27 de mar de 2007

"Quem ama o feio bonito lhe parece" ou "Minha flor, meu bebê" (escolham o título - este é um blog às vezes democrático)



Creio que o amor nos torna competentes em novos talentos, quando o objeto destas expressões é o ser amado, concordam?





Onde foi mesmo que ouvi a expressão "zoiudinho da mamãe"?




Gostaram? O modelo também ajuda, vamos e venhamos...

Não foi amor a primeira vista, mas agora, mal podemos viver um sem o outro. Ando rezando bastante para que São Francisco me dê juízo de maneira a não aprontar nenhuma asneira como aquela do passado.






Quem foi mesmo que falou que "meu" (a cria que não nos leia, pois anda ela deveras enciumada de nossa intimidade) bichinho não é bonito? Quanto preconceito, gente, com répteis. Meu bebê não só é bonito, como fotogênico, vêem? Sou uma mãe coruja. Digo, sou uma mãe calango. Iguana, vá lá.

Ok, ok, é ridículo chamar um calango de bebê. Mas o amor é assim, gente, que se faz disto?

Bela, a vida pode até não ser sempre, mas a natureza o é, todo dia, toda hora!

Nenhum comentário: