6 de ago de 2014

O fim do amor


O que se perde não tornará.
Apenas saudade rota.
Depois, nem saudade mais.
Inexistiu.
Nunca houve.
Cinza apagada do cigarro que não se fumou,
e mesmo assim veio o vento … levou …
O que fica?
Não fica nada.
Apenas a moldura à espera do retrato novo.

4 de abr de 2014

Alguns passados jamais terminam. Apoderam-se do tempo, cavalgam-lhe a crina - e são então um só, desarvorados num galope estanque...