28 de jun de 2009

Apesar do padre*...

Jennifer Garner e Mark Ruffalo dançam Thriller, do finado MJ, em "De Repente 30".



Além de excelente, a cena ainda de quebra tem Mark Ruffalo...



*Referência ao sermão de Padre Joaquim sobre MJ na missa de domingo - mas não dá prá resistir, padre...

17 de jun de 2009

Cê lembra desse tempo?

A saudosa arte do encontro
Publicado no JC Online, em 11/06/2009 12h51 - Ana Quitéria

Lembra que antigamente não existia celular? Era um mundo estranho, onde as pessoas não se sentiam incompletas sem o aparelhinho por perto. Um mundo diferente, onde as pessoas se encontravam. Era assim, quem queria se ver marcava um encontro. Estipulava-se hora e local, tempo de tolerância, no caso dos mais organizados e, pronto. Não era necessário mais nada. Os encontros podiam acontecer em praças, na praia, no meio da rua, na frente do cinema. Os cinemas ficavam nas ruas. Tinham calçadas na frente.

Nestas antigamências – com licença para o neologismo -, as pessoas simplesmente acreditavam que, se o encontro estava marcado, certamente iriam se ver. Claro, que existiam os bolos, mas estes eram uma maneira muito objetiva de dizer: “Eu não te quero”. Agora, com estas empresas de telefonia doidas, ficamos sem saber se o sms chegou ou não, ou se aquele alguém não quer atender ou esqueceu o celular em casa. Mas na verdade, quem é que anda sem celular? Quem não voltou para buscá-lo quando percebeu que o esqueceu? Quem não checa as ligações perdidas quando a bateria acabou? Se o telefone tocou até cair na caixa e a pessoa nunca retornou, se o sms nunca teve resposta, a mensagem é a mesma: ele(a) não te quer. Quem não tem medo disso?


Termine aqui.

Blog Dorado




A Linda Lu me deu este selo Blog Dorado (classudo, hein? E me lembra as casas de Hogwarts. Brigadim, Lu).

1) Mencionar quem lhe ofereceu o selo.
2) Completar a frase “Eu sou Luz e quero iluminar…”
3) Passar o selo para até 15 blogs que consideremos de LUZ, avisando-os da oferta (Não tenho 15, mas vamos lá).


“Eu sou Luz e quero iluminar seu dia com um pequeno gesto de carinho."

Ficou cuti-cuti, hein? Mas isto mesmo que estas correntes representam, troca de carinho, todo mundo quer ser amado.

Eis os iluminados (Vou seguir o jeito da Lu, colocando frases que me chamaram atenção nos blogs:


Eu sou Luz e quero iluminar aquele canto onde a pessoa sempre dá uma topada co dedão na quina da mesa.” - Pensamentos de Uma Batata Transgênica

"O sorvete de cocada da Fri-Sabor, vício. No mais, estou com Clarice, uma hora esse ensaio sai. Professor super exigente, daqueles bons que deixam a gente meio com receio de decepcionar. Mas aí quando você mergulha em C.L., tudo pode acontecer." - Leite de Cobra

"Um amigo, certa vez, perguntou onde eu gostaria de viver se, tempo, dor, dinheiro e governo não fossem um problema e eu não soube responder. Eu não soube. Eu não soube dizer se gosto de casa, de apartamento, se de campo, se de mar, se dum resort, se dum submarino, se do castelo prometido pela revista ou dum sobrado no Brooklyn. Eu não gosto de nada, disse a ele, eu não gosto de nada e não quero ir a lugar nenhum. " - Drops da Fal

"A Avenida Copacabana é um lugar de gente estranha e muitas vezes até bem esquisita. Nós não somos sarados. Nós não somos lindos e nem chiques. Os nossos cabelos não balançam. Nós nem somos politicamente corretos. " - Avenida Copacabana

"A Chapada Diamantina já é o lugar mais bonito que vi na vida. Trilhas viciam. Conhecemos o melhor guia do mundo. Muitos dias de caminhada dão barato." - Enfim meu blog

"E eu, que tinha me esquecido como cheiro de recém-nascido é bom." - Bicho solto

"O amor não é algo que esgotamos, depois que acaba, o que esteve em nós continua nos assombrando, a jovem de ontem me fez lembrar tanto você que chegará um dia em que só me lembrarei de você através da jovem de ontem, da boca dela e do que ela me disse como se fosse você me dizendo a mesma tolice, o mesmo eu te amo – que você, talvez, nunca tenha me dito, mas que eu continuo escutando." - Puro e obsceno

"Caldos de peixe e de feijão para o pirão. Estranhei o caldo meio ralo do feijão preto, mas é fundamental para encharcar e escaldar a farinha de mandioca fininha que já o espera nos pratinhos mata-fome. O caldo chega por cima, super quente, e o que precisamos fazer é mexer a mistura com vigor. Revigorantemente bom." - Come-se

15 de jun de 2009

Ando meio desligado

Projetos são tábuas nas quais a gente se agarra e não quer mais largar (no meio do oceano? Afe. Mas sim, porque não. Isto contudo dá outro parágrafo, e vai de encontro ao processo). É preciso, necessário, absolutamente imprescindível, crer, a despeito de todos os desvios, surda, cega e loucamente.

O fato, contudo, é que neste meio tempo vai batendo uma solidão da porra.

Talvez seja nisto que pensou o Paulo Coelho quando criou aquele título que me intriga, "O Vencedor está Só".

Hahaha, vencedor, sim, modéstia, não, faz parte do processo.

Sim, sim, eu estou meio louca, faz parte do processo.

E eu estava pensando agora a pouco numa canção que é a minha cara neste momento e esqueci. E não é "Ando meio desligado". E não é "Feliz Cantar" (a música da Duda da novela, sô) que bate infeliz na minha cachola a dias.

4 de jun de 2009



Uma concha não é tão vazia...
Apenas me ocorreu...





É que tem mais poesia na melancolia que na serenidade. Que às vezes me dá esta saudade esquisita ...



(Sim, eu sei, telegrafia agora é com o Twitter. Mas é que não nos acomodamos um ao outro...)



--------------------------------



Da minha vizinha. Prá segurar o fôlego poético.



poeminha cínico


mesmo o mais cinzento dos domingos
diz-se azul quando amanhece

ainda que em meio a terremotos
maremotos tempestades

mesmo o amor mais corrosivo sabe
a mel quando engatinha

ainda que respingue sangue e fel
a cada passo

mais importa o prometido que o
que encerra

à luz dos dias a crua e cínica
e vã realidade

sendo assim seguem sempre azuis
e doces os amores e os domingos -

a propaganda é a alma do negócio
bem se sabe



(Márcia Maia)