17 de out de 2006

Manda quem pode ou prefere; obedece-se, mas pera lá

Ser pau-mandado é da minha natureza, é correto.

Mas tem dias que isso cansa, blergh.

Pior ainda quando se observa gente sendo mandada de forma pior que aquela que te aplicam, sem justificativa e, pior, sem autoridade moral.

Pau-mandada sou, porque prefiro ser. Curvar-me, curvo-me. Mas demais, não. Senão, se mostra os fundos, dizia vovó (ou sei lá quem), o que não é de minha natureza, definitivamente. Mandem, mas mandem com juízo, delicadeza, sapiência, espírito de equipe. E pelo amor de Deus, mandem podendo mandar, olhando nos olhos. Senão, baby, fica difícil, e a porca torce o rabo, ah, se torce. Tem aprendido a torcer. O que é muito mais fácil quando a porca não tem o rabo preso (thanks, God).

Nenhum comentário: