15 de abr de 2009

Bom dia XI

Como ando, conforme já informado, bastantemente focada em alguns projetos, para não deletarem o blog(!), vou postar por aqui os meus poemas "Bom dia".

E já estou no décimo primeiro, kcilda!

Bom, espero que gostem deles como gosto de escrevê-los. São poemas da madrugada, de quando acordo muito cedo e vejo o dia da minha varanda.

Vou começar de trás para frente. Este foi de anteontem.





Fonte.


Bom dia XI

Sob a chuva e o céu azul
às cinco horas do dia
até os prédios não são cinza.
Refletem-se na sarjeta e no brilho das folhas,
como as luzes que restam e o fusca vermelho.
Os fios aos postes: são colares que se desfazem,
gotas lentas, aborrecidas,
que correm até secarem ao chão.

Nenhum comentário: