27 de mar de 2008

Mistérios, again

Me lançaram um desafio.

Cumprido (Salve, salve, Santa Mula). De quebra ainda aprendi a usar o Goear.

Escutem, tá?

Agora esse mistério pelo menos acabou.


Tristeza

Nunca sei realmente se a música me salva ou me mata.

Se é boa ou má companhia. Porque alivia mas também magoa. Por que a beleza tem que ser sempre assim? Ou é apenas um reflexo do repositório dela que sou?

25 de mar de 2008

Joyce canta...

... saudades de fim de tarde!

Ê manteiga derretida véia!


"De quem falo me acha direita
Se casa comigo, se rola e se deita
Me namora quando não devia
E quando eu queria me deixa na mesa
De quem falo me fala macio
E finge que entende o que nem escutou
Me adora e me quer tão somente
Enquanto que mente é o que acreditou
Esse homem que passa na rua
Que encontro na festa e me vira a cabeça
É aquele que me quer só sua
E ao mesmo tempo que eu seja mais uma
De quem falo ele é feio e bonito
Mais velho e menino, meu melhor amigo
É o homem da cor brasileira
a loucura e a besteira que dorme comigo.
"
(Da Cor Brasileira - Joyce)




Captado aqui.


----------


Essa conversa de manteiga derretida me lembrou a cena que vi naquele programa de pegadinhas da noitinha ("Sorria, você está na Record!"). Um casal de velhinhos se beija apaixonadamente num shopping e todos ficavam olhando, espantados.

Tenho pensado na velhice, ultimamente. É fatal que um dia se pense nela, na verdade é necessário. Já não tenho mais vinte anos (apesar da carinha de 22, kkkk), tô chegando aos quarenta, e não serei a primeira a ficar para semente. Não sinto isso, mas é fato. Não sentindo, pois, que eu pense ao menos um pouco na velhice. Na velhice não. No passar do tempo. Assim é um bom começo.

Olho minha pele firme e penso: vai enrugar. Olhe sua mãe, criatura. Muito estranho tudo isso será, melhor então preparar o terreno. Será que não mais quererei beijar na boca um dia, de tão velha que estarei? Só porque minha boca vai estar murcha? Acho difícil, espero que não. Hoje escutei uma frase de alguém que não aprecio que talvez expresse o paradoxo de ser velho: "ter uma mente de vinte num corpo de sessenta é um problema". Rapaz, deve ser mesmo. Já começo a perceber tal desavença. Talvez a Palpi tenha que me ensinar um bocado de seus OMMMMMMMSSSS para que eu consiga passar por mais essa. Afinal, a última metamorfose quase me quebra: sair da adolescência. É, saí outro dia. Quer dizer, creio que saí. Saí? Saí nada. Hoje de tarde 'tava mandando torpedo pelo celular... Aijisus, não acredito que contei isso....

23 de mar de 2008

Sem palavras





Percebem? Só letrinhas soltas.


Ah, mas Feliz Páscoa prá todos. Aqui tudo na paz. Aliás, estive uns dias fora, lá em Pasárgada, o lugar para onde vou, Dona Kênia. "Lá sou amigo do rei", num sabe?


----------

Pergunta básica? Por que todos conseguem comprar passagens em promoção pela internet e eu não? Paciência pouca?


----------


Falar em interrogações, anturdia descobri que estou velha meeessssmoooo. Minha filha agora me ensina português. Errei uma questão de concurso sobre "por que", "por quê", "porque". Ela veio me tirar dúvidas. Fiquei muitíssimo indignada em não saber mais algo que um dia soube, confesso.

13 de mar de 2008

Fito

Inocentemente, fui escutar uma das antigas e idolatradas do Fito Paez, a da Mariposa, ao lado.

Findei escutando outras, e vendo alguns vídeos que julgo serem de músicas mais recentes.

Estou aqui embasbacada de tão boas (as músicas) e bons (os vídeos).

Primeiro posto o vídeo de Si Es Amor. Além de lindíssima a canção (o piano de Fito cada vez melhor), o vídeo é excelente. Vale a pena ver.


"y si es amor, comeremos en la misma mesa
y si es amor, lo que nunca compartimos
las vidas que no vivimos juntos, las miradas que esquivamos
las mentiras que dañaron
nada nos importará si es amor…
"





Agora, El cuarto de al lado. Não preciso repetir as palavras.


"La vida es la reina madre de la inmensidad
La que agita las fieras, la que acerca los corazones
La música es la reina madre y no se hable más
Silencio que a llegado ella con sus alas y flores
"


12 de mar de 2008

Chove chuva que vai pingando
Pingos de chuva que brilham no ar.





É na chuva que vai chegando
Toda a floresta começa a cantar.





Sua canção, sua canção
Pling, ploc, pling, ploc.






Homenagem ao Bambi. Quer dizer, na verdade à beleza e à canção.







Canção completa.

Fotos de Bonito-PE.


------------


A mente nos engana permanentemente. Sou a testemunha viva disto, em todo tipo de questão, das básicas enganações musicais a outras enganações mais sérias. Olha como essa música estava guardada na cachola.


Pinga pinga chuvinha
pinga pinga chuvinha no céu a bailar
Pingos pingos de prata
Pinga pinga cantando a canção do amor
Pinga chuvinha pinga
Pinga chuvinha pinga
dindon dindon



Fala sério... Felizmente a internet existe, este momumento à memória humana. Ou anti-monumento? Prova da nossa incompetência em se tratando de ter memória?

11 de mar de 2008

Birthdays

Apesar de todo inferno.
Todo calor.
Meninos de rua jogando malabares nos sinais. Sorrindo ou não de rostos grudados nos vidros do carros.
Trânsito caótico.
Violência.
Crescimento desordenado, com tudo que pode surgir de bom e mau em uma cidade que literalmente explode.

Apesar de tudo, Recife é linda e inesquecível. Entra no sangue da gente de um jeito que fica muito difícil de sair.

Vou sentir saudades quando daqui me for. Principalmente destas ruas que foram um dia amenas, da região em que vivo: Aflitos, Rosarinho, Espinheiro. Parque da Jaqueira. O rio. Tá bom, vou me lascar de saudades. Mas ainda falta um pouco, infelizmente, contudo (é um sentimento dúbio). De qualquer maneira, eu sempre soube mesmo que não ia ficar para sempre.




Parque da Jaqueira - captada aqui.


Ai, eu ia esquecendo a razão de tudo isso.

FELIZ ANIVERSÁRIO, cidade linda!

Presentinho:



Como certos bichos,
necessito caminhar estas ruas,
espalhar meu odor e reconhecê-lo entre seus quintais.
As pedras percebem meus passos,
amoldam-se ao peso do corpo.
Os muros são livres
e vagam comigo ao que percorrem meu sussurro.
É leve o sol,a brisa, as faces
que tocam minha pele com olhos serenos
por estes caminhos perpetuamente cravados na memória. .
Reflito-os e transcendo-os.
São seus jardim meus corredores,
minha cama suas esquinas,
sua praça minha mesa farta.
Jamais estarei distante deste lugar.




-----------


O outro aniversariante do período é Meu Filho. Completou um ano de casa hoje (Recife completará 471 amanhã, 12 de março). Quem diria... Só não cresceu muito, coitado, embora aparente boa saúde.

7 de mar de 2008

Não precisava, mas...

Aquele último post, veio-me a posteriori a idéia, já estava perfeito para o Dia da Mulé. Afinal, que mulher não se encantaria ouvindo o Matt Damon chamando-a "doce namorada"? Nenhuma, né?

Por quê?

Porque, em linhas básicas toda mulher quer ser amada, toda mulher quer ser feliz. Verdade. A pura verdade, Dona Rita... Mulheres não querem poder. Não querem dinheiro. Sexo. Fama. Querem não. Mesmo aquelas que tem, e parecem que fizeram tudo para conseguir. São as "Britney Spears" da vida. "Mães assassinas, filhas de Maria, Polícias femininas, nazijudias, gatas gatunas, queengas no cio, esposas drogadas". Mulheres só querem ser amadas. Vejam só que criaturas tolas. O pior é que nos achamos o máximo por sermos assim, e me incluo no rol. "Margareth Thatchers" são exceções que só confirmam a regra.

Quando estava na primeira facul, anos atrás, alguém me mandou ler Educar para a submissão. Ali estava tudo dito. Fomos criadas para isso. Séculos e séculos de opressão. Foi? Será? Eu tenho algumas dúvidas, porque sou (ou fui) suficientemente aguerrida para duvidar. Ando meio vaca, mas não esqueci algumas coisitas. E, sinceramente, meu sexto sentido me diz que isto não é apenas fruto de condicionamento. Somos vacas porque nascemos para ser. Sabe aquela mensagem que rola direto via email sobre o anjo, a mulher ? Pois é.

E para completar, somos lindas. Não somos? Uma amostra, com a Britney.





E com esta que para mim é a mais bela. Sinceramente, não são apenas os homens que adoram a mulher, Deus também nos ama.



Letícia Sabatella


Uma última verdade, contudo, é esta: embora sejamos amadas pelos homens e por Deus, não nos compreendem ("Toda mulher se faz de coitada", kkkk). Estou muito certa disso. Quem nos entende? Só mesmo os compositores. Ah, os compositores. O Guilherme Arantes, por exemplo. É.


"Que mistério pode haver, na lágrima de uma mulher
Quando abre os seus segredos
Que momentos de aflição há no tremor da sua mão
Onde esconde os seus medos
"


Então, amigas, neste 08 de março, de novo, e pelos dias que se seguem, desejo apenas que vocês sejam muito amadas. Muito, muito, mesmo. Beijos.

5 de mar de 2008





----



O Jôka chamando-me Sweet Valentine lembrou-me a razão deste apelido (Sweet) com que assino o blog. Na verdade foi justamente da música My Funny Valentine que ele veio, e a razão foi tão somente por ser meu nome Valentina. Presente do caro amigo Nuno (como vai a Su e a prole?), da quase inativa (pena...) lista enanenes. Daí a apaixonar-me pela canção foi fácil, encantadora como ela é. Ainda mais na voz suave e insegura do Matt Damon. Do filme The Talented Mr. Ripley, mas não preciso colar link, decerto vocês já assistiram. Aproveitem a canção para sonhar. Porque "sonhar é simples", afinal. E porque tem de haver algo bom e belo nesta vida, ah, se tem.

4 de mar de 2008

O Saco

Tem problemas na vida com os quais você precisa lidar como se esvaziasse um saco.



Um saco enorme cheio de tranqueira. Quem o encheu, em geral, foi você mesmo.

Você precisa esvaziar aos poucos, não é uma boa virar de uma vez e secá-lo, pois sua casa pode ficar um lixo. Bom, esta na verdade é apenas uma estratégia, outros preferirão mesmo o barraco e seja o que Deus quiser. A escolha é do freguês.

Ai ai ai, eu gostaria demais de ser menos metafísica, mas isto não é comigo. Sou estranha mesmo. Pior que tenho plena consciência de que isto é coisa de quem não tem o que fazer. O fato contudo é que tenho. Logo, resta-me tão somente a via da justificativa "isto é coisa de quem não tem problema". Problemas sérios, como falta de dinheiro, falta de saúde. Problema, não há quem não os tenha. Mas só valem mesmo a pena estes aí. Os demais são mero lixo, infelizmente algumas vezes não deteriorável.