24 de jul de 2004

Ultimamente, tudo me lembra alguma canção do Legião... Hoje foi com o que a Clara me perguntou. Eu adorava (ainda gosto muito) "Índios", lá vai um trechinho, não aquele que associei ao que ela falou, mas um que eu sempre achei profundérrimo:

"Quem me dera, ao menos uma vez,
Como a mais bela tribo, dos mais belos índios,
Não ser atacado por ser inocente."

Não é lindo e ingênuo? Coincidentemente assisti hoje O Último Samurai, e neste filme o que mais me marcou foram as cenas de guerra (e o que menos marcou a atuação do Antônho das Cruz, mas isso de fato é que menos importa).



No filme, há uma linda cena em que, no meio da batalha, os protagonistas (o Antônho e o Katsumoto - Ken Watanabe -, que interpreta um líder samurai) param e olham tudo aquilo, como se pensassem "para que, para que tanta morte?".

O que me levou à pergunta: haverá alguém que não seja suficientemente inocente que mereça ser morto?

obs.: Ah, quase esquecia, eu recomendo este filme para a campanha do desarmamento que o governo anda fazendo...

Nenhum comentário: