8 de set de 2007

Tardio Sete de Setembro

Uma prática que tive por aqui no passado: postar os logotipos comemorativos do Google. Agora é no Orkut.



Gostei. Não que eu ligue muito, como a maioria dos brasileiros, para o 7 de Setembro - que afinal, no fundo no fundo todos sabemos que não significou muito. Mas gostei do logotipo.

---------------

Por uma coincidência, nossa conversa de mãe e filha ontem era (por sugestão dela):

-Mãe, "se você tivesse que nascer em outro país do mundo, em qual seria?"

E desta vieram muitas variações, entre as quais, "se você tivesse que nascer em um país da América Central, em qual seria?" (o qual ela respondeu "Panamá", e quando eu quis saber a razão, "porque fica mas perto da América do Sul").

Sinta que a criaturinha está encantada com geografia. Afinal, convenceu o avô a dar-lhe o lindo e antiquíssimo atlas que usei a mais de vinte anos atrás.

Mas, retornando, o fato é que, à suas indagações, não soube responder. Ou melhor soube: "Não sei". É fato. Não queria ter nascido noutro lugar senão o Brasil, apesar dos pesares. Apesar do Renan. Apesar do mensalão. E tudo mais que não mais relacionarei aqui (senão a monografia não sai).

Gosto tanto do Brasil que ontem, assistindo o Globo Repórter sobre Portugal (isto faz sentido? Falar sobre Portugal no dia da independência? Taí, nossa independência), quis algo que nunca quisera. Conhecer Portugal. Parabéns a grobo-que-te-faz-de-bobo. No dia da independência me fez querer conhecer Portugal.

Não foram por causa dos doces. Talvez por causa do presunto defumado que vi sendo preparado. Foi por causa da seguinte máxima "Quando chegar em Lisboa, você terá a sensação de que já esteve aqui".

Ah, me encantei. Esse meu sentido de permanência é que me acaba.

Pois é, não consegui pensar em muitos lugares, com muito esforço, onde quereria ter nascido e vivido. "Talvez, Espanha, ou Itália". Tudo latino. "Na América do Sul, só Chile". Ó, céus, que faço, O Brasil é o país do futuro.

Não sei se foi porque, falando do amiguinho francês, ela disse que queria ter nascido em outro lugar.

Paro por aqui. Me empolguei. Eu só ia mesmo postar o logo do Orkut.

Ok. Duas canções bem opostas. Uma vai no sub-title.


"Aqui é o meu país
Nos seios da minha amada
Nos olhos da perdiz
Na lua, na invernada
Nas trilhas, estradas e veias que vão
Do céu ao coração

Aqui é o meu país
De botas, cavalos, estórias
De yaras e sacis
Violas cantando glórias
Vitórias, ponteios e desafios
No peito do Brasil

Me diz, me diz como ser feliz em outro lugar

Aqui é o meu país
Dos sonhos sem cabimento
Aqui sou um passarim
Que as penas estão por dentro
Por isso aprendi a cantar
Voar, voar, voar
"
(Ivan Lins - Meu País)

Nenhum comentário: