diria Dona Lu.

Vilmetes, outra linda criatura, carinha de menina. Das letras, das letras, e das emboladas...

Ana Laura, síndica lá do Condomínio Brasil. Jornalista, escritora. Essa mulher é virada de danada, gente.

Beijos mil a vocês, amigos lindos.

25 de ago de 2005

Ele está perto de Deus



Sentimental eu fico
Quando pouso na mesa de um bar
Eu sou um lobo cansado, carente
De cerveja e velhos amigos

Na costura da minha vida mais um ponto
No arremate do sorriso mais um nó
Aqui prá nós cantar não tá prá peixe
Tem coisa transformando a água em pó

E apesar de estar no ar caçando amores
Eu nego tudo e invento explicações
Amigo velho, amar não me compete
Eu quero é destilar as emoções

Sentimental eu fico
Quando pouso na mesa de um bar
Eu sou um lobo cansado, carente
De cerveja e velhos amigos

E os projetos todos tolos, condenados
Perecerão nas margens do amanhã
Uma tortura solta na cabeça
Um olho em Deus e outro com Satã

E quando o sol raiar desentendido
Eu vou ferir a vista na manhã
E olharei prá quem vai pro trabalho
Com os olhos feito os olhos de uma rã

(Renato Teixeira)

Se inventa

Esse povo blogueiro é supimpa. Agora surgiu uma nova brincadeira, que até onde sei quem começou foi a Batata, porém o nome, quem criou foi o Marcus: blogcrossing. Sim! E ficou bonitão o termo. Que lindo, eu nunca tinha testemunhado, digamos, o nascimento de uma palavra, uau! Ah, quem me chamou a atenção para o fato foi o Guilherme, com seu estilo sui-generis. É muita gente nesse universo blogal, gente. Ai, que bom que eu tô aqui, mesmo que pequenininha. Bjs a todos.

Chico fala

"Às vezes o silêncio é importante".

"Eu gosto do Lula. Continuo achando que sua eleição foi importante para a afirmação da democracia no país".

Declarou-se "sem clareza ainda para definir uma posição".

"Você não quer que eu faça o samba do 'mensalão', né?"

As pessoas não se acostumam com o fato de que o tempo passa e tudo muda. Mas é claro que em breve vai haver reflexo na obra de Chico. Também sou avessa, como ele, a conclusões rápidas, sem mastigação.

E com este sentimento de não "encontrar lugar em meio a tudo isso" me identifico a toda hora. Ou talvez já esteja passando desta fase. Estou preferindo não escutar muito mais. Só que o Chico, a gente não pode deixar de escutar, tô certa? Mesmo que ele não diga nada, hehehehe...

Notícia aqui.

24 de ago de 2005

Evangélicos

Aos corretos seguidores dessa religão: por favor não se ofendam com o título. Há ovelhas desgarradas em todos os templos, podem crer...

Folha on Line - Religioso americano diz que Chávez deve ser assassinado - O líder evangélico Pat Robertson, que faz pregação sobre o cristianismo em uma rede de TV dos Estados Unidos, afirmou em seu programa "The 700 Club" que os EUA devem matar o presidente venezuelano, Hugo Chávez, para que o país sul-americano deixe de ser uma base para o extremismo. "Nós temos capacidade para derrubá-lo e acho que já é hora de usar essa capacidade", afirmou Robertson ontem no programa. "Esse [Chávez] é um perigoso inimigo para o nosso sul controlando uma imensa quantidade de petróleo."

Jornal do Commercio - Igreja Universal é acusada de demolir casas do Patrimônio Histórico - A Promotoria de Defesa do Meio Ambiente do Ministério Público de Minas Gerais deverá ingressar com ações criminal e cível contra a Igreja Universal do Reino de Deus. A instituição é acusada de demolir quatro casarões dos anos 40, em Belo Horizonte (MG), no início do último dia 15 - um feriado municipal. As edificações estavam em processo de tombamento. A Universal pretende implantar no local um estacionamento para um dos seus megatemplos no bairro de Lourdes, um dos metros quadrados mais caros da região sul de Belo Horizonte. (...) A ação da Igreja Universal do Reino de Deus, para o Ministério Público, foi "premeditada". "Ninguém tem dúvida [da premeditação]. Todo mundo já percebeu a ação deliberada para frustrar as intenções do patrimônio público. Aqueles bens já estavam protegidos por um inventário", disse o promotor. (...) O estacionamento pretendido pela igreja é a continuidade do "shopping da fé" (????), um megatemplo para cerca de 5.000 fiéis no bairro nobre de Lourdes.




Ah, desculpem, mas esse nome eu preciso comentar. Shopping da Fé. Que terror. Não foi em protesto ao hábito da venda de indulgências pela igreja católica que aconteceu a Reforma Protestante? Mas que esculhambação descarada...

22 de ago de 2005

"O sol está presente como continua o impossível amor"

E é um amor longo esse que venho cultivando pela poesimúsica desta senhora. Acabou agora o Ensaio com Sueli Costa, na TV Cultura. Ainda aqui embasbacada e emocionada me encontro. E me deu muita saudade da turma da M-musica.



"Quando o mar
quando o mar tem mais segredo
não é quando ele se agita
nem é quando é tempestade
nem é quando é ventania
quando o mar tem mais segredo
é quando é calmaria

quando o amor
quando o amor tem mais perigo
não é quando ele se arrisca
nem é quando ele se ausenta
nem quando eu me desespero
quando o amor tem mais perigo
é quando ele é sincero
"
(Amor, Amor - Sueli Costa/Cacaso)

21 de ago de 2005

Drummond por Drummond

Ouça. Poesia. Não faças versos sobre acontecimentos.

Praça



Folha On Line - A famosa tirinha Mafalda, criada pelo cartunista argentino Joaquín Salvador Lavado, conhecido como Quino, tem a partir deste domingo sua própria praça em Buenos Aires com murais, jogos e quadrinhos.

Durante o ato de inauguração da praça, Quino comentou que a atualidade das tirinhas (que deixaram de ser produzidas em 1973) se deve ao fato de "a realidade continuar sendo tão triste como quando [Mafalda] era desenhada".


Que máximo, adorei esta notícia lida na lindinha Renata do Belas Imagens. Agora tenho uma razão para querer conhecer Buenos Aires... Deu vontade de ler o meu Toda a Mafalda...

20 de ago de 2005

Mais um!

"Cazuza enquanto poeta (da música, pois sabemos que também há escritos seus não musicados, que infelizmente não conheço) está em sua melhor forma nesta obra. E, enquanto ícone de uma geração, é seu auge: o lp contem "apenas" três dos seus maiores sucessos e também das canções mais marcantes daqueles tempos..."

Quer saber quais? Vai lá no meu outro blog Os Vinis da Sweet e descobre. Como é, você nunca foi no Vinis da Sweet? Qual é?!!!??? Pru mode? Tudo bem, ele é meio preguiçoso (o blog, não a autora, ele tem vida própria, hehehehe), *cof, cof*, mas tem post novo por lá... Deixa de ir não. O ano é 1988, o disco é Ideologia. Aproveita e comenta os posts dos outros discos que lá estão. São poucos, mas são dos bons. Cê não os ouviu? Ouça! Tenho muito bom gosto musical, acreditem! (ai, que modéstia..)

19 de ago de 2005

Sitemeter

Agora que configurei o Sitemeter para verificar de onde vem as pessoas que me visitam (graças a querida Lu do Pensamentos de Uma Batata Trasngênica - link ao lado), meu novo hábito é verificar diariamente o site. É bom e é ruim. Quando é ruim? Quando você começa a não entender porque chegou tanta gente esta noite diretamente de blogs que nunca visitei, no estrangeiro, especialmente do Blogger. Será culpa da Alanis Morissette?

Uma conclusão tiro de tudo isso: O Código da Vinci definitivamente continua em alta. O que aparece de nêgo procurando Robert Langdon não tá no gibi...

18 de ago de 2005

Tocando na cachola a maga gasguita

Mas eu gosto dessa bichinha.



Olha ela aí vestida de Deus(!) no filme Dogma.

You live you learn
You love you learn
You cry you learn
You lose you learn
You bleed you learn
You scream you learn
(You learn)

Esta é uma canção bem raivosa, com letra que não tem muito relação com meu momento, mas gosto muito dela:

And I'm here to remind you
Of the mess you left when you went away
It's not fair to deny me
Of the cross I bare that you gave to me
You, you, you oughta know
(You ought know)

Nem só de notícia ruim vive o homem

Em meio a tantas péssimos fatos de que temos conhecimento nessa nossa insana aldeia chamada Brasil, de vez em quando pinta um sinal, leve, de desenvolvimento, de melhoria para a população. É assim com a nova que acabo de ler dando uma limpeza em emails baixados no micro de casa. Foi aprovada em julho mudança no sistema previdenciário que "permite reconhecimento das donas de casa como trabalhadoras, ganhando o direito de ter aposentadoria especial por tempo de contribuição previdenciária". Trata-se da chamada PEC Paralela da Previdência, de que eu soubera que rolara mas sem tomar conhecimento de seu teor. Mais: volta a acontecer reajuste dos servidores públicos aposentados juntamente aos da ativa. Leia o texto completo aqui. Achei muito estranho porém, dentre as novas que lá estão a questão dos professores, como é que eles retiraram um direito tão antigo? Bom, de pronto, pula esta parte, para eu não ficar triste (ainda bem que mamãe é professora mas seu processo de aposentadoria já está concluso, e será por tempo de serviço integral). Pena que muitos dos direitos que foram promulgados ainda dependem de regulamentação. Vamos ver se nosso legislativo pára ao menos um pouco de tratar de escândalos na política e faz jus aos salários e verbas exorbitantes que consomem...

Dica

Esta desde segunda quero postar. Já viram a nova série Ser ou não Ser do Fantástico? Boa! Ultimamente não tenho tido a mínima paciência com o programa dominical global, mas, domingo, por conta da morte do Véio, assisti. E achei muito legal a idéia da série. Busca ensinar de uma maneira fácil, visual, exemplificativa, filosofia. Sim, filosofia não se ensina, mas há os primórdios, que sempre são um bom caminho para os semi-leigos (afinal, já estudei o mínimo do mínimo na faculdade) como eu... Recomendo!

Comida é energia, em outro sentido

"Segundo a medicina chinesa, encontramos em todos os alimentos diferentes tipos de energia. O chocolate representa energia quente, paladar amargo e o elemento madeira... Ou seja, podemos substituí-lo por um outro tipo de substância que contenha as mesmas características, como o chá preto, por exemplo. O ideal seria alternar, para suprir nossa carência física sem exceder em componentes indesejados". Do MSN. O texto fala sobre a necessidade de se ter uma alimentação diversificada, coisa que minha intuição de mãe já me dizia, e é assim que tento orientar minha filha, sem cobrança quanto a necessidade de emagrecer, ou a a necessidade de engordar. E ela está bem. Ando acima dos meus quilinhos mas sei que tenho boa alimentação (tudo bem, só vou pegar semana que vem minha avaliação física na Academia da Cidade - um bom projeto da prefeitura de Recife do qual estou me utilizando - mas tenho confiança no meu taco), porque sempre tentei me guiar, quando o tema é alimentação, por esta regra da diversificação. Meu lema é: "como tudo, menos chuchu puro e beterraba". E olhe lá, se só tiver isso... É bom quase se descobre que algo que já se sabia é fato, ainda que hoje em dia se diga que "tudo é energia". Nada contra esta linha de pensamento, mas que é engraçada é...



Deu fome a foto? Ainda não são onze horas, hehehehehe...

Cada esquisitice...

Roberto Carlos, o jogador, faz contrato pré-nupcial com suas namoradas depois dos primeiros 30 dias, prás moças disserem que não vão meter a mão na bufunfa. Li no JCF. Povinho vendido, né?

----------

Um vírus, de computador, tirou do ar três das maiores redes de televisão americanas e também máquinas do jornal The New York Times. Li no Marcelo. Desse jeito a gente chega cedinho naquela realidade apregoada pelos filmes de ficção científica em que as máquinas dominam o mundo, hehehehehe....

----------

A nova moda neste nosso mundo em que o que conta mais e apenas é o capital é a seguinte: escritores estão leiloando o direito de ter um personagem em seus livros batizado com o nome do comprador. Marquetingue, né? Li na Naomi. Ela até perguntou que escritor gostarísmo que desse a um personagem nossa alcunha; de pronto, pensei: ninguém. Assim, pago, não, só se fosse de grátis e por livre e espontânea vontade...

17 de ago de 2005

16 de ago de 2005

"De com força"

Chegou "de com força" (como diz o povo daqui) de novo a música na minha vida, gente.

Nuvem cigana
(Lô Borges e Ronaldo Bastos)

Se você quiser eu danço com você
No pó da estrada
Pó, poeira, ventania
Se você soltar o pé na estrada
Pó, poeira
Eu danço com você o que você dançar

Se você deixar o sol bater
Nos seus cabelos verdes
Sol, sereno, ouro e prata
Sai e vem comigo
Sol, semente, madrugada
Eu vivo em qualquer parte de seu coração

Se você deixar o coração bater sem medo

Se você quiser eu danço com você
Meu nome é nuvem
Pó, poeira, movimento
O meu nome é nuvem
Ventania, flor de vento
Eu danço com você o que você dançar

Se você deixar o coração bater sem medo
Se você deixar o coração bater sem medo
Se você deixar o coração bater sem medo

15 de ago de 2005

O poder da mídia e como se usa a mídia

Li esta notícia no Marcelo, que leu na Rosana Hermann. Os que comentaram o post na Rosana disseram já saber e pareceram não se surpreender, mas eu como sou muito tola e alienada (não leio Carta Capital habitualmente) fiquei chocada. Considerando a importância da entrevista do Valdemar Costa Neto no momento atual. Dá para perceber claramente como somos todos bobões, e a que ponto vai o poder da imprensa neste país insano em que vivemos:

Carta Capital - Quase três anos atrás, muito antes de a revista Época publicar a “revelação” do ex-deputado federal Valdemar Costa Neto como notícia exclusiva, CartaCapital mostrava os mesmos bastidores do acordo entre o PT e o PL. Na edição 213, de 30 de outubro de 2002, reportagem de capa de Bob Fernandes contava as andanças da campanha do então candidato à Presidência Luiz Inácio Lula da Silva.

O texto relata que na noite de 19 de junho de 2002, véspera do prazo final para o registro das candidaturas no TSE, reuniram-se no apartamento do deputado Paulo Rocha (PT-PA), em Brasília, Lula, José Dirceu, José Alencar, Gilberto Carvalho, o tesoureiro do PT, Delúbio Soares, e o presidente do PL, Costa Neto. Este último argumentava que, sem as fontes tradicionais de arrecadação de recursos, o partido não teria condições de bancar as campanhas dos candidatos nos estados. Era a senha para negociar com o PT uma contrapartida para o apoio a Lula.
Coisas que eu odeio numa manhã de segunda de chuva:

-a risada da mãe que narra as humilhações impostas por seus filhos aos empregados da casa;
-as frases "onde está a vaga para advogado daqui?" e "eu não vou vir na chuva, vou deixar meu carro aqui", para um desorientado segurança prestes a explodir diante do automóvel que bloqueia uma entrada principal de automóveis em prédio público;
-este ícone coloridinho ridículo do Windows 2000 que insiste em lembrar-me que há atualizações a fazer, a despeito de já o haver acionado apenas hoje umas trocentas vezes.

Ainda bem que não é da minha natureza odiar ...

Roubado do blog da Anucha:

"Entrego
Confio
Aceito
Agradeço
(Hermógenes)
"

14 de ago de 2005

O que penso de tudo isso

Eu li um post de hoje da Cláudia, ia comentar lá e acabei achando que seria melhor postar aqui:

Não é que fosse o PT o único a apedrejar a corrupção; a corrupção, todos rejeitam, de ofício, obviamente, ou alguém se elege dizendo: "votem em mim, sou corrupto"? E, dos que atacam nos interrogatórios nas CPI´s, e tentam cada vez mais promover-se com a exposição na mídia, salvam-se poucos, pouquíssimos; de fato, porém, o PT era dos poucos partidos considerados limpos, até então. Era nisso que nós, que votamos tantas vezes em suas lideranças, acreditávamos. Com os fatos vindos a tona, só dá para ter certeza de uma coisa: temos um ambiente político podre, apodrecido, é um charco. Desse jeito, é difícil continuar. A tal reforma política, partidária, é urgente, mais que nunca agora. O PT só conseguiu chegar ao poder sujando-se; e quem aos porcos se junta farelo come. Não tinha a prática da bandidagem, a ciência da corrupção. É como menino que não sabe filar, e fila, e o professor pega. Com isso não pretendo defendê-lo, é preciso esclarecer. Tampouco me interessa engrandecer a covardia. Não sei qual será nosso futuro, agora, de uma coisa sei: da forma que está, resta provado, não continua. Não dá para continuar. O poder corrompe? Então que se ajuste um sistema no qual isso não seja possível, a corrupção não seja possível. É a única saída que nos resta.

No topo

Prá quem não percebeu, aviso que mudou o *textículo* aí no header do Maio. Sai João Bosco, entra Zélia Duncan. Enquanto o verdão não sai.

Para o presidente

Meu partido
É um coração partido
E as ilusões estão todas perdidas
Os meus sonhos foram todos vendidos
Tão barato que eu nem acredito
Ah, eu nem acredito
Que aquele garoto que ia mudar o mundo
(Mudar o mundo)
Frequenta agora as festas do "Grand Monde"

Meus heróis morreram de overdose
Meus inimigos estão no poder
Ideologia
Eu quero uma pra viver
Ideologia
Eu quero uma pra viver

O meu prazer
Agora é risco de vida
Meu sex and drugs não tem nenhum rock 'n' roll
Eu vou pagar a conta do analista
Pra nunca mais ter que saber quem sou eu
Pois aquele garoto que ia mudar o mundo
(Mudar o mundo)
Agora assiste a tudo em cima do muro

Meus heróis morreram de overdose
Meus inimigos estão no poder
Ideologia
Eu quero uma pra viver
Ideologia
Pra viver

Pois aquele garoto que ia mudar o mundo
(Mudar o mundo)
Agora assiste a tudo em cima do muro
(em cima do muro)
Meus heróis morreram de overdose
Meus inimigos estão no poder
Ideologia
Eu quero uma pra viver
Ideologia
Pra quero uma pra viver
Ideologia
Pra viver

13 de ago de 2005

Ê diazinha pop. Canseira tá me dando dele e não acaba (quando findar este post terá acabado, mas só de ofício). Me incomodou tanto rock´n roll; e o incômodo me fez sentir velha. Que coisa estranha. A despeito deste mal-estar, o cover do Cazuza no bar da frente insiste: "por que é que a gente é assim?". "Benzinho, eu ando pirado", respondo. Tô mais para o silêncio das estrelas de sertão. Será um certo respeito inconsciente pela morte do véio? E que ele se vá na véspera do dia dos pais é significativo. Porém os 70´s estão a repetir-se loucamente na outra festa. O cover ataca agora de Lula Queiroga, Desengano, o que considero um golpe baixo com a minha pessoa. E na TV só o que me interessou foi "A História do Rock Brasileiro", que porra é isso? Dia do rock e eu não sei? Perseguição? Agosto, agosto... Os exus dançam.

Não sei porque essa música me lembra o véio. Eu até iria ao velório amanhã, sério.

Ok, ok, não dá para negar a raiz. Tá tocando na cachola afinal:

Blues da Piedade
(Cazuza e Frejat)

Agora eu vou cantar pros miseráveis
Que vagam pelo mundo derrotados
Pra essas sementes mal plantadas
Que já crescem com cara de abortadas
Pras pessoas de alma bem pequena
Remoendo pequenos problemas
Querendo sempre aquilo que não têm
Pra quem vê a luz, mas não ilumina suas minicertezas *amo essa frase*
Vive contando dinheiro
E não muda quando é lua cheia
Pra quem não sabe amar
Fica esperando
Alguém que caiba no seu sonho
Como varizes que vão aumentando
Como insetos em volta da lâmpada
Vamos pedir piedade
Senhor, piedade
Pra essa gente careta e covarde
Vamos pedir piedade
Senhor, piedade
Lhes dê grandeza e um pouco de coragem
Quero cantar só para as pessoas fracas
Que estão no mundo e perderam a viagem
Quero cantar o blues
Com o pastor e o bumbo na praça
Vamos pedir piedade
Pois há um incêndio sob a chuva rala
Somos iguais em desgraça
Vamos cantar o blues da piedade
Vamos pedir piedade...



12 de ago de 2005



Essa imagem não me levou às lágrimas, mas que deu um bolo na garganta deu... Eu lembrei do dia no aeroporto, em que fomos ver o presidente e ele passou a mão em meu rosto, no meio da multidão. Acabou-se a esperança. Lula acabou-se. E a gente fica se sentindo orfão, mesmo.

Cega no tiroteio

Cadê o Noblat para me guiar nessa hora de boatos sobre renúncias, pronunciamentos vazios, pessoas a ladainhar (isso existe?) que bons eram os militares? Foi almoçar? Qual é?

Muita calma nessa hora.

Vamos à fala da Rosana Hermann:

"Trair os ideais de um povo é a coisa mais grave que existe. Porque não há pior roubo do que aquele que subtrai a fé a esperança das pessoas. Mas juro que eu não senti que a revelação de ontem do Duda fosse a parte mais grave de toda a 'tragédia'. Só se combinaram sem me avisar que todo mundo ía brincar de ser hipócrita. Até parece que nunca ninguém ouviu falar em contas no exterior, contas numeradas. Até parece que nunca ninguém pagou ninguém, partido ou empresa privada, com dólares lá fora. Não estou defendendo o PT, Lula, ninguém, mas me intriga a forma como, de repente, diante da TV, todo mundo fica bonzinho.

Dá pra entender, sim, a pressão pra não admitir verdades ilegais é tão grande, que dá nisso. Todo mundo diz que nunca bebeu, nunca fumou, nunca se drogou e ficamos assim. As estatísticas mostrando que todo mundo faz e todo mundo nega. Ninguém trai, ninguém mente, ninguém rouba, ninguém faz nada ilegal. Se for assim, estamos precisando mesmo rever as nossas leis.

A hipocrisia social faz com que os mais sinceros sejam obrigados a travestir e maquiar até suas confissões. Quando vem um presidente e diz que já fumou maconha, tem que dizer que não 'tragou' pra não ser linchado politicamente. Veja o que aconteceu com a Soninha que admitiu que consumia a erva, foi apedrejada e execrada publicamente com direito a canalhice de jornalistas e editores que a colocam em capas de revistas e outdoors na cidade como se uma criminosa perigosa.

Está combinado, nao é? Ninguém vai admitir verdades proibidas. E assim, os que jogam as pedras são sempre os que praticam atos tão ou mais graves do que os apedrejados.

Como diz meu papagaio, 'já acordou?'. Porque no mundo real onde eu vivo, até a igreja tem padres pedófilos. Até os religiosos roubam. Crime e pecado não são privilégios de nenhuma categoria.

E que Deus nos ajude nesta hora."


A Época (precisa se cadastrar, pode ser feito na hora), tá nas bancas com o Valdemar abrindo o bico. Consta que o presidente esperou por ela para pronunciar-se. Chico Alencar chorou ontem no Congresso. Um colega aqui do trabalho também, eu soube. "“Ninguém fez o PT para mim. Eu sou a primeira filiada do partido em Sorocaba. Tenho 25 anos construindo esse partido e o projeto Lula. Todos nós somos PT. Todos nós construímos o PT junto com Lula”, disse a senadora petista Iara Bernardi, de Sampa. Eu estou mais preocupada com o nosso futuro do que triste. Mas também tô triste, mais pelas pessoas, que estão tão melancólicas. Cheguei a conclusão de que não sou tão idealista assim. É preciso traçar um rumo, agora. Coisa de geminiana: é preciso adaptar-se as realidades.

11 de ago de 2005

A Sorte Favorece os Destemidos

Assisti ontem o filme de Oliver Stone, Alexander sobre o qual o grande comentário que ouvira quando do lançamento (2004) era "o filme mostra a homossexualidade de um mito da história". Muita besteira pode ser dita sobre obras de arte, realmente. Apesar de ter alguns problemas que tive com o DVD, gostei muito do filme, e recomendo.

Ainda nâo sou tão acostumada com DVD, e como a edição especial que peguei continha duas opções de áudio em inglês (uma com o som original e outra com comentários simultâneos do diretor e do historiador Robin Lane Fox, especialista no tema e consultor de Oliver na produção de Alexander), me atrapalhei a ponto de resolver assistir a versão dublada, o que em geral não suporto. A dublagem era péssima, aborreceu-me demais. Para completar, no início da história alguém deve ter pulado algumas cenas no controle remoto, e a trama ficou muito sem sentido, porém não percebemos o que acontecera. Só quando, por pirraça (e graças ao fato de ser hoje feriado para mim), após haver decifrado a novela das duas versões de áudio em inglês, resolvi rever, foi que descobri este pequeno detalhe. As cenas contavam a vida de Alexandre até os 19 anos e eram fundamentais para o entendimento do enredo.

Apesar dos contratempos, gostei do filme. Quando assisti de novo, claro. E em inglês.

Muito interessante para mim foi a versão em que Oliver e Robin comentam as cenas. Você passa a olhar com os olhos do autor, o que é muito legal mesmo; principalmente quando percebemos que este não foi feliz no que pretendeu: ao dizer que colocou tal elemento no filme para que o expectador compreendesse tal coisa, e você observa que não foi atingido. Dá vontade de dizer: "aê, Oliver, deu errado!", heheheheh. Também não se perde em nada a graça da audiência, ao contrário, se acrescenta; entretanto não arriscaria ver primeiro esta versão. Claro, isto demanda tempo. Começo também a entender como é importante utilizar este artifício em filmes longos, com enredo mais complexo e sem estrutura linear. Lembro como foi confuso assistir JFK (que aliás também é de Oliver Stone), filme que adorei e pretendo rever. Quando se retrata fatos históricos, é melhor ainda. Era ótimo quando o consultor dizia, sobre determinada passagem: "isto realmente não aconteceu assim, mas Oliver achou que seria bom para realçar isto e isto e aquilo outro, mas como historiador preciso dizer que não foi assim". Bom, estava no alerta ao início do filme: não se pretendeu realizar um tratado sobre o personagem, é uma obra de arte, uma visão da verdade.

Não me animei muito com esta onda de épicos que tem assolado a sétima arte após ver e detestar Tróia, mas Alexander realmente mudou um pouco isto. O ator principal, Collin Farrell, a princípio não me convenceu muito (também, coitado, com aquela voz horrorosa de dublador brasileiro), porém sendo mais sensata, via de regra avalio sua atuação como razoável. Em termos de elenco, as mulheres tomam conta do filme: Angelina Jolie como sua mãe, a bela e diabólica amante de serpentes Olímpia, e Rosario Dawson, como a selvagem e exótica esposa bárbara de Alexander, Roxana . Val Kilmer me surpreendeu como Felipo, o caolho, seu pai. O visual do filme, como era de se esperar, é grandioso, um espetáculo a parte.

Antes de mais nada, o filme busca mostrar a grandiosidade da personalidade de Alexandre: um conquistador que não se contentava em explorar o conquistado (muito pelo contrário, incorporou a sua pessoa muito da alma asiática), que possuia um sonho, não alcançado, e por ele foi as últimas consequências, e uma visão, muito além do seu tempo, de um mundo único para todos os homens (sem entrar no mérito de ser isto ou não possível, claro).

E sobre homossexualismo, achei lindo o que Oliver fala acerca de sua real intenção ao mostrar esta faceta do mito. Claro que, primeiramente, buscou-se retratar a verdade: o personagem, em suas palavras, não era bissexual, mas trisexual, ou talvez pansexual; ou seja, aparentemente, e em linguagem chula, sendo gente, ele traçava qualquer variedade. E por fim, Oliver faz referência àquilo que Aristóteles ensinava para os meninos, futuros generais do exército macedônio que Alexandre liderou. Sobre o amor entre os homens, o amor-ágape, aquele que possibilita aos homens demonstrar um bem-querer, ou melhor, um "querer o bem", independente de atração sexual, por seus amigos. Era assim a relação ente Alexandre e Heféstio, a quem o diretor define como "almas gêmeas". Como dizia Milton, "qualquer maneira de amor vale a pena".

10 de ago de 2005

Momento manteiguinha, ou melhor, meiguinha...



Que coisa meiga você é?


A autora com certeza é um pottermaníaca... Ai que este vício em testes acaba com minha reputação de blogueira séria, heheheheh...

Uma notícia que me agrada

Hablas espanhol? Um pouquito? Vêem que, definitivamente, eu não hablo. Achei, por isso mesmo, legal a notícia lida a pouco: foi sancionada pela presidência da República lei que torna obrigatório o ensino da língua espanhola no ensino médio brasileiro, projeto este que deve ser implementado gradativamente nos próximos cinco anos. Não é tão bom quanto aparenta a primeira vista, pois a manchete ("Espanhol será disciplina obrigatória no ensino médio brasileiro"), como de hábito em nossa imprensa, truncou a informação : de fato, não serão todos os alunos obrigados a cursar o espanhol, o que a lei possibilita é o aprendizado de duas línguas, sendo exigido minimamente ao aluno que curse uma, a obrigatória, escolhida pela comunidade (como se dará tal seleção não sei, talvez pelos Conselhos Tutelares Municipais?) e, não sendo esta o espanhol, será obrigatoriamente a segunda, que é entretanto optativa para o aluno. Quem quiser aprenderá espanhol portanto, porque as escolas deverão obrigatoriamente oferecer a matéria. Mais mercado de trabalho para o educador: quem souber espanhol, pois, vá se habilitando. A importância desta medida entretanto vai além: seu alcance maior é o fortalecimento de nossa identidade enquanto povo latino-americano, já que nós, brasileiros, estamos tão distanciados culturalmente das demais nações vizinhas. Resta, entretanto, saber se não será mais uma lei a não ser cumprida...

Lula fala e Lu muda. E foto.

Lula-lá falará.
Vejaí.

--------

E Lu mudou seu template. Ficou lindão o Pensamentos de uma Batata Transgênica!!!!!!!! O que me leva ao velho ataque de mudar a cara do Maio. Inveja mata, sô. Não aguento mais esse matagal aqui. Mas mudar e perder tudo, me dá medo.

--------

Para quem tem câmara digital (não é meu caso, mas amo vocês): dica de como tirar foto 3x4 com sua digital, lá do Canoa Furada do Marcus. Furada nada.

Legalizando o lógico

MSN Notícias - A Comissão de Viação e Transportes da Câmara dos deputados aprovou na semana passada um projeto de lei que permite ao motorista ultrapassar a velocidade máxima de uma via entre as dez horas da noite e as cinco da manhã.

A proposição 3914/04 altera o Código Brasileiro de Trânsito e anula as infrações com velocidade registrada até 70 km/h, ou seja, a liberação será apenas parcial.

O objetivo da medida é evitar crimes nas ruas em que o limite de velocidade é baixo, o que acaba colocando os condutores em risco.

O projeto ainda será analisado pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania e não precisa passar pelo Plenário para ser aprovado.

9 de ago de 2005

Rapidinhas de hoje

HAHAHAHAHAAHAH, Essa aqui é ótima, e confirma algo de que, em meus mais de dez anos de labuta com computadores e seus usuários, sempre desconfei: mostra-me teu micro e te direi quem és! Então é isso... fiquei até emocionada em saber que, no fundo, no fundo, o que sou é uma terapeuta do relacionamento homem-máquina, heheheheheh..

--------------

Eu não acredito que, bem na hora em que se pediu a "outra" lista, ou seja, não apenas aquela de pessoas indicadas a Marcos Valério pelo PT para receber o dinheiro dos empréstimos, mas uma lista dos beneficiados desde 1998 em seus escusos negócios, incluindo nomes do PSDB, chegou a hora do almoço. Às duas e meia da tarde. É demais para meu juízo.

--------------

Alguém aqui assistiu Matadores de Velhinhas? Olhaí, a vida imita mesmo a arte... Ou a arte ensina a vida, sei lá... Aliás, a propósito, eu não gostei deste filme, meio chato...

Apenas avisando que voltei

Olá, meus caros, tô aqui apenas "batendo o ponto", depois de uma viagem repleta de descanso, natureza e "esvaziamento da mente" (hehehehehe), feliz por poder enfim colocar esta bonequinha "Zen-like" aí ao lado.

Não sei quem sacou o que de onde.
Não sei quem vai depor na CPI.
Não sei o que rola lá pelo espaço sideral.
Não sei como anda minha conta bancária.
Não sei como vai o véio Arraes.

Ah, também não sei que cacto é este da foto lá embaixo, sei que não é coroa-de-frade, que seria esta aqui. De sertão, teoricamente falando, sei muito pouco.

Sei que Clara chorou para voltar.
Que ela passou seus dias enfiada num circo mambembem que aterrisou lá pelas brenhas do Tigre e que ia sozinha com as primas.
Que fez frio e o imenso casarão vazio me fez refletir muito, até mesmo de uma forma incômoda.
Que comi muito.
Que estão cheios os reservatórios.
Que o rebanho tem adoecido com tanta umidade, ficam com um problema nos olhos que o sal cura (pobrezitos).
Que para puxar eletricidade até a casa velha será necessária a compra de dois postes.
Well, eu sei mais coisa, porém ainda estou em outro astral de preguiça, e este post já se alongou por demais...

5 de ago de 2005

Priiiiiiiiiiiii (Entenda-se: o som de um apito)

Lido na Cássia: tramitam na Câmara dos Deputados 2 pedidos de impeachment do Lula. Não são os primeiros, apenas não fica claro na notícia do UOL postada por ela se as outras 4 citadas devem-se também aos fatos recentes que vem balançando o governo petista. Fiquei pasma com outra informação encontrda lá: FHC sofreu não 6, mas 22 pedidos! Yes! Pois é, isso é que saber fazer as coisas direitinho. É o que tenho dito ao longo destes conturbados dias de crise: o problema maior do PT foi não ter sabido roubar direitinho, na calada da noite, e sem deixar vestígios, como fizeram os governos anteriores. Não que isto chegue a ser um consolo, muito pelo contrário... Bom, sou uma desencantada do PT, sim, votei sim, no Lula, todas as vezes que pude, e no PT em eleições locais também. Era dessas que colocava adesivo no carro e comprava bottom no diretório. Hoje em dia, já nada sei sobre em quem acredito na política. Na Heloísa Helena, talvez. No Eduardo Suplicy, talvez.

Ao mesmo tempo, acho que infelizmente é desta realidade que dispomos, então vamos concentrarmo-nos nela. Vamos pensar sem a cabeça nas nuvens. Não tirem absolutamente nenhuma conclusão disto que falo. Acontece apenas que ainda não consigo ser dessas que simplesmente passa a alienar-se, a querer ir embora do país, e a dizer que não votará mais em ninguém. Não sou assim. Permita-me Deus nunca ser. Um textículo (ops) para reflexão.

Procura-se...

... um bom site para ouvir rádio na net. Anda um silêncio isto aqui. Não tenho mais cara de baixar músicas de tantas que já perdi este ano. O único que ando acessando é o do Terra, e é muito, muito ruim. Aceito dicas. Não tinha um oficina-do-som, ou algo assim?


“Vou me embora pro sertão,
ô viola meu bem, ô violá,
que eu aqui não me dou bem,
ô viola meu bem, ô violá...”.

3 de ago de 2005

Tocando na cachola

GETTING BETTER
Lennon/McCartney

It's getting better all the time...

I used to get mad at my school
The teachers that taught me weren't cool
You're holding me down
Burning me round
filling me up with the rules

I've got to admit it's getting better
a little better all the time
I have to admit it's getting better
it's getting better since you've been mine

Me used to be angry young man
Me hiding me head in the sand
You gave m the word
I finally heard
I'm doing the best that I can

I've got to admit it's getting better
a little better all the time
I have to admit it's getting better
it's getting better since you've been mine
getting so much better all the time!

It's getting better all the time
better, better, better!!!
It's getting better all the time
better, better, better!!!

I used to be cruel to my woman I beat her
and kept her apart from the things that she loved
Man, I was mean but I'm changing my scene
and I'm doing the best that I can

I've got to admit it's getting better
a little better all the time
Yes, admit it's getting better
it's getting better since you've been mine
getting so much better all the time!

It's getting better all the time
better, better, better!!!
It's getting better all the time
better, better, better!!!

GETTING SO MUCH BETTER ALL THE TIME!


Começo a desconfiar de que sofro de síndrome maníaco-depressiva... Ou então isso é o que chamam TPM...

Figuras: Heloísa Helena e José Dirceu, por favor

Para ler depois. Quem tiver algo com a história do Zé Dirceu, please me informe, pois procurei aqui e não achei...

Vida

Terra - Uma mulher com morte cerebral, mantida viva artificialmente há três meses, teve nesta terça-feira uma menina em um hospital do Estado americano da Virgínia, anunciou um membro de sua família. A menina, Susan Anne Catherine Torres, nasceu mediante uma operação de cesariana e, apesar de pesar menos de um quilo, está bem, disse um porta-voz do Centro Hospitalar da Virgínia, no qual aconteceu o parto.

A partir da morte cerebral, a doação de orgãos é possível, todos sabem. Por outro lado, vocês devem estranhar que a mim soe esquisito que, nesta mesma circunstância de morte, possa ser mantida a vida (no mesmo corpo). Devo ter algum problema para ver contradição em algo assim... São mudanças demais nos processos naturais para minha antiquada estrutura...

Se analise, sô...

Testezinho para escolha de linha terapêutica. Um dia eu faço (a terapia, o teste eu já fiz).
Poema em Linha Reta

Nunca conheci quem tivesse levado porrada.
Todos os meus conhecidos têm sido campeões em tudo.
E eu, tantas vezes reles, tantas vezes porco, tantas vezes vil,
Eu tantas vezes irrespondivelmente parasita,
Indesculpavelmente sujo,
Eu, que tantas vezes não tenho tido paciência para tomar banho,
Eu, que tantas vezes tenho sido ridículo, absurdo,
Que tenho enrolado os pés publicamente nos tapetes das etiquetas,
Que tenho sido grotesco, mesquinho, submisso e arrogante,
Que tenho sofrido enxovalhos e calado,
Que quando não tenho calado, tenho sido mais ridículo ainda;
Eu, que tenho sido cômico às criadas de hotel,
Eu, que tenho sentido o piscar de olhos dos moços de fretes,
Eu, que tenho feito vergonhas financeiras, pedido emprestado sem pagar,
Eu, que, quando a hora do soco surgiu, me tenho agachado
Para fora da possibilidade do soco;
Eu, que tenho sofrido a angústia das pequenas coisas ridículas,
Eu verifico que não tenho par nisto tudo neste mundo.
Toda a gente que eu conheço e que fala comigo
Nunca teve um ato ridículo, nunca sofreu enxovalho,
Nunca foi senão príncipe - todos eles príncipes - na vida...
Quem me dera ouvir de alguém a voz humana
Que confessasse não um pecado, mas uma infâmia;
Que contasse, não uma violência, mas uma cobardia!
Não, são todos o Ideal, se os oiço e me falam.
Quem há neste largo mundo que me confesse que uma vez foi vil?
Ó príncipes, meus irmãos,
Arre, estou farto de semideuses!
Onde é que há gente no mundo?
Então sou só eu que é vil e errôneo nesta terra?
Poderão as mulheres não os terem amado,
Podem ter sido traídos - mas ridículos nunca!
E eu, que tenho sido ridículo sem ter sido traído,
Como posso eu falar com os meus superiores sem titubear?
Eu, que tenho sido vil, literalmente vil,
Vil no sentido mesquinho e infame da vileza.

--------

Update - Faltou dar nome aos bois: o texto é de Fernando Pessoa.