6 de dez de 2006

Quarta

No quengo: faz dias (desde que vi Anos Rebeldes, para ser exata) que, de vez em quando, vem a minha cabeça o discurso do Vandré: "Se vocês pensam ... que me apoiam... vaiando... gente... gente... por favor... tem uma coisa só... a vida não se resume a festivais".

Ui...

Não precisa falar quem é Vandré, a pobre criatura, precisa? O Wiki fala por mim.


---------


Na internet - 1: acabo de ler na Wikipedia que existe no mundo 50 milhões de blogs. Eu disse 50 MILHÕES. Ui.


---------


Na internet - 2: artigo no site no minimo sobre as capas das revistas masculinas da semana (vão lá correndo ver, animais). O mais engraçado de tudo é ver homens sugerindo tendências e buscando tecer lerdas filosofias acerca de um tema simples, tosco e imutável: homens querem ver mulheres nuas. Mais hilário ainda perceber que os homens pensam que as mulheres se enganam sobre isso. Bom, por essas e outras é que sempre aviso: cuidado, homens. Quando mandarmos em tudo, não estou muito certa sobre o que sobrará para vocês... Bom, quem avisa amigo é.


---------


No cinema: esse eu quero ver. O Labirinto do Fauno. Guilherme del Toro também filmou HellBoy, cês viram? Eu vi e gostei. Uma foto que vale estar aqui:




---------

Na tv : ontem entrou para minha lista de filmes-a-ver-completos (o mal de ver filme na tv é perder o final; e o mal do cinéfilo é o sono, eu repito) este Adaptação. Eu já o paquerava na prateleira da locadora a tempos, agora o flerte é definitivo. Bom, só para ver Meryl Streep já valeria a pena, o fato entretanto é que, apesar de toda loucura típica dos filmes que buscam ser uma história dentro da história (vejam sinopse, se gostarem de spoilers e quiserem entender melhor a trama meio amalucada), o filme me pegou. O final, que não vi, aparentemente é uma bomba, mas mesmo isso condiz, ao que me parece, com o que pretenderam os autores da obra. Muito interessante. A propósito, eu não gostei de Quero Ser John Malkovich, da mesma dupla diretor/roteirista Spike Jonze/Charlie Kaufman.

Uma foto da musa para amenizar o blá-blá-blá:

Nenhum comentário: