29 de mai de 2007

O Dia do Cachorro Louco





"Eu não alimento nada duvidoso"


Todo mundo tem seu dia de cão raivoso.


"Eu não morro de raiva
Eu não mordo no nervo dormente
"


Você já teve o seu?


"Eu posso até não achar o seu coração
E talvez esquecer o porquê da missão"



Claro que teve.


"E se a minha balada na hora h
Atirar para o alvo cegamente
Ela é pontiaguda
Ela tem direção
Ela fere rente"



E o que você faz nesses dias?


"Ela é surda, ela é muda
A minha bala, ela fere rente"



Saber o que fazer é importante; mais ainda, porém, saber o que não fazer.


"Eu não sou como o meu semelhante
Eu não quero entender
Não preciso entender sua mente"




Não portar uma arma é a primeira lição.


"Sou somente uma alma em tentação
Em rota de colisão
Deslocada, estranha e aqui presente"




Porque, depois, negar, não adianta.



Porque "Cada policial é o responsável por sua arma e por sua munição".



E finalmente, porque "ela é cega, ela é burra, ela é explosão, ela fere rente, ela vai, ela fica, a minha bala ela fere rente".



(A Balada do Cachorro Louco - Lenine, Lula Queiroga E Chico Neves)

Nenhum comentário: